Inovação no Setor Público

Originalmente a inovação relacionava-se apenas com produtos e desenvolvimento de novos processos de produção, ignorando a capacidade do setor de serviços contribuir para a manutenção de períodos de crescimento econômico por meio da inovação. Pelo Século XX era totalmente separada a relação entre serviços e inovação, uma realidade que mudou nos últimos anos através do reconhecimento da importância do setor de serviços no desenvolvimento de inovações.
A relação entre consumidor e empresa tem seu papel ativo nessa mudança de paradigma relacionado à inovação de serviços, como também é por ela influenciada mutuamente ao se perceber a importância dos clientes como fonte de informação e aprendizagem que pode agregar novas competências às empresas. Assim, o surgimento da inovação em serviços é considerado um processo interativo, coproduzido em uma parceria consumidor-empresa visando a melhoria dos serviços prestados sob a ótica dos clientes.
A inovação em serviços demanda aprimoramento dos conhecimentos de maneira intensiva, tornando o conhecimento, portanto, como valioso recurso organizacional e através deste é possível integrar produção e serviços no desenvolvimento de inovações, seja através de inovações radicais, inovações de melhorias ou incrementais como base ao melhor atendimento das necessidades dos clientes para amplificar os níveis de satisfação dos mesmos. Dessa forma, pode-se considerar que toda prestação de serviços pode ser considerada uma inovação, com interatividade na prestação, com ampla diversidade, pois há diversos extremos de variações de um serviço para outro devido a coprodução realizada entre empresa e clientes.
Contemporaneamente podemos tratar da economia como de serviços e inovação dada a importância de ambos na manutenção e crescimento dos índices financeiros e econômicos, inclusive nos serviços que inicialmente não baseiam-se em lucro financeiro, como serviços públicos, através da ascensão da Nova Administração Pública após a década de 80. O reconhecimento da importância estratégica da Administração Pública, sendo o Estado capaz de suprir as necessidades dos cidadãos e regular as interações econômicas de maneira diversa, traz à tona a importância da adoção do foco em inovação na gestão pública de cunho estratégico ao permitir aumentos na eficiência e ganhos para toda a sociedade.
As mudanças na Gestão Pública visam aumentar a eficiência nos serviços prestados através da adoção do foco na inovação nos serviços públicos para gerar mudanças capazes de melhorar a prestação de tais serviços à população. Para isso adotou-se a utilização de medidas de mensuração do desempenho com ênfase no controle de resultados visando melhorias de tais dados através da assimilação de conceitos e práticas de inovação em organizações privadas.
Como incentivo à inovação no serviço público, a Escola de Administração Pública (Enap) em união com o MPOG – Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão promovem, desde 1996, o concurso Inovação na Gestão Pública Federal com o objetivo de incentivar e disseminar as práticas bem sucedidas de inovação na esfera pública com uma premiação que valoriza o comprometimento com o alcance de melhores resultados. Além do mais, traz a reflexão sobre como o servidor público e comunidade em geral pode atuar ativamente na promoção de melhorias do serviço público – utilizando da lógica da inovação em serviços na qual o cliente/usuário de serviços é coprodutor dos serviços prestados – e não apenas aguardar passivamente melhorias que venham de instâncias superiores a serem simplesmente adotadas pela comunidade sem maiores reflexões, questionamentos ou, principalmente, ações que visem a melhoria dos serviços em prol do bem público.
Para uma melhor compreensão da diversidade de conteúdo referente ao tema inovação e diversidade de ações possíveis, podemos citar Oliveira (2014) em Cadernos da Enap n° 38 que trata da Inovação no Setor Público:
A geração de inovações no setor público deve considerar uma variedade de ações e de intervenções do Estado na sociedade. É importante ter claro que nem todas essas ações possuem as mesmas características e capacidade de capilaridade. Assim, é possível considerar que não existe uma única inovação no setor público, mas sim uma variedade de ações de inovação no setor público, que se caracterizam em função do nível de impacto que trazem à sociedade. A estratificação de tipologia aqui proposta considera fatores como: • Ambiente para o qual está voltada a ação: se a ação está voltada para o ambiente interno ou externo à organização. • Tipo de inovação: classifica a ação pelo tipo de inovação que ela representou (nova para a sociedade, nova para a organização ou uma mudança de rotina). • Capilaridade: apresenta os beneficiários do ambiente de cada ação. • Fatores de sucesso: aponta os principais fatores de sucesso da ação.

A inovação pode acontecer através de grandes feitos ou simplesmente por mudanças cotidianas através de pequenas ou grandes inovações com a incorporação de novos elementos, ou reconstrução dos já existentes, na gestão pública ou ainda com a combinação de mecanismos de gestão existentes que podem resultar em melhorias de resultados para o serviço público e, consequentemente, para a sociedade.


REFERÊNCIAS

FERREIRA, V. R. S. et al. Inovação no setor público federal no Brasil na perspectiva da inovação em serviços. Revista de Administração e Inovação, v. 12 n. 4, 99-118, 2015
GALLOUJ, F. Economia da inovação: um balanço dos debates recentes. In: BERNARDES, R. C.; ANDREASSI, T. (org.). Inovação em Serviços Intensivos em Conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2007. cap. 1.
OLIVEIRA, LUIZ GUILHERME de. Inovação no setor público: uma reflexão a partir das experiências premiadas no Concurso Inovação na Gestão Pública Federal / Luiz Guilherme de Oliveira, Rafael Liberal Ferreira de Santana e Vanessa Cabral Gomes. — Brasília: ENAP, 2014. 61p.
VARGAS, E. R. et al. A pesquisa sobre inovação em serviços no Brasil. REGEPE - Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 2, p. 3-21, 2013.

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: clientes inovacao inovação inovação no setor público serviço público serviços setor público usuário