16 coisas para saber antes de se candidatar a uma vaga de emprego

Dicas importantes sobre currículo e processo seletivo que todo candidato deve saber antes de se candidatar a uma vaga de emprego

iStock

Passar por um processo seletivo quando estamos em busca de um emprego pode ser algo que traz bastante ansiedade. Afinal, nem sempre se sabe ao certo quais são os critérios de escolha para encontrar o profissional ideal para a vaga. Mas a boa notícia é que existem algumas ações bem práticas e que qualquer pessoa pode utilizar como estratégia para tentar conquistar a vaga, independente de sua área de atuação.

São atitudes simples, mas que fazem uma grande diferença, seja por facilitar a vida do recrutador ou simplesmente por disponibilizar informações de maneira clara e precisa – o que na maioria das vezes não acontece.

A primeira dica e arrisco dizer que talvez seja a principal delas é: é ter em mente a imagem que você passa. Por isso pergunte a si mesmo: por que esta empresa me contrataria? Qual é o meu diferencial frente ao mar de currículos enviados? Procure ser franco e sincero pois, responder a essas questões ajuda a deixar mais claro em sua cabeça o profissional que você é.

Outro ponto importante é saber o que quer e deixar isso claro em seu currículo e no momento da entrevista. Aqui o ditado “para quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve” é uma grande cilada isto porque a maioria das empresas buscam profissionais que saibam exatamente o que podem fazer pela organização. Lembre-se que o objetivo é se destacar e não fazer mais do mesmo ou se mostrar desesperado por qualquer tipo de emprego, sem ao mesmo saber se você seria capaz de desempenhar o papel.

Demonstrar profissionalismo já no primeiro contato também pode fazer com que você seja interessante para a empresa porque nenhum recrutador busca alguém simplesmente para preencher uma vaga. Normalmente, existe um perfil pré-definido. E aí, com base nessas informações, os recrutadores vão em busca de pessoas com perfis que melhor se encaixam nesta vaga.

E para que você se sinta mais seguro ao se candidatar a um processo seletivo, compartilho com você 16 dicas para se destacar entre tantos profissionais e currículos. Elas são simples e práticas, mas que fazem uma grande diferença em um processo seletivo, confira:

Como é a estrutura do seu currículo

O que o recrutador procura em um currículo é clareza e objetividade. Então, organize as informações de uma forma que fique fácil de serem compreendidas, deixe de lado informações desnecessárias para este primeiro contato e nada de colocar número de documento ou coisas do gênero. No início do currículo informe seu nome, telefone, idade e escolaridade, isso é mais do que o suficiente para analisar se um candidato passa ou não para a fase de entrevistas.

Quando se deve  e quando não se deve colocar o cargo pretendido

Esta é uma dúvida muito recorrente. E a resposta é: depende. Colocar o cargo pretendido ou não depende muito se a empresa está com o processo seletivo aberto para a vaga. Se sim, não é necessário colocar cargo pretendido no currículo, mas se envia-lo por e-mail, pode ser interessante colocar no título a vaga da qual está se candidatando. Mas você não sabe se a empresa está contratando mas gostaria muito de deixar seu currículo para tentar uma oportunidade, o ideal é colocar. Outro ponto importante é que se deve tomar cuidado para não sair colocando inúmeros cargos no mesmo currículo para aproveitar o documento e assim poder enviar para várias empresas. Isto pode passar a impressão de que você não sabe o que quer, então por que a empresa deveria saber? 

Experiências anteriores são importantes, mas cuidado para não pecar pelo excesso

Colocar todas suas experiências profissionais pode trazer mais confusão do que esclarecimentos ao recrutador, quanto ao seu currículo, além de deixa-lo maçante e cansativo. O terror de quem analisa currículos é ter que montar um quebra-cabeças profissional do candidato, ainda mais se a vaga é bastante concorrida. Minha dica para mostrar suas experiências profissionais anteriores é: aposte em suas três últimas e escreva o que fez em cada uma delas de maneira clara e direta – Um parágrafo além do cargo, empresa e tempo em que desenvolveu a função são suficientes.

Diga-me com que fonte escreves, que direi quem você é

Que as informações precisam ser claras e precisas, isso você já sabe. Mas talvez o que não saiba é que a fonte (letra) utilizada pode falar muito sobre seu perfil profissional. Receber um currículo em fonte comic sans colorida por exemplo, pode passar a ideia de que você é uma pessoa alegre porém também pode dar a impressão de infantilidade. Neste caso é melhor pecar pelo excesso de cautela do que pela falta dela.

Fontes como Arial ou Times New Roman são clássicas e, portanto, recomendadas. Além disso, elas se enquadram ao padrão ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

 A forma como você salva seu currículo pode também salvar sua vida

Esse detalhe pode parecer não ser importante e nem fazer uma grande diferença. Mas o ideal é salvar em formatos que não permitem edição, como PDF por exemplo. Tome cuidado com a identificação também, isso é fundamental. Nada de colocar nomes como “currículo revisado”, “Curriculum vitae” ou ainda tentar ser criativo demais. Coloque apenas “currículo” - para identificar o documento - seguido de seu nome e sobrenome. Conforme o exemplo a seguir: currículo_Gisele Meter.

Parece meio obvio, mas vale lembrar: Se candidate à vaga somente se dominar profundamente o que é solicitado (essa regra só pode ser quebrada se o perfil da vaga não exigir experiência prévia)

Esta dica é válida para cargos mais técnicos, ok? Se a empresa busca um assistente financeiro, nada de se candidatar se a sua experiência for de assistente de recursos humanos. Existem cargos que por mais semelhantes que sejam em sua nomenclatura, se diferenciam bastante em suas atividades. Outro ponto são os termos técnicos específicos de cada função. Um assistente financeiro, trabalha com números, conciliações bancárias e outros afazeres, diferente de quem trabalha com recursos humanos. Aí, muito provavelmente, a pessoa não vai ter familiaridade com os termos e atividades a desenvolver. Achar que sabe é diferente de saber realmente, cuidado para não se deixar enganar.

Se candidatar a uma vaga de maneira personalizada faz a diferença

Por mais que você envie inúmeros currículos, personalizar seu contato, faz uma grande diferença. Escreva uma mensagem cordial quando enviar seu currículo por e-mail, ou encontre um envelope diferente e que passe uma imagem profissional para entregar pessoalmente. Existe uma chance maior de a pessoa que receber notar seu empenho e sua tentativa de se mostrar um profissional mais bem preparado que a maioria. E saiba que há uma grande chance de seu currículo não ser selecionado se você enviar o anexo sem uma mensagem de apresentação ou entregar em um envelope em branco sem identificação e que pode se perder facilmente.

Mas lembre-se: personalizar não significa que deve tentar ser íntimo de alguém que nem sequer você conhece.

 Sua entrevista já começa no primeiro contato telefônico do recrutador

Se você passou pela primeira etapa do recrutamento, saiba que existe a segunda parte, que é a seleção dos currículos que mais se encaixam ao perfil da vaga. Neste momento, candidatos são observados desde o primeiro contato telefônico. Se você está participando do processo seletivo e receber uma ligação de número desconhecido, atenda com cordialidade e entusiasmo. Você nunca sabe se aquela pode ou não ser a ligação para o agendamento da entrevista. Procure ser claro e passar as informações o mais direto possível, além de se certificar que entendeu direito informações como local da entrevista, data e horário. E nada de estender o papo, este é um contato profissional e não uma conversa com um amigo.

Sim, roupa é importante para a entrevista

Como se vestir para uma entrevista de emprego depende muito de quem você é, a imagem que quer passar e a própria cultura da empresa que você está se candidatando a uma vaga. O ideal é usar o que te faz se sentir bem, que te deixe se sentindo com aparência profissional e que seja confortável. De nada adianta usar salto alto e tailleur ou ainda terno e gravata se estes não são trajes dos quais você está acostumado a usar durante o trabalho ou se a empresa é um ambiente mais descolado.

Faça a lição de casa e não banque o candidato despreparado

Estude a empresa antes da entrevista. Olhe o site, as redes sociais e o que mais for necessário para ter informações que podem ser relevantes. Saber a história da organização, o setor ao qual pertence, seus produtos ou serviços e suas principais conquistas podem ser um diferencial e tanto.

Horário é sagrado

Mesmo que já esteja cansado de saber, não custa lembrar que horários devem ser cumpridos. Procure chegar alguns minutos antes (10 minutos é um número ideal). Isto porque, normalmente, entrevistas são marcadas seguidas umas das outras, e se atrasar pode fazer com que o recrutador saia daquilo que se planejou. Para que isso não aconteça é preferível chegar antes e ter tempo para colocar as ideias em ordem em vez de chegar atrasado e deixar que o nervosismo te impeça de mostrar aquilo do que você é capaz.

É melhor um currículo na mão do que nenhum na entrevista

Leve uma cópia impressa do seu currículo, isso pode ser bastante necessário caso o recrutador solicite. No entanto, guarde-o em um envelope ou numa pasta, de modo que se mantenha limpo, protegido e sem marcas. Colocar seu currículo bem na sua frente durante a entrevista, pode demonstrar que você não está seguro das informações que estão ali. Neste caso, também vale a dica de colocar a pasta no colo ou mais a sua direita em cima da mesa, de modo que não possa tocá-la mas esteja a disposição caso o recrutador solicite.

Lembre que corpo fala e o seu não é diferente

Durante a entrevista, sente-se de maneira reta, mas não tensa. Sorria se sentir que isso pode quebrar o gelo e mantenha os músculos do rosto relaxados. Uma expressão tensa pode conferir um ar pesado à sua fisionomia. Coloque os antebraços na mesa se isso te passar mais segurança e evite se balançar na cadeira. Muita gente quando está nervosa, tende a balançar os pés ou a cadeira se ela for giratória sem se dar conta disso.

Quando o candidato fala mal de uma empresa, se sabe mais do candidato do que da empresa

O foco da entrevista deve ser na sua qualificação profissional e no cargo que você pretende conquistar dentro da empresa. Falar mal de lugares onde trabalhou antes ou de chefes passados, além de ser completamente deselegante pode passar uma imagem negativa. Se sua última experiência não foi boa, limite-se a falar do seu desempenho e das funções exercidas, isso pode te salvar de uma bela enrascada.

O período da entrevista pode fazer diferença 

Se for no início da manhã ou após o almoço, a conversa pode ser um pouco mais prolongada porque o recrutador pode estar mais disposto fisicamente e isso influencia bastante. Entrevistas perto do horário de almoço ou ao final da tarde devem ser mais diretas, isto porque o entrevistador pode estar com fome ou cansado. Isso não é uma regra para todas as empresas, mas pode acontecer. Procure ficar atento a estes sinais, eles são muito importantes.

 Se não estiver seguro de si, não passará segurança a nenhum recrutador

Algumas perguntas são feitas para testar sua segurança profissional acerca daquilo que sabe. E por fim, de nada adianta seguir todas essas dicas se você não tiver aquilo que é fundamental: confiança em si mesmo. Alguns recrutadores testam sua autoconfiança com perguntas que em um primeiro momento parecem sem sentido, mas que podem mostrar muito sobre quem você é. Tenha em mente quais são seus pontos fortes e também quais são os pontos que precisa melhorar (sempre há algo que podemos ser melhores), mas não deixe que isso te traga insegurança. O objetivo é você estar bem para encarar qualquer desafio, e não o contrário.

E saiba: Seguir  todas as dicas acima não são garantia de conseguir um emprego, mas fazem com que você saiba o que muitos recrutadores também avaliam além das tradicionais perguntas na hora da entrevista, garantindo assim que você tenha maiores chances quando se candidatar a uma vaga. 

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: carreira emprego recursos humanos

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração