Mais comentada

Como ser um bom profissional

Como se encaixa nas equipes? Você é engrenagem ou motor? Apenas segue o sistema ou contribui com POTÊNCIA?

A economia do nosso país está em meio a uma recessão, mas no mercado, principalmente no âmbito especulativo, crises se TRANSFORMAM em oportunidades. Mas e você? Empresário, colaborador, alguém que se encontra disponível. Como está sua situação? Seu ponto de vista?

Sua resiliência e potencial profissional estão à PROVA. Saiba que não está sozinho neste cenário, assim como é sempre bom saber que há maneiras de não apenas se levantar, mas alçar voo.

 

Sigam-me, os bons!


Como devem observar houveram cortes nas equipes de diversas empresas, algumas vieram até fechar as portas. Outras estão se mantendo como podem, traçando novas ESTRATÉGIAS. Mas sempre haverá aquele percentual, as quais seus diretores estarão cortejando seu auge, vendo oportunidades na crise.

Pois bem, o que essa dinâmica destaca é uma importante premissa: maior índice de pessoas QUALIFICADAS à disposição. Ao menos é o que se espera. Nesta situação, é imprescindível organizar equipes produtivas, com pessoal que atendam não apenas à função básica, mas também que traga o DIFERENCIAL, além da habilidade de trabalhar em grupo – por sinal algo que está sendo o grande desafio desta nova safra de profissionais. As empresas falam em alto e bom som: Sigam-me os bons!

 

Engrenagem ou motor?

 

Profissionalmente dizendo, o que você está fazendo hoje? Qual sua ocupação? Está empregado, disponível ou empreende?

Partindo do princípio básico que todos PRECISAM de renda para sobreviver ou ainda, quando é o caso, gostariam de ter condição para realizar seus maiores desejos, pergunte-se sobre todas as maneiras que conseguiu renda até o momento, questione se encontrou FELICIDADE em alguma dessas atividades. E então, você está feliz com o que sabe fazer?

Se a resposta for positiva, passe sua história ADIANTE! Acredite! Atitudes como essa pode lhe proporcionar mais sentido à vida, profissional e pessoal, do que imagina. Mas se a resposta for negativa, não se preocupe, você está no maior grupo de pessoas. A parcela da sociedade que ao final dos dias sente algo que chamam de FRUSTRAÇÃO, é considerável.

Gostar do que faz é um grande passo para ser “bom”, mas ainda não garante que seja. O grande segredo é o CONJUNTO da obra. Hoje em dia, para as empresas, o currículo é apenas um detalhe, a entrevista é a porta de entrada, porém a atuação no palco é o diferencial. A pergunta-chave que as organizações estão fazendo é a seguinte: Como pode AGREGAR para nossa equipe?

Então reflita: Como se encaixa nas equipes? Você é engrenagem ou motor? Apenas segue o sistema ou contribui com POTÊNCIA?

 

Diferencial: não é o pote de ouro, mas te põe no caminho até ele

 

O diferencial pode ser um conhecimento mais regrado, atitudes além do que se espera, saber conduzir um diálogo, etc. É importante não confundir “ter o diferencial” com “ter resposta para tudo”, pois agir dessa forma é estressante, tanto para você quanto para o AMBIENTE. Dar oportunidade e incentivar os colegas gera muita credibilidade, além de contribuir para equilíbrio das relações e DESENVOLVIMENTO pessoal. Visualizou o caminho?

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: Administração ambiente carreira celso willian palma colaborador comportamento conhecimento crise currículo desemprego desenvolvimento dicas diferencial economia empreendedorismo emprego entrevista equipe estrategia felicidade frustração oportunidade potencial produtividade recrutamento recursos humanos seleção sucesso