5 pontos atuais que todo o líder precisaria saber

O acompanhamento das tendências de mercados referente a nossa profissão tem sido objeto de procura de muitos líderes. Aqui nós temos uma apresentação de 5 pontos atuais que todo o líder precisaria saber.

No filme “O Código da Vinci” produzido por Dan Brown, em certo momento questionada sobre os aspectos que envolvem a história da humanidade, a personagem Sophie Neveu vivida pela atriz Audrey Tautou diz que “Nem sequer gosto de história. Nunca vi muita vantagem em olhar para o passado.”

Afirmações como essa dentro da trama do filme reforçam o conceito de que se tem muito a conhecer e aprender com tudo aquilo que já aconteceu e que nada é novo na sociedade, apenas vivem se assuntos historicamente iguais em momentos diferentes da história.

No Livro da Sirácida, um texto da antiguidade escrito por volta de 200 a.C. contém reflexões orientadas para as pessoas daquele tempo, porém nada desatualizado para os dias de hoje. Entre diversos pontos citados no livro cabe destacar 05 pontos historicamente atuais que servem de reflexão para os lideres contemporâneos.

1. Valorização das Pessoas: A retenção intelectual é um ponto fundamental a ser observado pela liderança. O líder precisa ter a visão de detectar, trazer e manter motivado dentro da equipe as pessoas chaves; e direcioná-las para os objetivos comuns da organização. Diz o livro que três coisas deixam a sociedade irritada. Um homem de guerra que perece na indigência, um homem sábio que é desprezado e um homem da justiça que passa praticar as injustiças.

2. Evitar problemas de relacionamento dentro do grupo: O espirito de grupo é outro ponto fundamental a ser observado pela liderança. O líder precisa ter a sabedoria e perspicácia para detectar qualquer forma de problemas de relacionamento e então resolvê-los com base na verdade e na confiança mútua. Diz o livro que quando se evita a desavença, se diminui a quantidade de erros.

3. Acompanhamento do desempenho do ser humano: A observação diária do desempenho técnico e, sobretudo do desempenho psicológico das pessoas do grupo é outro ponto fundamental a ser observado pela liderança. O líder precisa detectar as variações comportamentais das pessoas do grupo e achar a fina linha tênue entre os aspectos profissionais relacionados a sobrevivência do empregado dentro da organização e os aspectos pessoais que são necessários para a sobrevivência física do indivíduo. Diz o livro que mais vale um pobre sadio e vigoroso, do que um rico enfraquecido e atacado pelas doenças.

4. Criação de um ambiente saudável de trabalho: Partindo do principio que as pessoas passam mais tempo dentro do trabalho do que em casa, o ambiente de trabalho é mais um ponto fundamental a ser observado pela liderança. O líder tem a responsabilidade máxima de criar um ambiente agradável de trabalho para todos os envolvidos nas atividades. O objetivo comum do grupo de trabalho sempre vai ser o objetivo corporativo, porém a diferença vai estar em como o líder vai conduzir calmamente as situações diárias dento do grupo. Diz o livro que a ira abrevia os dias e a inquietação acarreta a velhice antes do tempo.

5. O feedback e o direcionamento das pessoas: Os liderados sempre veem no líder um modelo a ser seguido. A maneira em que o líder se manifesta junto aos seus liderados é o ultimo ponto fundamental citado a ser observado pela liderança. O líder precisa direcionar corretamente o seu grupo de trabalho no sentido dos objetivos da empresa, dando a eles sempre o retorno positivo de suas atividades e tratando a partir da sua responsabilidade os retornos negativos observados. Diz o livro que todo o conselheiro tem uma opinião, porém há conselheiros que só tem em vista os seus próprios interesses.

Não é a primeira vez que temas como esses com foco em liderança são tratados buscando respostas em situações do passado. Na famosa “entrevista” do guru da administração “Reynold Remh” ao administrador e escritor Max Gehringer são citadas algumas “respostas criativas às grandes questões sobre o mercado de trabalho”.

Nesta entrevista, Max Gehringer faz algumas perguntas relacionadas ao mercado de trabalho e “Reynold Remh” responde baseado na ‘sua experiência’:

Max Gehringer: Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo?

“Reynold Remh”: Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprendermos. É por isso que sofremos. Trabalhar em excesso é como perseguir o vento. A felicidade só existe para quem souber aproveitar agora os frutos do seu trabalho.

Max Gehringer: O profissional do futuro será um individualista?
“Reynold Remh”: Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho, porque se cair, não terá ninguém para ajudá lo a levantar-se.

Max Gehringer: Que conselho o senhor dá aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho?
“Reynold Remh”: É melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos. Elogios vazios são como gravetos atirados em uma fogueira.

Max Gehringer: E para os funcionários que tem chefes centralizadores e perversos?
“Reynold Remh”: Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.

Max Gehringer: O que é exatamente sucesso?
“Reynold Remh”: É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando, ao mesmo tempo, sua riqueza e sua desgraça.

Desta maneira, Max Gehringer finaliza ressaltando as “belas e sábias respostas” de “Reynold Remh”.

No mundo onde vivemos sempre haverá respostas para as perguntas do nosso tempo, porém é necessário que o administrador busque insistentemente as melhores respostas para o seu dia-a-dia, pois num mundo globalizado ‘quem tem um olho é rei’.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Administração Ambiente de trabalho Gestão Gestão de Pessoas Liderança

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração