Empreendedorismo acadêmico

Bruno Soalheiro,
Segundo Philippa Davies, uma reconhecida psicóloga e escritora inglesa, em seu livro "Get up and grow", ("Levante-se e vá à luta", na tradução para o Brasil) é lamentável que a maioria dos pais, pelo menos em nossa cultura ocidental, não crie os filhos para serem empreendedores. "Somos criados para sermos engenheiros, advogados, dentistas, biólogos, fisioterapeutas, e normalmente não fomos preparados para lidar com os desapontamentos e com os diferentes rumos que nossa vida pode tomar, especialmente nos tempos atuais.

A conseqüência é que, o que mais vemos por aí são recém formados, por vezes muito bons no que aprenderam a fazer na universidade, angustiados e frustrados por não terem a mínima idéia de como vender seus serviços ao mercado ou construir uma imagem que os faça conquistar clientes, ou pelo menos encontrar um lugar nas exigentes empresas de hoje.

Empreendedorismo é um conceito muito discutido no meio empresarial atualmente. É tema de diversos livros e assunto de varias revistas de negócios. Ser empreendedor é ser capaz de realizar ativamente as coisas, de ter idéias e buscar meios de realizá-las, de olhar o mundo e perceber nele alguma oportunidade, enxergar as conexões entre as coisas e tomar parte na dança da vida, agindo pró-ativamente, realizando e superando desafios. Só que geralmente, quando se fala em empreendedorismo, o que se imagina é algum empresário jovem e ousado que se lança em um novo negócio em busca de sucesso. Esquecemos muitas vezes que empreender é uma capacidade do ser humano que pode, e deve estar presente em tudo que fazemos.

Desta forma, podemos falar em um "empreendedorismo acadêmico", para descrever a atitude do estudante que constrói o seu conhecimento ativamente, através da curiosidade interessada, do diálogo, da discussão, e até mesmo do desafio diante das verdades que lhe são apresentadas.

Um jovem estudante que se oferece, ainda no meio do curso, para participar de pesquisas e trabalhos em sua área, está sendo empreendedor. O aluno que questiona o conhecimento que lhe é transmitido, buscando inconsistências e até mesmo desafiando o status quo de determinada ciência, está tendo uma atitude empreendedora. Infelizmente, são poucos os que naturalmente transcendem a tradicional postura passiva de apenas receber informação, e se colocam verdadeiramente a dialogar com a ciência a que são apresentados.

Universidade é um lugar de formação, de educação. A palavra educar vem de educere, que significa extrair, trazer à tona algo que está dentro daquele que aprende. Aprender não é, de forma alguma, acumular informação ou decorar um livro inteiro de procedimentos. Aprender é compreender o conhecimento e dialogar com ele a partir de uma postura ativa e inquisitiva, e principalmente, ser capaz de usá-lo.

Informação sem empreendedorismo é como ter um carro, às vezes uma Ferrari, e não saber dirigir. Tem gente que é tão inteligente, mas tão inteligente que não faz mais nada além de ser inteligente. São pessoas muitas vezes cultas, possuidoras de informações valiosas, mas que não aprenderam a empreender com a informação que obtiveram.

Se você quer realmente aprender alguma coisa, discuta com ela, fuce-a, pergunte, entorte, remexa, bata nela, vire do avesso, enfim, faça qualquer coisa que não simplesmente interpretá-la sob o viés de quem a apresentou.

As empresas buscam mais do que nunca pessoas que, através de seus questionamentos certeiros e senso crítico afiado, promovam as mudanças contínuas que são necessárias no ambiente atual. Desejam gente que saiba questionar para evoluir.

Se você está na universidade, entenda que muito mais importante do que as respostas que você tem, são as perguntas que você faz. Acostume-se a olhar as matérias não apenas pelo que elas podem ensinar a você, mas principalmente pelo que você pode questionar nelas. É isso o que vão te pedir quando você chegar ao mercado!

Começando a desenvolver uma postura empreendedora desde a universidade, e procurando contribuir ativamente para o conhecimento científico da área na qual vai se graduar, você estará dando um passo e tanto no sentido de se tornar o profissional que o mercado busca na atualidade.

Não é apenas "o que você sabe", é "como" você sabe e usa isso para mudar as coisas à sua volta!

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: carreira empreender sucesso