Mais comentada

Coworking: Uma nova forma de pensar o ambiente de trabalho

Um coworking é uma metodologia de trabalho que leva em consideração o fato de que não utilizamos o espaço de um escritório o tempo todo. Então por que pagar por um escritório que fica mais ocioso do que ocupado?

O termo coworking, escritório compartilhado, começa a ter efetiva utilização no ano de 2005, nos Estados Unidos, por Brad Neuberg, engenheiro do software que designou o primeiro coworking, pelo qual foi responsável. Trata-se de um modelo de trabalho que se baseia no compartilhamento de espaços e recursos de escritório. Sua praticidade facilita a obtenção de franquias sem pontos comerciais definindo seu próprio horário de serviço. Exige dos profissionais mais autogerenciamento definindo seus próprios rendimentos, foco, persistência e comprometimento com seu trabalho.

Um coworking é uma metodologia de trabalho que leva em consideração o fato de que não utilizamos o espaço de um escritório o tempo todo. Então por que pagar por um escritório que fica mais ocioso do que ocupado? Brad Neuberg, logo de início, tinha em mente a otimização dos espaços de escritório, alugando-os por horas, dias ou meses; sem a necessidade de assinar contratos por imobiliárias, ou seja, só se paga pelo tempo que efetivamente se utiliza a estrutura, nem mais nem menos!

Em tempos de crise, o coworking foi criado para empreendedores que não possuem condições financeiras para ter seu próprio escritório; ou para empreendedores que estão começando a carreira e sonham em ter o seu próprio negócio, mas não estão preparados tecnicamente e financeiramente para este negócio. Este sistema é particularmente adequado para trabalhadores independentes ou que funcionam em tele trabalho ou, ainda, autoempresários (freelancers). Na maioria das vezes, são profissionais da web, da comunicação, da arquitetura, de marketing e de jornalismo, mesmo se o coworking visa qualquer tipo de profissão. As pequenas empresas também podem utilizar os espaços por razões econômicas.

Na locação de espaços de coworkers estão incluídos serviços e toda infraestrutura necessária para um escritório como, por exemplo, internet de alta velocidade, serviço de secretaria, limpeza e organização. Também oferecem ambientes de trabalho com estações de produção individual ou em grupos, salas de reuniões, copas ou cozinha, área de descanso ou varandas. Para locar este espaço, são cobrados valores diários, semanais ou mensais, assim podendo formar diversos pacotes que podem atender a necessidade de cada um. São determinados por horas, mês ou semana, com ou sem direito a uso da sala de reunião, e quantas vezes for necessário. A intenção de um escritório compartilhado é que o usuário/cliente preocupe-se somente com seu trabalho. Outro modo de utilizar esses espaços seria por profissionais que são de outro estado ou país e que vieram a trabalho para este local e necessitam de um espaço para reuniões. Neste caso, é possível locar somente a sala de reunião por diária ou por hora. Ou, se eles somente precisam de um espaço para trabalhar, é possível locar a diária e utilizar do espaço. Também existem serviços adicionais pelos quais são cobradas taxas extras, como serviços de secretária para atender ao telefone em seu nome ou da sua empresa, o uso do endereço para correspondência e, dependendo do coworking, existe locação de auditórios para eventos.  

O sistema de coworking possui muitos adeptos nos Estados Unidos e gradativamente está se espalhando no resto do mundo, inclusive pelo Brasil, como uma forma de otimizar os trabalhos e driblar a crise econômica estabelecida. 

Por Bruna Medina e Luiza Gonçalves
Graduandas em Processos Gerenciais pela QI Escolas e Faculdades

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: coworking