Mais comentada

Marketing pessoal como diferencial competitivo no mercado de trabalho: Uma abordagem teórica

Evidenciar uma discussão acerca da importância do marketing pessoal como fator competitivo para o processo de recrutamento e seleção. Diante as extensas transformações ligadas a gestão de pessoas, cada vez mais as organizações identificam condições comportamentais, e de qualificação pessoal no processo de recrutamento.

              A contemporaneidade cada vez mais vêem sendo marcada pela capacidade tecnológica, onde se destaca a grande quantidade de inovações. Nesse tempo de globalização, as organizações buscam por um aprimoramento frente ao mercado de trabalho cada vez mais competitivo.
        Frente a complexidade das relações atuais, a busca por uma figura do profissional, torna-se uma tendências entre as empresas, haja visto que as mesmas procuram por perfis adequados e em conformes com sua expectativa. Assim, por meio dessa necessidade atual surge a figura do marketing pessoal para assim compor essa busca.
             Nesse paradigma, é importante que o indivíduo conheça sua imagem pessoal para tornar seu diferencial, pois promovendo sua imagem o indivíduo faz seu marketing pessoal, e se valoriza como profissional. O cultivo da sua imagem torna-se fundamental para o seu sucesso na sua área profissional, transformando-se em um produtor que dever ser visto e reconhecido no mercado de trabalho.
             Esta produção tem por objetivo evidenciar a importância do marketing pessoal como fator competitivo para o processo de recrutamento e seleção, buscando de forma específica, os princípios do marketing pessoal como uma exigência do mercado de trabalho atual. Assim, também detalhou-se o processo de seleção, no sentido de mostrar as habilidades do profissional, e o seu enfoque a respeito das competências e habilidades emocionais e comportamentais.
             Trata-se de um estudo bibliográfico e exploratório com abordagem qualitativa, onde contou com respaldo teórico de Chiavenato (2006), Kaplan (1997), Magalhães (2007), e dentre outros.
             Deste modo, foi possível observar que o marketing pessoal, torna-se cada vez mais, um mecanismo de triagem frente ao processo de recrutamento, comprovando habilidades pessoais, que vai além de conhecimentos, como um dos principais indícios de qualificação intrínsecos e extrínsecos exigidas no mercado de trabalho. Espera-se assim, contribuir para divulgar a importância da imagem pessoal, como fator primordial no processo de seleção, que visa contribuir de forma positiva para um melhor desenvolvimento de competência pessoal.

Marketing: Algumas considerações

              Nos últimos anos o perfil atual do profissional busca atender as necessidades do mercado cada vez mais globalizado e competitivo. Dessa forma, a procura de perfis profissionais modernos, no momento do processo de recrutamento determina o cargo dentro de uma empresa. A partir dessa exigência e da necessidade de satisfazer os desejos dos consumidores, surge o Marketing, que conforme a Associação de Marketing Americana - AMA (2004), o marketing torna-se uma função organizacional e um conjunto de processos para criar, comunicar e entregar valor aos consumidores, bem como gerir as relações com eles, a fim de beneficiar a organização e seus constituintes. Nesse mesmo sentido, Kotler (2005, p.6) diz que: O marketing é o processo de planejar, executar a concepção, a determinação do preço, a promoção e a distribuição de idéias, produtos e serviços, para criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais.
          O estudo de marketing foi se ampliando e sendo tratado como uma área de conhecimento que agrega valores capazes de transformar o dia a dia das empresas. O Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de trocas orientadas para a criação de valor dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos através de relacionamentos estáveis e considerando sempre o ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem estar da sociedade (Las Casas, 2009).
       Deste modo, o marketing é considerado uma ferramenta que propiciando conquistas, com base em vantagens competitivas e diferenciais, e proporcionando aos clientes e também as empresas, um processo de aquisição e desenvolvimento de um novo perfil de colaborador no ambiente empresarial.
          O marketing é um grande norteador para as empresas, pois as vendas, pós-vendas e fidelização de clientes estão diretamente a ele ligadas. Nesse entendimento, o marketing é considerado uma “área que abarca todas as atividades ligadas às relações de troca, orientadas para a satisfação das necessidades e desejos dos clientes, como objetivo de alcançar determinadas finalidades da empresa ou do indivíduo, sempre considerando o meio ambiente de atuação e o impacto que essas relações podem causar ao bem-estar da sociedade como um todo” (LAS CASAS, 2006, p. 24). Ainda nesse pressuposto, é importante considerar o marketing como uma necessidade humana, que esta ligada há vários fatores internos ou externos, e principalmente ao estado particular em que o individuo está inserido. Dentre essas particularidades, incluem-se as necessidades do indivíduo como profissional, ao qual procura aprimorar o conhecimento da imagem pessoal do indivíduo.
          Com a crescente transformação da sociedade, o consumidor passa a exigir mais e torna-se mais responsável e comprometido com as empresas. Diante disso, o marketing buscou novas técnicas, deixando de focar apenas em vendas, e passando a focar-se nas demandas das necessidades que satisfaçam os desejos dos consumidores de forma particular.
          Os conceitos de marketing buscam sempre adequar-se às peculiaridades do ambiente socioeconômico e cultural, em constantes e rápidas modificações, posicionando-o como principal força na criação de mercados e oportunidades. (PAIXÃO, 2009). Dessa forma, surge o marketing pessoal que busca a moldagem da pessoa como se ela fosse um produto ou serviço, como se trata de pessoas, cria-se um perfil do profissional, de onde se analisam as habilidades, estas que são observadas durante o processo de seleção, quando das aplicações de testes para mensurar a capacidade técnica dos concorrentes a vaga.
           De acordo com Risota (2009), o marketing pessoal é considerado um conjunto de ações planejadas que facilitam a obtenção do sucesso profissional, seja para conquistar uma nova posição no mercado de trabalho, ou para manter sua posição atual. Para Santos (2002, p. 21): Fazendo uma comparação dos conceitos de marketing para o produto ou pessoa, pode-se dizer que toda estratégia que leve a imagem do profissional (produto-pessoa) até o consumidor final, o cliente, que no caso do produto pessoa é o patrão, amigos, colegas de trabalho, esposa, etc., é marketing pessoal.
          Cada vez mais o profissional almeja construir a sua imagem de forma positiva perante as organizações e a sociedade, em busca de constituir seu sucesso profissional e pessoal. Assim, compreende-se que nos últimos anos o marketing pessoal vem proporcionando oportunidades que ajudam o individuo a conseguir um emprego, tornando-se uma ferramenta de estratégia primordial que evidencia de forma clara e objetiva a competência e habilidade do sujeito.

Evolução do Marketing Pessoal

          Com o advento dos avanços tecnológicos, a partir dos anos 50 o marketing surge no mercado, tendo como principal objetivo satisfazer o consumidor, proporcionando significado aos produtos para melhor atendê-los. Em se tratando do crescente desenvolvimento e aceleração tecnológica, segundo Barbosa (2010), podemos saber mais rapidamente sobre o que se passa com nossos contemporâneos em várias partes do mundo do que em qualquer outra época histórica.
            Devido às inúmeras mudanças ocorridas no mercado, e a acirrada competição das organizações, muitos profissionais passaram a investir no seu próprio marketing pessoal, passando a colocar em evidencia um perfil profissional focado em suas capacidades pessoais e na competitividade.
           Diante disso, o marketing pessoal passa a atender as necessidades atuais que o mercado exige de um profissional. Sendo assim, essas exigências transformam o atual profissional mais capacitado em suprir suas necessidades, e evidenciar seu próprio diferencial na carreira. Nesse sentido, o marketing pessoal existe como meio que apresenta o indivíduo como um novo produto, passando a demonstrar de forma criativa sua competência e habilidade, a fim de transformar o sujeito com atitudes e conhecimentos que valorizem o seu reconhecimento profissional.
Segundo Carvalhal (2005, p.114): Marketing Pessoal foca o indivíduo, um produto comercial no competitivo mercado de trabalho, comprável, entre outras características, pela sua capacidade de resolver os problemas inerentes a uma organização. O Marketing Pessoal envolve direta e cabalmente o elemento humano. O homem é o foco. E criador e criatura. Ele é seu próprio produto. Vende-se a si mesmo. Para isso, lança um olhar para dentro de si e abstrai dele mesmo um ator que vai representar o seu papel no mundo do trabalho. Mas, para isso, a pessoa lança de todos os lícitos artifícios, objetivando vende-se e sustentar sua aceitação pelo grupo profissional, grupo familiar, grupo escolar, dentro outros.
            O marketing pessoal visa transformar o sujeito, e valorizar suas características e atributos pessoais, físicas e intelectuais, pois conforme Oliveira Neto (1999), possibilitar a utilização plena, divulgar e demonstrar cada uma das capacidades e potencialidades é sua principal tarefa. O indivíduo deve cada vez mais expor suas potencialidades e capacidades específicas, desenvolvendo também sua habilidade em comunicar-se bem, em relacionar-se com outras pessoas, para que assim, consiga o seu crescimento dentro na empresa.
        É importante ressaltar, que em um processo de recrutamento o marketing pessoal assume papel relevante, pois o candidato a vaga de emprego, saberá de forma positiva expressar suas competências, postura e sua imagem. Dessa forma, considera-se como uma ferramenta primordial para o destaque profissional no mercado de trabalho.
          Considera-se também importante a utilização do marketing pessoal no cotidiano pessoal, tendo em vista que se percebe cada vez mais a necessidade de se introduzi-lo de forma adequada e competente no dia-a-dia dos indivíduos, de forma a auxiliá-los numa sociedade que encontra- se cada vez mais competitiva (ABREU; BALDANZA, 2003). Carvalhal (2005, p. 35) ainda reforça que: O profissional atual é aquele que faz a diferença, ou seja, faz as coisas acontecerem, sabe gerar negócios para a empresa, para si e para o mercado. Investir bastante na carreira profissional, para vender a imagem pessoal, a imagem da empresa e soluções para os clientes. O profissional atual é imprescindível, tem novas habilidades, é versátil, tem uma enorme capacidade de relacionar-se com as pessoas e tem liderança. Investir em marketing pessoal irá sempre agregar valor ao individuo, seja em seu lado profissional ou pessoal, proporcionando qualidades, características e desenvolvimento emocional, para se alcançar o sucesso.

O Marketing pessoal como estratégia competitiva

       O novo cenário para o mercado de trabalho surge, e impõe um novo comportamento aos profissionais, e com isso muitas organizações já começam a si preparem para este novo cenário.
             Os melhores profissionais buscam apresentar o seu máximo, pois é através disso que são medidos como bons ou não e inseridos em meio ao mercado competitivo. Esse desenvolvimento é visto hoje como desenvolvimento profissional, que muitas empresas até o mensuram para bonificar ou elevar o colaborador a outros cargos.
           Dessa forma, considera-se o marketing pessoal um fator indispensável no atual contexto competitivo permitindo a exposição de atributos, competências e habilidades, e o reconhecimento dos profissionais de forma mais eficiente e eficaz nas organizações (CASTELO BRANCO, 2008).
     A mensuração de competências hoje é constante, pois são analisados conhecimento, habilidades e atitudes, estes, importantes para o melhor desempenho do profissional na organização. “Existem algumas competências que deviam estar presentes em todos os profissionais: a ética, a responsabilidade, a proatividade e o comprometimento com a organização” (RISOTA, 2011, p. 17).
     Atualmente as empresas observam cada vez mais as competências dos profissionais, tornando-se uma alternativa de grande valia na captação de novos colaboradores, e que segundo, Gramigna (2002), a gestão por competência torna-se um processo de enorme impacto nos resultados organizacionais, passando a ser observado de acordo com o que cada gestor observa no processo de seleção.
      Essas competências são trabalhas para desenvolver o marketing pessoal, construindo um perfil através de qualificação e desenvolvimento para sobrevivência profissional dentro das empresas. Esse diferencial do marketing pessoal introduz novas habilidades que estarão alinhadas juntamente com as idéias e planejamento do ambiente de trabalho.
      Nesse aspecto, uma ferramenta que busca o equilíbrio e a afinidade de desempenho da organização perante as ações de competências e habilidades dos seus profissionais, é conhecida por Balanced Scorecard (BSC), pois, conforme Vieira (2011), a sua principal é fazer com que múltiplos e diferentes objetivos organizacionais funcionem de modo colaborativo integrado e cooperativo entre si. Para Kaplan e Norton (1997, p. 16): O BSC é um instrumento que mede o desempenho organizacional em quatro perspectivas (financeira, clientes, processos internos e aprendizagem / crescimento), permitindo que a organização acompanhe o desempenho financeiro, monitore e ajuste a estratégia.
          Os pontos do BSC norteiam de forma positiva o profissional e ajudam a melhorar no seu diferencial, como: O financeiro, que busca criar novos indicadores de desempenho para melhoria da produtividade e redução de custos. Clientes, diz respeito ao alinhamento das estratégias do mercado a ser alcançados e a satisfação, a fidelidade e retenção de clientes. Os Processos internos, busca na organização o encontro dos pontos críticos e meios estratégicos para resolvê-los e assim melhorar a sua performance. Aprendizagem e crescimento, este ponto é considerado o mais importante, pois se trata da capacidade de motivação dos que compõem a organização, com investimento em aprendizagem e investimento em novos equipamentos para desenvolver o ambiente e assim ajudar na pesquisa e desenvolvimento de cada um. O conjunto dos pontos financeiro, clientes, processos internos do negócio e aprendizagem dão ao negócio uma visão estratégica de desenvolvimento em longo prazo.
               Nesse mesmo pressuposto, Goleman (2007, p.52) reforça que: A empatia é alimentada pelo autoconhecimento, quanto mais consciente estivermos acerca de nossas próprias emoções, mais facilmente poderemos entender o sentimento alheio. Partindo dessa conjetura devemos estar em constante busca para entender nossa estrutura emocional e desenvolvermos melhor o nosso potencial. Assim, no ambiente competitivo, o marketing pessoal torna-se uma ferramenta estratégica de suma importância para a valorização do capital humano, frente a processo que o conduz ao sucesso da sua própria imagem e marca pessoal no mundo atual.
          Cada vez mais os profissionais buscam profundas realizações, almejando amplos conhecimentos e habilidades aos quais potencializam sua capacidade de atender as exigências do mercado, destacando sua imagem, competências e habilidades, para que se tornem um diferencial atrativo para as empresas.

         Compreende-se por marketing pessoal uma estratégia eficaz em busca do sucesso profissional, construindo uma imagem positiva acerca do autoconhecimento profissional do indivíduo, levando em consideração a crescentes mudanças ocorridas no mercado.

            Dessa forma, perante toda a competitividade do mercado, a imagem pessoal do individuo deve fortalecer suas potencialidades, para que assim incida seu crescimento profissional no mercado de trabalho, contribuindo para a sua entrada e consolidação no mercado competitivo.

          Concretizar um marketing pessoal pode gerar resultados positivos a favor de quem o pratica, tornando- se uma ferramenta poderosa perante a tomada de decisão das empresas. Assim, a sua aplicabilidade promoverá a busca por um desenvolvimento e destaque no mercado de trabalho.
Portanto, o estudo mostrou a relevância de se construir uma imagem pessoal, por meio de estratégias, atitudes e comportamentos, integrando ao individuo uma carreira profissional e pessoal, ao qual promova seu aperfeiçoamento profissional e o alcance do seu crescimento desejado.

Referências

ABREU, Nelsio Rodrigues de; BALDANZA, Renata Francisco. Marketing Pessoal: ser e querer, percepção e visibilidade. Revista Científica Symposium, Minas Gerais, v.1, n. 2, p. 102-106, Jul. / Dez. 2003.
AMERICAN MARKETING ASSOCIATION (AMA). Board Approves New Marketing Definition. Marketing News, 1985.
BARBOSA, Alexandre de Freitas. O mundo globalizado. 5ª Ed. São Paulo: Contexto, 2010.
CARVALHAL, Durval. Marketing Pessoal. Revista da Fundação Visconde de Cairu, Salvador, v. 6, n° 12, 2005.
CASTELO BRANCO, Valdec Romero. Rumo ao sucesso: aprenda como transformar sua vida profissional em uma carreira de sucesso. Rio de Janeiro: E-Papers, 2008.
GOLEMAN, Daniel, PhD. Inteligência emocional: a teoria revolucionária que define o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.
GRAMIGNA, Maria Rita. Modelo de competências e gestão dos talentos. São Paulo: Pearson Makron Books, 2002.
KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estratégia em ação: balanced scorecard. 13 ed. São Paulo: Campus, 1997.
KOTLER, Philip. Marketing essencial: conceitos, estratégias e casos. 2 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2005.
LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Marketing de serviços. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2006.
____________________. Marketing: conceitos, exercícios, casos. 8 ed. – São Paulo: Atlas, 2009.
OLIVEIRA Neto, Pedro Carvalho. Marketing Pessoal: o posicionamento pessoal através do marketing. 6 ed. Fortaleza. 1999.
PAIXÃO, Márcia Valéria. Pesquisa e planejamento de marketing e propaganda. Curitiba: Ibpex. 2009.
RITOSSA, Mônica, Claudia. Marketing Pessoal: quando o produto é você. Ibpex.
2009.
____________________. Tópicos especiais de Marketing. Série Marketing Ponto a Ponto. Curitiba: Ibpex, 2011.
SANTOS, L. Marketing pessoal e sucesso profissional. Campo Grande: UCDB, 2002.
VIEIRA, William Robson Guaritá. A estratégia segundo o balanced scorecard: um estudo focado na perspectiva dos processos internos; 2011, Disponível: www.spell.org.br.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: competitivo comportamento marketing mercado de trabalho negócios pessoal seleção