A importância da logística no planejamento estratégico

A visão de uma cadeia de suprimentos e sua movimentação deve ser absorvida por uma organização como um processo integrado, de forma que a organização obtenha vantagem competitiva no fornecimento de produtos ou serviços a seus clientes e também estendida a seus fornecedores.

A visão de uma cadeia de suprimentos e sua movimentação deve ser absorvida por uma organização como um processo integrado, de forma que a organização obtenha vantagem competitiva no fornecimento de produtos ou serviços a seus clientes e também estendida a seus fornecedores.

Devido ao advento da globalização, algo irreversível sob o prisma econômico e administrativo, a concorrência atualmente é mais ácida e acirrada, aliando a quantidade de informações disponibilizadas, os consumidores, sejam estes industriais, comerciais ou de serviços e consumidores finais desejam e exigem mais no ato de compra. Qualidade e preço são sempre questionados, e de forma repetitiva e ascendente. A fidelidade, antes vista como fator de competitividade, pouco ou nada representa no ato de fechamento da compra por parte dos consumidores.

Com o acirramento mais visível e mais forte da concorrência, satisfazer clientes tornou-se tarefa árdua e prescindível de planejamento minucioso. Conforme BERTAGLIA (2009):

“...as medidas são voltadas para a satisfação e o atendimento do cliente, pois se o produto não estiver presente nas gôndolas, isso significa que alguém está vendendo um produto com preço e qualidade similares. ” (BERTAGLIA, 2009, p. 14)

A máxima americana onde se diz que o produto certo sempre deve estar em todo lugar certo no momento certo é a real necessidade das organizações que querem sobreviver no atual contexto competitivo, fazendo com que estas se preocupem cada vez mais com a cadeia de suprimentos.

Para que ocorra um alinhamento estratégico das demandas logísticas com a visão organizacional, algumas forças externas devem ser levadas em conta quando da elaboração dos planos estratégicos e de metas a serem alcançadas, a globalização, o mercado e a demanda do consumidor, a competição, informações e comunicação, cultura local, regras governamentais e o meio ambiente.

“ Com base no moderno conceito da logística integrada está o entendimento de que a logística deve ser vista como um instrumento de marketing, uma ferramenta gerencial, capaz de agregar valor por meio dos serviços prestados. ” (FLEURY et al, 2000, p. 31)

Organizações competitivas prestam muita atenção ao relacionamento, deve ser composta por planejamento, compras, produção e distribuição que mantém com seus fornecedores, de forma a conseguir prestar atendimento satisfatório a seus clientes. A flexibilidade e a agilidade são imprescindíveis para o sucesso na competição pelo mercado consumidor.

A atual preocupação com o meio ambiente em virtude de desastres ambientais, alterações climáticas e conscientização por parte dos consumidores remete à logística, importante papel na busca de soluções de menor impacto ambiental, seja na busca de melhores embalagens e ciclo de entregas de menor impacto ambiental, com soluções as mais diversas e também a facilitação para a logística reversa na reciclagem de embalagens e produtos.

A possibilidade de diminuição de uso de produtos nocivos e também a diminuição de insumos necessários durante o processo da cadeia de abastecimento, além de provocar melhorias financeiras, acarretando diminuição de custos operacionais, ainda possibilita a inovação de uso de materiais menos nocivos ao meio ambiente, ou que também possam ter reutilização maior, como embalagens retornáveis e de uso prolongado.

A redução e o reaproveitamento de resíduos são fatores importantes na gestão logística de forma consciente com as políticas ambientais atuais.

Uma gestão da cadeia de suprimentos voltada a gestão ambiental deve proporcionar eficiência ambiental, desde o consumo de combustíveis no processo até a redução e o reaproveitamento de resíduos gerados do processo, o conhecimento da periculosidade de cada material e seus resíduos, efeitos tóxicos à saúde e ao meio ambiente, além da eficiência econômica de toda a cadeia ser questionada de forma contínua em busca de eficiência de custos e eficácia.

A consciência sobre os processos internos da cadeia de abastecimento deve ser vista pelos gestores como algo fundamental para o sucesso do negócio, aliados ao entendimento dos perfis de consumidores e seu comportamento, e o acompanhamento próximo da movimentação da concorrência.

A evolução tecnológica também deve ser verificada constantemente, a rapidez das mudanças deve ser vista como algo interessante e que pode auxiliar os gestores, embora nem toda tecnologia deve ser incorporada, a preocupação com a seleção da tecnologia precisa ser consciente e requer especial atenção, nem tudo o que é novo deve ser absorvido.

A principal condição pela instalação de novos equipamentos ou softwares de controle devem estar relacionadas com a adequação com o modo de operação da organização, a adaptação possível e verificável da equipe envolvida, mediante treinamento, a relação usuário/equipamento/interface, o nível de segurança, o suporte e as mudanças organizacionais necessárias, toda a implantação com preocupação ideal de que não ocorram prejuízos em relação às competências organizacionais.

Para a formulação das estratégias para TI, certos fatores são imprescindíveis de verificação, a determinação de objetivos e valores, a velocidade e integração dos processos organizacionais, o uso da tecnologia como meio para se atingir metas estipuladas no planejamento organizacional, o desenvolvimento de novas competências organizacionais, o foco no controle, operacionalização e execução do planejamento, a ocorrência do clima favorável na promoção das mudanças, a facilitação dos canais de comunicação interna e o provimento de trafego livre de informações, o constante cuidado na divulgação e utilização de informações verídicas e corretas, a obtenção dos recursos necessários durante e após a implantação.

Para a implantação o meio principal é o comprometimento da alta direção, a escolha adequada dos equipamentos, como dito anteriormente, o treinamento adequado e satisfatório, o gerenciamento da implantação e a verificação da acuidade dos dados de entrada do sistema.

Com esses cuidados e seriedade nas escolhas pode-se escapar de modismos existentes no mercado de tecnologia.

Um assunto muito atual e pesquisado, o comércio virtual verifica-se como principal entrave ao crescimento do comércio virtual no Brasil está a logística de distribuição e troca de mercadorias de forma rápida, cortês e com agilidade. Alguns fatos bem específicos são encontrados no comércio eletrônico, a disponibilização do saldo de estoque no site com sua real disponibilidade.

Além desta particularidade também a logística oferece a diferenciação e a percepção, por parte do cliente no atendimento de suas expectativas em relação a compra, tempo do ciclo do pedido (preparação, recebimento do pedido, processamento do pedido e embalagem e transporte do pedido), o real cumprimento do prazo de entrega, a recuperação consistente de falhas, controle a fim de evitar avarias no produto (embalagem correta), prazo de entrega, sistema de informações e apoio entrega e pós-venda.

Buscar um excelente desempenho durante as etapas do ciclo de vendas no comércio eletrônico facilitará o atingimento de metas de aumento nas vendas, com o atendimento das expectativas de compra dos clientes, devido ao menor tempo entre o pedido e a entrega, a melhoria dos serviços com a diminuição do tempo do ciclo de venda e a melhoria do sistema de informações, de erros durante o processo e a consequente redução de custos, produzindo assim a melhoria da competitividade organizacional.

Referências:
BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. São Paulo: Saraiva, 2009.

FLEURY, Paulo Fernando; WANKE, Peter; FIGUEIREDO, Kleber Fossati. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. Editora Atlas SA, 2000.

RAZZOLINI FILHO, Edelvino. O reverso da logística e as questões ambientais no Brasil. Editora Ibpex, 2009.

 

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: cadeia de suprimentos logistica planejamento estrategico supply chain

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração