Mais comentada

A diferença entre o empregado do passado e o funcionário do amanhã

O funcionário do passado é um mero repassador de problemas para o seu chefe, pois só traz o "problema", mais nunca chega com a solução ou alternativas para resolver os problemas

Há pessoas que ainda se comportam como empregados de um tempo que já passou, ou não volta mais. O empregado do passado é aquele que ainda insiste em permanecer na zona de conforto, encara a estabilidade como sua garantia eterna e rejeita todas as mudanças ou inovações.


O empregado do passado é adepto permanente da cultura do "papel", ou seja, quanto mais documentos ou folhas para compor um determinado processo ou atividade, melhor para ele, porque vai alegar que "sempre foi assim". Mesmo que você chame o funcionário do passado para conversar, ele não dar razão a uma eventual mudança de processo. Vai preferir continuar sem as facilidades das ferramentas informatizadas ou apegado a restrita moldura do seu entendimento.

O funcionário do passado é um mero repassador de problemas para o seu chefe, pois só traz o "problema", mais nunca chega com a solução ou alternativas para resolver os problemas. Acha que já aprendeu tudo sobre o seu serviço, e não busca estudar, fazer cursos ou se aperfeiçoar no âmbito profissional ou pessoal. Fica parado, aguardando que alguém faça alguma coisa que possa sanar aquele óbice ou dificuldade na empresa, menos ele mesmo. Só faz o que é previsto, ou as vezes não faz nem metade do que está descrito nas suas funções.

Em vez de melhorar, prefere reclamar da vida, falar das outras pessoas, e deixar o tempo passar, pois é discípulo da  música do Zeca Pagodinho (deixa a vida me levar).

O funcionário do amanhã é pro-ativo, é um entregador de soluções, quando chega na sala do chefe, passa o problema, mas também coloca as suas sugestões para superar os óbices ou dificuldades. Ele vai além do que é previsto, pois é um profissional outstand (acima da média). O funcionário do amanhã procura competir diariamente com ele mesmo, pois sabe que pode elevar a cada dia o seu potencial. Está sempre fazendo cursos, frequentando palestras e seminários, lendo livros, enfim tudo que seja útil para aprender constantemente. Ele sabe que o sucesso depende unicamente dele mesmo, da sua capacidade de se reinventar a cada dia.

O funcionário do amanhã não fica na zona de conforto, pois ele nutre sonhos, quer mais em termos de agregar valor para a sua vida e a dos outros. Então ele encara os problemas e desafios de frente, pois sabe que pode sempre aprender, até mesmo com os erros, pois constituem  degraus para o seu sucesso.

Diante da atual crise de emprego, você quer ser o empregado do passado ou o profissional do futuro?

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Colaborador Futuro Passado

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração