Mais comentada

Os aprendizados sobre carreira do filme Viva: A vida é uma festa

A recente animação lançada pela Disney e Pixar já embala a crítica como uma das melhores animações dos últimos tempos e podemos tirar muitas lições deste grande filme e adaptá-las a realidade de um profissional de mercado.

Divulgação

O Filme

"Viva: A vida é uma festa" nos conta a história do garoto Miguel, que depois de certos acontecimentos acaba indo parar no mundo dos mortos e precisa superar alguns desafios para sair de lá. Até aí parece ser uma animação interessante, porém, assim como aconteceu com “Divertidamente”, todos se surpreenderam com a reflexão e história abordadas no filme. A porcentagem de chorões nas salas de cinema é extremamente alta!

Em resumo, nos é mostrado o drama que o personagem principal vive ao ter que escolher entre seguir seu sonho de virar um grande músico ou ficar com sua família, mas encarar um trabalho de sapateiro ao qual ele não gosta.

Para essa situação de conflito de escolha, os americanos possuem um termo específico, chamado “Trade-Off”. Ou seja, optar por certa coisa acarreta em não escolher a outra. O filme retrata bem isso, pois não existe possibilidade do Miguel ser um músico e ainda sim receber o apoio e amor de sua família ou ao contrário. Essa circusntância acaba gerando frustração a sua família, ou a si mesmo.

Mas por que isso ocorre?

Saindo um pouco da trama do filme e adentrando no mundo dos negócios… No Trade-off, entende-se que o esforço que precisa ser empregado para alcançar algum destes objetivos não pode ser partilhado com o outro, ou seja, as pessoas precisam escolher o que mais querem, pois caso não o façam, não irão conseguir obter um bom resultado. No caso deste artigo, trabalharemos a situação Família-Carreira.

Um fator que corrobora para essa crença é o fato de que o que ocorre em cada uma destas realidades teoricamente dicotômicas, vai de encontro ao outro estilo de vida. Por exemplo: Para crescer na empresa que trabalho, precisarei trabalhar mais, por tanto, ficarei mais longe de casa, gerando insatisfação da minha família. Ou, como irei criar três filhos e ainda ser uma boa esposa se preciso sair de casa as 7 da manhã e chegar as 7 da noite por causa do trabalho?

Mas isso realmente é verdade?

Não necessariamente. Não buscarei explicar à luz da literatura ou de grandes fontes acadêmica, e este é o ponto deste artigo, esta é a minha humilde opnião.

No conceito de Trade-off precisamos sim escolher algo e perder outro, como por exemplo, perder velocidade mas ganhar em qualidade, porém neste caso de Família-Carreira, não existe Trade-off definitivo, apenas situações de escolha cotidianas e as vezes de grande porte, porém não excludentes completamente da outra parte, como por exemplo: Abdicar de uma viajem com seus pais para poder focar no concurso que tanto sonha. Neste caso você abdica de um momento, porém não de seus pais por completo. Ou então mudar de cidade por causa do trabalho. Existe a mudança de localidade porém o amor e afeto por seus pais permanece o mesmo.

Existem inúmeras pessoas famosas no mundo da música e cinema, por exemplo, de permanecerem com o mesmo parceiro e têm muitos filhos, bem como pessoas que desenvolveram uma grande família e em paralelo um grande negócio. A necessidade de escolha é gerada na cabeça de cada um devido a imposições geradas tanto por empresas quanto por familiares, e em ambos os casos os tabus e costumes sociais, o que dificulta a conciliação.

Infelizmente, algumas organizações ainda possuem critérios em suas seleções: optam por funcionários solteiros e empolgados por acreditarem que o seu comprometimento será maior, em vários recrutamentos sempre é perguntado o estado civíl e muitas vezes, isso é decisivo, “vamos optar pelo que é solteiro, pois se precisarmos que ele mude de cidade, será mais fácil” ou então “Vamos optar pela solteira, pois a probabilidade dela pedir licença maternidade é menor”. Familiares também não aceitam a distância da esposa, mãe ou irmã quando esta vai em busca de seu sonho profissional, por acreditarem que ela prefere o trabalho a sua família.

Um ponto interessante é que muitas pessoas acreditam que gerenciar os dois universos (família e carreira) gerará muito estresse, porém eis uma pergunta… Imagine que você opte por um dos dois, você realmente acredita que não irá passar por estresse ou problemas neste universo?

As dificuldades ocorrerão a todo instante e você pode ter a falsa impressão de que a ausência de um filho lhe ajudará a ter mais rendimento. Por exemplo, uma situação possível é que você pode até ficar até mais tarde que o seu colega de trabalho, casado e pai de 2 filhos, mas vendo por outro ângulo, ao chegar em casa esse cara é bombardeado de amor e sentimentos que você não possui, o que pode torná-lo mais feliz e lhe dar mais experiência e sabedoria, que acabarão por afetar positivamente seu trabalho, ou seja, perde-se aqui e ganha-se ali.

Claro que nenhum dos exemplos ou realidade pode ser aplicado a todas as circunstâncias da vida de todos do mundo, porém pode servir como reflexão para os leitores desse artigo.

Voltando ao filme

A família de Miguel possui uma péssima experiência com a música, pois o bisavô da família abandonou sua esposa para seguir seu sonho de ser um artista, e agora, todos repudiam a música por atrelarem a ela a desgraça que caiu sobre a bisavó. O garoto entretanto, com raízes e alma muito firmes em seu dom musical, deseja de todo coração ser um grande artista, pois sente que para aquilo foi destinado e que lá sua vida fará sentido e ele será feliz.

A família ao atrelar a música a algo negativo por um acontecimento de décadas atrás generaliza de maneira a esquecer que existem milhões de outras possibilidades que poderiam ou podem gerar alguma frustração à família.

Alerta de Spoiler!!!!

O garoto depois de todo o filme consegue que sua família o apoie na música e fica claro que o mesmo sempre a colocará em primeiro lugar. O respeito por parte da família pela escolha do menino bem como o entendimento dele de que a família é muito importante, demonstra que o garoto conseguirá balancear as 2 vidas.

Todos nós adultos ou jovens, possuímos filmes ou desenhos que nos marcaram e balizaram a nossa personalidade e até decisões de vida e este filme é genial em inúmeros aspectos, possui uma qualidade gráfica excelente, a dublagem é muito boa (porém aconselho a assistir o filme em espanhol, as músicas ficam muito mais lindas!) e a história é bastante comovente e bem elaborada.
Fiz essa analogia entre o filme e a vida profissional, porém ao assistir os créditos, só conseguia pensar em mim e minha vida, então aconselho todos a assistirem e fazerem suas próprias reflexões. As vezes entramos no piloto automático e esquecemos de parar e pensar sobre coisas importantes, em sonhos, ideias ou simplesmente em nós e em quem amamos.

Finalizo este artigo com a seguinte reflexão:

Se você está em uma crescente ascensão profissional, por que não ter um filho ou casar? Ou se você já tiver uma família, por que não empreender ou buscar aquele sonho antigo?

Muitos conseguiram, conseguem e irão conseguir equilibrar as duas vidas.

Você pode ser um deles!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(5)
Tags: carreira familia filme trade-off