Do you like your life?

Ter a vida que se quer com possibilidade de evolução constante é um fator que influencia a performance profissional.

O título deste artigo, escrito em inglês, é uma brincadeira com a língua preferida dos jargões do ambiente corporativo. A pergunta que essa brincadeira suaviza, porém, é muito importante. Afinal, na era do propósito, profissionais que têm percepção clara do seu propósito são muito valiosos!

Ter a vida que se quer com possibilidade de evolução constante é um fator que influencia a performance profissional. Quanto mais aderente e satisfeito com a sua vida, melhor será a aderência e congruência do profissional com suas ações e compromissos.

Curtir a própria vida é um valor que as empresas de relevância e inovação poderiam considerar com mais foco. Esse componente gera alta performance e resultados, com um detalhe que gosto muito de realçar: com "perenidade". Pessoas em sinergia com a vida que escolheram pensam em agregar valor ao presente e ao futuro, e têm prazer em perceber evolução e em ver gente evoluindo!

A evolução é saudável para a economia. E para ampliar nossos horizontes com maiores oportunidades, o crescimento é um belo fomento!

"Como um profissional hoje identifica o sentido de estar aqui?"

Sentido, como a palavra diz, passa pela liberdade do ousar sentir o que tem significado, respeitando a singularidade, a visão e os valores. Num movimento massificado, o que é colocado como sentido por todos pode deixar de fazer sentido para você.

O primeiro grande movimento é identificar o que você deseja realmente realizar em sua passagem profissional que, hoje, com a longevidade, oferta maiores oportunidades como a realidade de mais de uma carreira ao longo dos anos. Hoje podemos falar com concretude da primeira, segunda e terceira carreiras. Quando o profissional descobre o que faz sentido, fica fácil desenvolver o plano para sua longevidade com foco nos seus skills, valores e objetivos de curto, médio e longo prazos.

Quando nos deparamos com essa demanda de ter sentido, a organização pode ter uma papel importante, desde a atração até o ciclo de formação e desenvolvimento profissional.

Quanto mais profissionais identificarem o que os faz entregar o seu melhor, maior será a felicidade sustentável de ambos o lados e com um saldo rico para a sociedade.

Costumo lembrar os profissionais que mesmo um desligamento focado no propósito é uma ação de responsabilidade da empresa com o negócio, o profissional e todos os envolvidos na cadeia produtiva.

Uma organização que tem o seu sentido bem especificado e definido no board, será competitiva e irá mensurar seus resultados com essa base. Obviamente existem método e métricas para que isso aconteça com solidez.

As organizações conectadas com os movimentos que se desenham sabem que, apesar dos "modismos" inadequados de determinadas fases, o propósito veio para ficar como um selo de compromisso com as ações que conduziram ao futuro promissor.

Ao ler, por exemplo, a entrevista do CEO da Netflix sobre a nova declaração da Missão, que é o propósito em termos práticos para chegar no legado de futuro, que é a Visão, ele afirma que a Missão é "conectarmos pessoas a histórias", e a Visão é "Proporcionar no futuro entretenimento a todos".

Rever a Missão e Visão passando pelos valores é uma pratica para manter-se com solidez no cenário do propósito!

As organizações têm uma meta ousada e ao mesmo tempo desafiadora: é importante repensar na atuação presente do negócio e do board, para com congruência levar o mesmo tom para todos os níveis de liderança e demais colaboradores.

Quando uma empresa diz que quer atrair o jovem potencial com propósito sem ter essa prática na gestão estratégica, temos um grande risco de comprometer algo que julgo ser o mais valioso para garantir resultado: a confiança e a credibilidade.

Outro dia, numa conversa sobre Cultura Corporativa e estratégia de desenvolvimento, eu dizia que o que gera valor é a congruência. Se uma organização está pouco interessada no propósito do seus colaboradores é inconsistente fazer uma atração com esse discurso.

Agora, você como profissional pode certamente optar em ter uma vida com sentido. Até porque minha good question é voltada para você e sua vida, onde sei que tudo começa. E sei também que grandes empreendedores, líderes inspiradores e profissionais que fizeram historia sempre tiveram uma resposta com vivacidade para essa pergunta:

Do you like your life?

Afinal, essas pessoas têm o brilho da Vida no olhar!

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: autoconhecimento autodesenvolvimento carreira coaching do Instituto de thalentos life like PNL saudavel Thalentos vida your

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração