Mais comentada

Como praticar os ensinamentos do livro: Melhor que você mesmo, cresça ajudando os outros a crescer

Existem três pilares que norteiam a conduta do ser, os quais serão abordados no artigo, com o intuito de ajudar a colocá-los em prática, segundo o livro de Steve Farber.

   A partir do projeto "Melhor que você mesmo", fica clara a necessidade que as pessoas têm uma das outras para se tornarem melhores. Porém, existe todo um processo para que essa necessidade se torne possível e seja vantajosa para ambos os envolvidos.

   Para que tudo fique claro e faça sentido, é preciso experimentar o projeto, não se contentando apenas com teorias, já que se trata de algo bastante maleável, criando diversas oportunidades para diferentes contextos, dependendo do objetivo e da área em que a pessoa deseja praticar.

   Segundo o livro de Steve Farber, "Melhor que você mesmo, cresça ajudando os outros a crescer", existem três pilares que norteiam um ser: expandir-se, doar-se e replicar-se. Par aprender a praticar o projeto, é preciso focar no segundo pilar, caso o indivíduo queira ajudar em vez de ser ajudado.

   A princípio, segundo Charles Rolland, personagem do livro, é necessário se abrir e se oferecer à outra pessoa, para que esta alcançe um nível superior ao seu próprio. Para isso, é preciso filantropizar a própria vida, seguindo alguns passos importantes.

   Esses passos iniciam-se com a doação do próprio tempo, sempre reservando uma parte dele para o projeto. Também, é preciso ser claro nas intenções e nos objetivos específicos para melhorar a vida do outro, doando bem-estar, sucesso, riquezas etc. Deve haver um grande investimento no relacionamento, comprometimento de ambas as partes e empatia, necessária para que haja compartilhamento dos mesmos sonhos e desejos.

   Após concretizar essa empatia, clareza e um bom relacionamento com comprometimento, é hora de se doar completamente, oferecendo tudo o que foi adquirido na auto-expansão, como conhecimento, contatos, experiências, conselhos, lições, confiança e feedback, por exemplo.

   Sendo assim, a pessoa acolhida será capaz de crescer cada vez mais, tanto interna quanto externamente, além de se tornar grata à pessoa que a acolheu. Com essa gratidão, quem se doa jamais tem a sensação de ter feito algo em vão e sempre tem alguém para se apoiar, já que existe reciprocidade.

   Como prova de que o projeto realmente funciona, existe o terceiro pilar, que é quando os papéis se invertem, havendo replicação do indivíduo acolhido, passando o projeto adiante, doando-se a alguém que ele enxerge a necessidade de ajudar também.

   Por isso as pessoas precisam ter uma melhor percepção do projeto, para não deixarem que ele morra, mantendo sempre a ideia do bem que pode ser feito e que pode existir nas pessoas ao redor.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração