Mais comentada

As expectativas do mercado de trabalho no exterior

Saiba mais

A crise aliada ao aumento da violência no Brasil tem levado diversas pessoas a buscarem por novas oportunidades no exterior. Canadá, Estados Unidos, Irlanda e Austrália estão entre os destinos preferidos para aqueles que clamam por segurança e qualidade de vida, ainda que temporariamente. Cada país, no entanto, tem as suas exigências, demandas específicas e estabelece as suas políticas e regras. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, é importante compreender o tipo de espaço aberto, de fato, para os brasileiros em cada lugar no cenário internacional e alinhar com as suas metas.

É importante ponderar que as pessoas possuem expectativas distintas quando procuram o mercado de trabalho no exterior. Muitas, atualmente, desejam uma mudança definitiva e optam pela imigração com a finalidade de recomeçar, iniciar uma nova vida fora do nosso país. Outras, no entanto, desejam algo temporário, seja para pagar parte do estudo em outro país ou mesmo viver uma experiência internacional que agregue valor ao currículo, propiciando uma ascensão de carreira ao retornarem... Este último grupo de pessoas, pensa apenas em “dar um tempo” do Brasil.

As diferentes expectativas devem ser norteadoras da tomada de decisão em relação ao destino, principalmente para que não haja frustração. Para aqueles que desejam trabalho temporário, por exemplo, a Irlanda e a Austrália oferecem muitas oportunidades, logo quando a pessoa desembarca no país. Na Irlanda, contudo, entre outras regras, o visto de trabalho só é garantido para estudantes que se proponham a estudar no mínimo por 25 semanas no país e as atividades laborais, inicialmente, voltam-se a serviços para auxiliar em cozinhas de restaurantes, arrumação de quartos em hotéis etc. No entanto, quanto maior a proficiência no inglês, maximizam-se as possiblidades de conseguir trabalhar no front office e nas áreas relacionadas a sua profissão original no Brasil.

Nos Estados Unidos, aqueles que se propõem a estudar em uma universidade por mais de 9 meses, conseguem, posteriormente, o direito ao visto de trabalho por 1 ano. No Vale do Silício, inclusive, um dos cursos que oferecemos garante emprego com ganhos médios de 75 mil dólares ao ano, após o estudante adquirir a certificação. Nesse caso, os alunos que se destacam possuem grandes chances de serem contratados definitivamente pelas renomadas empresas da região (ex.: Facebook, Google, LinkedIn, Amazon, entre tantas outras) e, também, para aqueles que desejam retornar ao Brasil as ofertas de trabalho são ampliadas, já que o período de estudo e trabalho nos EUA traz um diferencial competitivo indiscutível ao currículo.

No Canadá, destino preferido dos brasileiros, a história é um pouco diferente e, por isso, daremos enfoque maior. Neste país, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, não é simples conseguir permissão de trabalho rapidamente e a experiência profissional “levada na bagagem” pode não ter importância, inicialmente, para as empresas locais. Os canadenses valorizam bastante a formação no próprio país e, geralmente, o modo mais efetivo de conseguir trabalho legal é, primeiramente, realizar um curso em uma faculdade local (duração média de 1 e 2 anos) e, preferencialmente, em paralelo, conseguir um trabalho voluntário, já que esta atividade tem o seu diferencial no currículo perante os recrutadores.

Entre as províncias que se destacam na lista dos melhores lugares para encontrar trabalho no Canadá, segundo a Edição de 2017 do Relatório do Mercado de Trabalho do Banco de Montreal, aparece Ontário, especialmente nas redondezas de Toronto, maior metrópole canadense.

Apesar das áreas de Saúde, Engenharia e TI aparecerem no topo das oportunidades que mais crescem no mercado canadense, são muitas as possibilidades para todos que estejam dispostos a recomeçar e seguir as diretrizes específicas do país. E, para além do estudo e trabalho voluntário, sugerimos aos interessados, antes de “se lançarem” nesta nova empreitada, considerem também os 7 itens abaixo:

• Possuir nível avançado no inglês e, dependendo da cidade, também no francês. É o mínimo para aqueles que desejam ingressar neste mercado.
• Conhecer a cultura canadense, principalmente porque o comportamento, por exemplo, é bastante diferente do nosso. Os canadenses pedem desculpa até pelos erros que não cometem, são abertos e convivem bem com a diversidade em todas as situações, costumam ser formais e rejeitam uma proximidade maior ao se cumprimentarem. Enfim, na hora da entrevista de emprego, dominar as questões acima é fundamental.
• Treinar para entrevistas com base nesta cultura, essencialmente considerando os aspectos já mencionados.
• Construir e adaptar o seu currículo, até mesmo porque as informações exigidas no currículo canadense são diferentes. Por exemplo, jamais coloque sua idade, status marital, endereço ou último salário. No Canadá, este documento deve ser redigido com foco somente em suas competências, sua experiência profissional e formação. Dados pessoais não se enquadram! Além disso, inclua apenas as informações relevantes e verdadeiras sobre as suas habilidades profissionais, sem florear demais.
• Validar o seu diploma brasileiro no país, isso poderá ser considerado para dar continuidade a seus estudos no Canadá. Depende da área de formação.
• Criar e manter o seu perfil no LinkedIn atualizado, pois muitos headhunters acessam globalmente esta mídia e algumas empresas, inclusive, só abrem as suas vagas por este meio.
• Acessar os melhores sites de vagas de emprego locais, entre as quais indeed.ca; monster.ca; LinkedIn Jobs.

O mundo é repleto de possibilidades. Descubra o seu lugar e corra atrás do seu sonho!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)