Mais comentada

JOGOS EMPRESARIAIS EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA

A preparação para a condução desta metodologia, a qualidade dos conteúdos selecionados e a motivação no processo de aprendizagem organizacional, consistem no grande desafio dos novos tempos em todas as práticas de educação corporativa.

Jacqueline Cerqueira,
A necessidade de aprimorar nossa atuação profissional, acompanhando as tendências que se apresentam na atualidade, exige de nós, profissionais da área de educação corporativa, o constante aperfeiçoamento em nossas práticas.

Profissionais de T&D repensam seus programas, acrescentam conteúdos sensibilizadores e conscientizadores, investem no autodesenvolvimento e na pesquisa de tecnologias e metodologias que reúnam eficiência, eficácia e efetividade.

Recrutadores e Selecionadores investem em metodologias mais objetivas na busca de potenciais e talentos, com o objetivo de oferecer às empresas/áreas-clientes profissionais que atendam ao perfil solicitado. E que também possam contribuir com o processo de aprendizagem organizacional.

Desta forma, o Jogo Empresarial é um instrumento dos mais importantes neste contexto. Por meio deles, as pessoas exercitam habilidades e competências necessárias ao desenvolvimento integral, dentre elas, autodisciplina, proatividade, resiliência, empreendedorismo, sociabilidade, afetividade, valores morais, espírito de equipe e bom senso.

Devido ao ambiente propício, as vivências proporcionadas pelos jogos empresariais são espontâneas e surgem comportamentos assertivos ou não-assertivos, trabalhados por meio de análise posterior ao jogo. As conclusões servem de base para reformulações ou reforço de atitudes e comportamentos, contribuindo também, para o ciclo da aprendizagem organizacional.

Os Jogos Empresariais - metodologia participativo-vivencial - foram usados pela primeira vez como instrumento de treinamento de executivos na década de 1950, nos Estados Unidos. Devido aos resultados alcançados, tiveram grande aceitação em outros países, a exemplo da Alemanha e Inglaterra. No Brasil, estas técnicas começaram a ser utilizadas na década de 1980. Hoje, o mercado oferece uma variedade razoável de modelos.

No entanto, estes modelos precisaram ser adaptados à nossa cultura e às necessidades específicas das organizações. Neste sentido, o profissional da área de gestão de pessoas deverá estar preparado para conhecer, selecionar e conduzir a metodologia, de modo a contribuir de forma mais dinâmica, segura e criativa com os processos e programas de desenvolvimento de pessoas na.organização.

Em suma, a preparação para a condução desta metodologia, a qualidade dos conteúdos selecionados e a motivação no processo de aprendizagem organizacional, consistem no grande desafio dos novos tempos em todas as práticas de educação corporativa.

Jacqueline Cerqueira
Consultora Organizacional

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: aprendizagem desenvolvimento educação corporativa humano metodologia pessoas

Shopping