Evolucionismo de Darwin e a Epigenética - Genética e o meio que vivemos.

Epigenética - teoria segundo a qual o meio ambiente também pode alterar o material e a herança genéticos.

No século XX Darwin estava à frente dos pensamentos biológicos e científicos da época, no momento em que tentou converter a comunidade cientifica propondo a teoria evolucionista de seleção natural e sexual. Uma teoria prática onde detalha que o ser vivo mais adaptável ao ambiente tende a sobreviver as circunstâncias postas pelo meio ambiente que habita, ou seja, as variações genéticas podem ser adquiridas do meio ambiente.

Nesta linha de raciocínio que a epigenética - teoria segundo a qual o meio ambiente também pode alterar o material e a herança genéticos - influência a visão de que herdamos tendências emocionais e comportamentais de nossos ancestrais. Mas estudos apontam que ainda assim, temos a capacidade de nos moldarmos, adaptarmos e criarmos o nosso próprio roteiro de vida.

Quando nascemos nossos DNA contém todas as informações para o que somos e as instruções para o que nos tornaremos ao longo de nossa vida, por exemplo: o DNA tem a função de mudar a cor dos olhos de quem nasceu azuis e no decorrer do crescimento eles se tornarem verdes, e mais algumas infinidades de mudanças que ocorrem durante o crescimento de um ser vivo.

No entanto, esta posição no seu extremo deste conceito, considera que as características básicas do homem, como sua inteligência, personalidade, traços físicos, etc.. Já estão formadas, prontas desde do nascimento devido sua herança genética e biológica e nunca mudará, mais precisamente: filho de peixe, peixinho é. Nessa posição nativista resultou de que o comportamento humano é inato, ou seja, no sentindo de que nascemos determinadas características e propensões de que não podem ser alteradas por aprendizagem.

Se você acha de que está à mercê do seu código genético, a grande notícia é que você não está! De acordo com a ciência da epigenética, células troncos e até mesmo o DNA podem ser alterados pelo tipo de ambiente no qual você vive. Os cientistas têm compreendido a décadas que o determinismo genético é uma teoria errônea, ou seja, filho de peixe, peixinho não é.

Desde da década de 50 pesquisas realizadas pelos maiores cientistas do mundo demonstraram através de estudos que a epigenética envolve muito mais que o DNA, envolve também os lugares que vivemos, o clima entorno de nós, as voltas e os duros golpes que a vida nos dá podem ocasionar uma mutação do nosso ser. Os elementos integrantes do modelo para o que somos e o que podemos ser, são os pensamentos, sentimentos e as intenções que temos todos os dias em nossas mentes.

Depois de décadas de estudos, outros pesquisadores chegaram à conclusão de que a gratidão e o amor que temos por alguém, ou a raiva e a ansiedade que sentimos podem influenciar e alterar os resultados programados no DNA que recebemos de nossos pais. O poder de nossos sentimentos e pensamentos podem intensificar a recodificação de nosso DNA. Com isso chega-se à conclusão de que seu estado emocional pode alterar a configuração do seu DNA, por isso implantar pensamentos positivos,e saber lidar com os imprevistos da vida de forma mais equilibrada pode lhe trazer benefícios a sua carga genética. 

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração