A xarada do meu avô Antônio

Na infância, eu achava meu avô Antônio um cara muito inteligente. Numa noite em especial, eu o vi com o dedo polegar erguido, mirando na lua. Enquanto fazia isso, fechava um dos olhos. Vendo aquilo, cheguei perto e perguntei: “o que você está fazendo vovô?”, e eis que sua resposta me surpreende: “estou escondendo a lua Paulinho. Meu dedo é maior do que ela. Fique aqui nesta posição, e olhe por detrás dele e tente enxergar a lua”.

Eu fiz o que ele mandou, e não consegui ver a lua. E aí ele me surpreendeu mais uma vez, em outras palavras, dizendo: Paulinho, no dia em que conseguir ver a lua através do meu dedo, você será um homem de sucesso.
Essa cena foi marcante, e nunca mais me esqueci das palavras do meu avô, mesmo ele tendo falecido poucos meses após aquele momento. Por um tempo até achei que nunca mais teria sucesso, afinal, já não seria mais possível ver a lua através do dedo dele.
Mas um dia eu contei essa história para a minha avó, e ela me disse: “Paulinho bobo, era só você ter se movimentando um pouco, ou ter ficado com os dois olhos bem abertos”. Aí eu passei a achar a minha avó o máximo, pois ela desvendou a xarada:

SE VOCÊ QUER ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS, NÃO IMPORTA O QUE OS OUTROS DIZEM. MOVIMENTE-SE CORRETAMENTE, COM OS DOIS OLHOS BEM ABERTOS, E VERÁ O QUE PARECIA INVISÍVEL, E ATINGIRÁ O QUE PARECIA INATINGÍVEL.

Acompanho muitas pessoas dedicadas, comprometidas com o sucesso da carreira, dos seus negócios, porém, muitas delas vivem desgastadas, cansadas, exaustas, e meio perdidas em relação aos caminhos que escolheram. Se mexem para lá e para cá, mas, sentem que todo esse esforço pelo sucesso está trazendo poucos resultados, ou, mesmo que sejam bons, estão atrapalhando outras áreas da vida.

O que estão fazendo errado? Estão agindo, metaforicamente, de “olhos fechados”, ou seja, com a visão distorcida, embaçada, como mencionei na introdução. Nesse caso, os movimentos que fazem estão na direção errada, ou nem se mexem, como fiz diante da ordem do meu avô.

Eu tive um amigo na faculdade que chegava extenuado toda noite, e frequentemente dormia em sala de aula. Era visível seu cansaço e estresse. Um dia perguntei a ele, qual a razão de tamanho empenho no trabalho, que causava tanto desgaste na vida dele? “Bem Paulo, essa é a minha vida, eu preciso trabalhar, e pronto”. Fui mais adiante e disse: “Sim, praticamente todos nós temos que fazer isso. Mas, qual a razão de você estar trabalhando dessa maneira? Olha só como você chega todas as noites na faculdade, totalmente destruído, exausto. ” Novamente me disse: “Paulo, essa é minha rotina, é assim que as pessoas vivem, meu objetivo é pagar as contas, comer, beber... é isso. Se eu não agir assim, como será meu futuro? E vamos parar a conversa, preciso estudar!”

Hoje, eu diria ao meu amigo: “Quem sabe se você parar de agir dessa maneira, vibrando numa frequência completamente contrária ao seu sucesso, e expandisse sua visão, veria além do óbvio, e aí sim seu futuro seria melhor, porque o simples fato de estar enxergando algo, e se mexendo, pode não significar muita coisa”.
Talvez você conheça pessoas com esse comportamento, que vivem na correria, cansadas, estressadas, ansiosas, com medo do futuro, que repetem o mesmo ritmo todos os dias, fazendo as mesmas coisas, com ciclos viciosos, e que não sabem bem ao certo por qual motivo agem assim. Quem sabe você mesmo passou ou esteja passando por algo parecido.

Além dessas pessoas, há aquelas que dizem que fazem tudo o que fazem em busca do sucesso, contudo, sem a menor noção do que ele significa. Muitas pegam o conceito de sucesso dos outros e correm atrás disso. Outras, veem parentes, colegas, amigos, ganhando muito dinheiro em determinado ramo, julgam que aquilo é sucesso, e passam a atuar no mesmo segmento, negócio ou empresa. Na maioria das vezes, não conquistam o que queriam, e ainda atrapalham o negócio dos outros.

SEGUIR CONCEITOS ALHEIOS DE SUCESSO, É O MESMO QUE IR À CHURRASCARIA SENDO VEGETARIANO. AO CHEGAR LÁ, VOCÊ NÃO IRÁ SE IDENTIFICAR COM A COMIDA.

E claro, há um terceiro grupo de pessoas, que não se mexem para lado nenhum, ou fazem pequenos movimentos, e desistem ao primeiro sinal de dificuldade.
Eu as chamo de pessoas primeiro de janeiro. Elas, anualmente, fazem as mesmas promessas de mudanças, com a certeza de que farão tudo para que no novo ano, as coisas sejam diferentes. O problema é que elas esperam que o ano mude, que as empresas mudem, que o governo mude, que o mercado mude, em vez de elas mudarem suas atitudes.

Obviamente que as promessas não serão cumpridas, e o ano novo será uma repetição dos anos passados. Infelizmente, até o próximo primeiro de janeiro, a vida delas será uma metralhadora de reclamações, lamentações, arrependimentos e desculpas.
Pode ser que você já tenha feito isso, mas, está na hora de assumir o máximo controle da situação, e parar de prometer, para começar a fazer. E você sabe que é capaz disso.
Um dos maiores problemas de vivermos dessas maneiras: - agirmos de olhos fechados, repetindo os mesmos movimentos sem estarmos felizes com os resultados; não termos um conceito próprio de sucesso; e esperando que tudo mude -, é que vamos criando problemas em outras áreas, desgastando a relação conjugal, com os filhos e amigos, colegas de trabalho, com os clientes, o que deixa qualquer um estressado, ansioso, e sem forças e entusiasmo para mudar o cenário que nós mesmos fomos construindo com o passar dos tempos.

Além disso, corremos o risco de jogamos fora oportunidades excelentes. Como estamos em meio a tantas dúvidas, angústias, acomodados, ou num estresse e correria diários, não conseguimos definir, verdadeiramente, o que queremos, o que pode nos levar a concluir que nenhum caminho que estamos seguindo é o qual deveríamos seguir.
E provavelmente não seja mesmo. Muita gente troca de profissão, de empresa, de negócio, de sócio, por achar que eles são o problema, sem perceber que, geralmente, o problema é o jeito que estão levando a carreira e a vida pessoal.
Isso tudo é muito perigoso, e não parece valer à pena viver como se um trator tivesse passado por cima de você no fim do dia, vivendo num ritmo frenético e sem direção, ou paralisados e acomodados.

Eu também já vivi angustiado a procura do sucesso e conclui que: a maioria de nós não sabe o que é sucesso, por esse motivo, corremos o risco de estar do lado do sucesso, mas não o reconhecermos. É mais ou menos como naquelas histórias em que a filha procura a mãe desaparecida há vinte anos, ou, vice-versa, e, de repente, descobrem que trabalham juntas, na mesma fábrica de móveis da cidade. Apenas não se reconheceram.

Como conquistar alguma coisa sem ter ideia do que e como ela é? Isso é pior do que procurar agulha no palheiro.

Na história da Alice no País das Maravilhas, em determinado momento, o Gato de Cheshire diz que se a Alice não sabe para onde vai, qualquer caminho serve. Isso está errado: a partir de um dado momento, para quem não sabe para onde vai, nenhum caminho serve. Se você quer chegar a algum lugar em relação ao sucesso, é melhor definir o que, onde e como é esse lugar.

A PARTIR DE UM DADO MOMENTO, PARA QUEM NÃO SABE PARA ONDE VAI, NENHUM CAMINHO SERVE.

Isso significa que o quanto antes definir aonde quer chegar, mais fácil será sua jornada.
Outra coisa que precisamos aprender em relação ao sucesso é que ele tem o poder da metamorfose. Ou seja, o que antes parecia sucesso e nos agradava, hoje, amanhã ou em pouco tempo, já não nos satisfaz. E o que jamais pensamos que um dia significaria sucesso, em algum momento da nossa vida, começa a fazer todo o sentido.

Quando eu era adolescente, e jogava futebol, não via sentido nos aquecimentos que as pessoas com mais de quarenta anos de idade faziam antes dos jogos, nem nos alongamentos depois. Bem, sei que o sucesso da saúde física deles na época (e minha hoje), depende disso. Como eu disse, muitas coisas que parecem não ter qualquer significado, um dia vão revelar seu grande valor.

Ao compreendermos o que é sucesso, e que ele é mutável, automaticamente teremos mais condições para alcançá-lo, aliás, aguçamos nossa visão para o que é necessário e importante ver, direcionando assim nossas ações.

Ao descobrimos que por não ser algo estático, o sucesso não vem embalado como um doce que você compra no supermercado. Se ele é mutável, nossa visão percebe que não podemos ficar paralisados, nem repetindo os mesmos movimentos, mas sim, que devemos acompanhar o seu ritmo e mutabilidade.

SUCESSO NÃO É ALGO ESTÁTICO, EMBALADO, COMO UM DOCE QUE VOCÊ COMPRA NO SUPERMERCADO.

Diante de tudo isso que descobriu até agora, talvez tenha se feito algumas perguntas, como: “Que carreira devo seguir? Devo mudar de emprego, abrir um negócio próprio, ou ir falar com meu chefe sobre uma promoção? Será que preciso mudar completamente os rumos da minha vida profissional e, quem sabe, pessoal?”

Não se estresse tanto. Essas são aflições comuns que todo ser humano compartilha durante a vida. Só há excesso de angústia e aflição quando deixamos de criar nossa própria ideia de sucesso, e associado a isso, transferimos a responsabilidade por ele aos outros. Sem essa criação e assunção de responsabilidade, as respostas para nossas angústias e tantas outras perguntas, somem pelo ar como a fumaça, levando para longe aquilo que o sucesso mais tem de proporcionar: felicidade!

Quem consegue compreender o verdadeiro significado dos seus vários sucessos, aprende a reconhecê-lo durante toda a jornada existencial, e não se preocupa em conquistá-lo, mas sim, em aproveitá-lo. Sabendo disso, faz os movimentos certos, e as análises necessárias para executar melhor seus planos, para depois avançar rumo à frequência correta, para enxergar a “lua” por detrás de qualquer obstáculo!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: #atitude361,5º #carreira #palestras #professorpaulosergio #sucesso #visão361,5º