• Fabrício Daniel Dias - Negócios -
  • Eder Luiz Bolson - Dinheiro -
    O empreendedor deve estar consciente de optou por colocar seus sonhos e realizações num veículo que trafega em alta velocidade, numa pista cheia de curvas e obstáculos. As estatísticas sobre fracasso empresarial são preocupantes.
  • PS JUNIOR - Acadêmico -
  • Eduardo Pepe - Negócios -
  • Magno de Aguiar Maranhão - Marketing -
    E se o Brasil investisse em uma atividade que, além de garantir excelente retorno financeiro, contribuísse para a redução das desigualdades sociais com a geração imediata de trabalho e renda, para a promoção da educação, para a valorização de sua diversidade étnica e preservação de seu extenso patrimônio cultural e natural? Fantástico, certo? ....
  • Adm. Rui Otávio Bernardes - Cotidiano -
    A via para a solução dos graves problemas é longa. Talvez comece por uma administração pública mais profissional e eficaz.
  • ALBERTO MEDRADO - Negócios -
  • Carlos Hilsdorf - Negócios -
    As dificuldades, barreiras e obstáculos são matéria-prima para o verdadeiro empreendedor. Veja o exemplo do homem que revolucionou o mercado de eventos, feiras e exposições no Brasil, escrevendo de próprio punho, um importantíssimo capítulo do capitalismo brasileiro: Dr. Caio de Alcântara Machado.
  • Cesar Romão - Carreira -
    Eu tinha um ótimo emprego, tudo que alguém sonhava, num empresa extremamente disputada e ocupava um cargo mais disputado ainda. Tudo era ótimo, a não ser pelo meu chefe.
  • Débora Martins - Negócios -
    Esta é uma pergunta muito fácil de responder. Para atender bem, devemos tratar o Cliente com respeito e empatia, agindo de maneira imparcial, argumentando de forma convincente, caso seja necessário, e, sobretudo, sendo um bom ouvinte. Pronto! É só isso. Acabou. Vamos! Pode ir ler outro artigo. Bem, se seus olhos continuam acompanhando este novo parágrafo é porque você quer saber mais. Então, vamos nos aprofundar neste tema que, por incrível que pareça, nos dias atuais, ainda gera muito descontentamento, tanto para Clientes como para Empresas que, por não atenderem bem, acabam perdendo-os. Vejamos. Nos primórdios da humanidade, o trabalho estava mais associado a sacrifício e, no decorrer da história, sua realização passa pela necessidade de segurança; já no momento atual, é visto também como uma fonte de satisfação pessoal e auto-realização. Logo, percebemos imediatamente que o nível de satisfação pessoal do colaborador que atua na linha de frente da Empresa é o fator chave quando o tema é Qualidade no Atendimento. A satisfação pessoal resulta, em algum nível, da realização de atividades de maior significância que abrangem uma gama maior de conhecimentos e habilidades e pré-disposição para realizar este trabalho que está intrinsecamente ligado ao desempenho dos seres humanos. E não estamos falando de qualquer ser humano, não, e sim de pessoas satisfeitas com a vida. Vida, explico: dezenas de autores já discorreram sobre a interação do indivíduo com o meio e a importância da sua participação, cuja contribuição é essencial para o desenvolvimento efetivo do trabalho. Um indivíduo que não consegue separar a vida pessoal da vida profissional transmite ao Cliente, seja ao telefone ou pessoalmente, toda sua insatisfação com o mundo. Considerando esta linha de raciocínio, percebemos nestas condições que não existem mocinhos e vilões; na realidade, o relacionamento, bem como os valores organizacionais, devem estar claros para todos que trabalham em uma empresa, seja ela uma multinacional ou uma barraca de camelô. O Cliente (aquele indivíduo também conhecido como consumidor que é a razão de qualquer empresa existir) merece ser bem atendido sempre. Portanto, atender bem não tem nada a ver com poderes sobrenaturais, basta tratar o Cliente como você gostaria de ser tratado. Atender bem é uma questão de atitude. Débora Martins: debora@atenderbem.com.br http://www.atenderbem.com.br http://www.deboramartins.com.br
  • Tony Cavalcanti - Negócios -
  • MKaPlus - Negócios -
  • Wilson Junior Moraes Matsubara - Negócios -
  • Roberto Vieira Ribeiro - Marketing -
    É um fato comprovado que o mundo está tão conectado, que podemos ser afetados por acontecimentos distantes que nada tem a ver conosco, e sobre os quais não exercemos qualquer controle.
  • Rubens Fava - Negócios -
    “Não devemos departamentalizar nosso pensamento com referência a cada problema com que nos deparamos em nossas empresas. Até não creio termos de lidar com problemas de produtividade, psicológicos, econômicos e éticos. Temos problemas humanos, com aspectos psicológicos, econômicos e éticos e tantos outros mais como queira”.
  • Emerson - Negócios -
74421-74440 de 75615