Motivação gera gratidão ou gratidão gera motivação?!

Por que você tem que esperar um ano acabar e outro iniciar para determinar novos ciclos na sua vida? Será que você e eu dependemos de condições externas para fazer novos recomeços?

Por Leila Navarro

2017 está em contagem regressiva para se despedir. Faltam ainda algumas semanas para a sua partida, mas as expectativas e a motivação para 2018 vão tomando uma dimensão gigantesca. Racionalmente estamos falando da mudança de um ano para outro, mas, psicológica e emocionalmente a chegada de cada ano representa o renascer de novas possibilidades, a esperança de que tudo vai ser diferente e melhor. É como se pudéssemos passar a régua em todas as pendências e iniciar do zero a caminhada para viver novas experiências. Mas, quero propor uma reflexão: por que você tem que esperar um ano acabar e outro iniciar para determinar novos ciclos na sua vida? Será que você e eu dependemos de condições externas para fazer novos recomeços?

Uma das coisas que mais me motiva é a gratidão. Sou grata por tudo. A cada manhã, quando acordo e constato que estou viva nesse corpinho que Deus me deu (eu até estraguei, mas está dando para o gasto!) e posso fazer escolhas, dou início a uma nova etapa. Algumas pessoas até me chamam de lunática, mas o que faço dia após dia é olhar para o lado bom da vida. Até criei uma metáfora: a vida é como escolher feijão, eu fio com os bons e aparto os ruins.

Os motivos que temos para serem celebrados são sempre bem maiores que os fatos e acontecimentos “ruins” que nos cercam. Analise isso friamente e verá que tenho razão. Eu até ressalto esse “ruim” entre aspas porque tenho dúvida se tudo que o ser humano classifica dessa forma é de fato assim. Todos nós passamos por fases mais delicadas na vida... Seja qual for o motivo, dependendo da forma como a pessoa encara os desafios, ela pode sair ainda mais fortalecida, mais energizada, mais motivada para viver melhor e mais feliz!

Conheço várias pessoas que percorreram o Caminho de Santiago, na Espanha. E para todas elas, pergunto: “O que foi que mais valeu à pena nessa viagem? O que foi que mais mexeu com você? O que foi que fez mais sentido?”. Já me acostumei a escutar algo poderoso: “Aprendi que tudo o que a gente precisa na vida cabe em uma mochila!”
Eu entendo perfeitamente essa resposta. Mas talvez você esteja aí perguntando: que mochila é essa? O que é que tem dentro dela? Essa mochila leva nossos valores, aquilo que acreditamos e sem os quais não podemos viver. Não há como desassociar o que somos e o que acreditamos da forma como vivemos e trabalhamos. Mesmo que não tenhamos clareza das nossas crenças, elas existem e conduzem nossas vidas.

Procuro manter a minha “mochila” sempre muito bem abastecida de gratidão. Ser grata a tudo que sou, o que tenho, o que sei e o que vivo me motiva a dar o melhor de mim em tudo e para todos. Motivada para dar o meu melhor, sou grata por tudo. Chega um momento que nem sei se “motivação gera gratidão ou gratidão gera motivação”.
Me alegro com a chegada do final do ano.... Ainda mais porque dezembro é o mês do meu aniversário e amo festa. Mas, no meu dia a dia encaro a vida como uma grande oportunidade e n]ao como ameaça. Atrás de nossas perdas existem ganhos e lições de valor incalculável. Tudo isso me motiva a ser grata pela vida o tempo inteiro. Com isso, quem sabe a partir de agora, ao invés de esperar a virada do ano para se motivar para o próximo ciclo, você possa encarar cada amanhecer como uma “Feliz Oportunidade Nova!”, e que venha o novo!

Leila Navarro é palestrante motivacional, autora de 15 livros. 
www.leilanavarro.com.br

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)