O PERFIL DO CONTABILISTA QUE DESEJA INGRESSAR NUM ÓRGÃO PÚBLICO FEDERAL

Lilian aparecida,
RESUMO

O artigo “O Perfil do profissional Contabilista que deseja ingressar num órgão público federal”, é dedicado àquele profissional atuante na área contábil e que tem vontade de prestar concursos públicos. Este foi realizado na tentativa de auxiliar o candidato a estudar as matérias necessárias, mostrando que essas foram ensinadas na universidade com uma ênfase de 80% do que os concursos exigem, apresentando ao interessado qual seu mercado no âmbito público, podendo trabalhar na empresa, com independência, no ensino e em órgãos públicos. Com a pesquisa de campo concretizada o perfil do contabilista é identificado numa faixa de idade entre 21 a 30 anos, universitários em fase de conclusão ou mesmo recém-formado, que trabalha na área em torno de 2 a 4 anos e que o importante dentre estes profissionais é a característica de juntar a teoria, a prática, o seu interesse, sua atualização com todo tipo de informação, suas perspectivas diante da sociedade, citando que a mesma dá boas oportunidades e se refere ao interesse no ingresso em órgãos públicos federais pelo motivo dos planos de carreira e promoções que os mesmos podem oferecer.

INTRODUÇÃO

Este artigo tem a intenção de mostrar o perfil do contador que pretende ingressar na esfera pública federal, na promoção de um melhor desenvolvimento técnico e científico a este órgão. Demonstrando ainda, sustentados por nossa pesquisa de campo, todas as perspectivas e interesses de se trabalhar nesta área, ressaltando os conhecimentos necessários para um fácil acesso neste mercado.
A delimitação do tema vai ao encontro do perfil do contabilista que deseja ingressar num órgão público federal.
A escolha do tema foi avaliada pelo alto valor que acrescentará na sociedade, inclusive aos profissionais da área contábil, por ser um tema atual e de interesse à área.
Na identificação do profissional que atua na área contábil observou-se que o interesse destes profissionais no ingresso à vida pública cresce a cada dia. Mas, quais teriam sidos os fatores responsáveis por tal crescimento?
Atenta-se ao fato de que não só aumenta o interesse das pessoas como se torna evidente uma grande busca por profissionais cada vez mais qualificados; o que se percebe claramente por meio das solicitações feitas pelos editais.
Este artigo se justifica, porque, além de ser um tema atual, ele se volta aos interesses acadêmicos para que se avalie o currículo no sentido de dar ou não maior enfoque às matérias voltadas às exigências dos concursos.
A problematização deste artigo faz referência ao trabalhador atuante na área contábil e qual o perfil do profissional desta área num todo? Outro problema para resolução, é destacar pela visão do contador, qual sua imagem para a sociedade e quais suas perspectivas diante dela? O por quê do interesse de contadores á vida pública? Quais são os campos de atuação dentro do mercado público que o interessado pode ingressar? Podemos dizer que tudo o que é aprendido na universidade é solicitado nos editais?
É importante identificar, no perfil do contabilista, que ele é um profissional que além de seu conhecimento específico, tem também uma visão geral administrativa. Este perfil faz referência a um graduado em ciências contábeis com uma faixa de idade de 35 a 50 anos com vasta experiência na área contábil, suficiente para adequar as empresas às legislações vigentes.
No entanto, infelizmente, a sociedade, ainda os vê como meros guarda-livros e, devido a esta imagem distorcida, provocada muitas vezes pela atuação de contadores que atuam sem experiência, o interesse destes profissionais tem se voltado para a vida pública.
O emergente interesse dos profissionais da área contábil em atuar no setor público tem como hipótese o fator da não exigência de experiência e da boa remuneração oferecida.
Entretanto, os interessados em desempenhar suas habilidades profissionais nos órgãos públicos devem se qualificar profissionalmente a fim de obter os conhecimentos adequados às exigências dos concursos públicos.
O mercado no âmbito público é amplo, os profissionais contábeis tem vasta atuação para seguir carreira. Sendo necessário, portanto que se articulem os conhecimentos específicos da área contábil a conhecimentos específicos do setor público e os conhecimentos gerais.
Os conhecimentos solicitados nos editais são da grade curricular das universidades, porém estas devem melhor se adequar aos concursos públicos, enfatizando mais nas matérias voltadas ao setor.
O presente estudo, tem, pois, a pretensão de apresentar as competências e as habilidades necessárias para que o contador/contabilista possa ingressar em no setor contábil ligado à esfera pública federal.
O objetivo geral deste é conhecer o perfil do contabilista num todo, tentando identificar quais os motivos gerados pela sociedade e editais publicados de concursos públicos federais, o que motivam o contabilista/contador embarcar na carreira pública. Objetivando divulgar aos profissionais contábeis que se interessam por esta área, uma comparação do que se é ensinado nas universidades com o que é solicitado dos concursos públicos. O objetivo específico deste busca apresentar dados estatísticos da relação perfil do profissional contábil x interesse na carreira pública x conhecimento necessário para este ingresso.

METODOLOGIA
O método utilizado é o de pesquisa junto com o método indutivo, pois este artigo será realizado através de estudos de caso, para tentar entender-se determinado fato. A técnica utilizada foi a qualitativa bibliográfica com base em artigos científicos publicados em diversos diretórios acadêmicos e de editais voltados a concursos públicos federais sancionados no período de 2001/2008 num total de 17 (dezessete) editais de diversos órgãos federais. Outra técnica também utilizada foi a quantitativa de campo que determinou num questionário com 10 (dez) perguntas, 120 (cento e vinte) destes foram efetuadas entre 02 de junho de 2.008 e 20 de junho de 2.008 e respondidas por 51 pessoas.

ANÁLISE DOS RESULTADOS

O PERFIL DO CONTADOR

A nomenclatura “perfil” do contador engloba todo um ciclo de conhecimento com capital intelectual, conhecimento autônomo, conhecimento geral, específico e comunicação.
Melhor, o contador deve lidar com o processo geral da empresa em que atua, expor conhecimentos que adquiriu durante sua graduação, passar seus conhecimentos profissionais num determinado assunto que conheceu e se aprofundou em sua pós-graduação. Saber colocar em palavras escritas ou verbais a aprendizagem que obteve didaticamente ou pela simples força de vontade.
O Contabilista identificado se encaixa num perfil de estudante em término de curso, que representa em pesquisa realizada o 45 % de universitários no 4º (quarto) ano do curso de ciências contábeis (gráfico 1), com uma faixa de idade entre 21 (vinte e um) a 30 (trinta) anos que segrega em 70 % dos pesquisados (gráfico 2).

É perceptível que grande parte dos universitários têm, devido a sua faixa etária e a sua experiência, tempo necessário para escolher sua carreira pois estes possuem um tempo de serviço em torno de 2 (dois) a 4 (quatro) anos como é demonstrado em pesquisa, com um percentual de 37% (gráfico 3), pode-se citar que estes universitários já considerados contadores, têm noções suficientes para decidir se desejam ingressar ou não na vida pública.

Com a identificação do contador, foi possível discriminar na pesquisa suas características, que se resulta em 92% dos pesquisados (gráfico 4), citando que, o contabilista precisa de conhecimentos teóricos, práticos sobre diversas matérias e áreas, como estatística, matemática, de alguns ramos de administração, recursos humanos, direito, suas legislações atualizadas e a tecnologia ou informática. Contudo, dizer que a atualização do profissional é um diferencial em seu perfil contábil é correto, independente da atividade que for desenvolver, o profissional da área contábil deve utilizar o seu interesse de aprendizado em favor próprio.

PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL

O universitário que se forma contador, traz com ele, além de seus novos conhecimentos adquiridos, uma nova perspectiva de vida profissional. Todo contador deseja buscar, naquilo que faz, reconhecimento diante da sociedade.
Sabe-se que o profissional contábil exerce papel fundamental na sociedade, pois é a partir das informações fornecidas por ele que os usuários da contabilidade tomam suas decisões. Com isso, é necessário que o contador se atualize, pois as mudanças e os avanços tecnológicos se alteram constantemente, para que na busca de novas alternativas para o auxílio na tomada de decisões de empresas, ele possa facilitar a linguagem da contabilidade. Contudo, sendo o facilitador das informações, o profissional tenha o reconhecimento que buscou ao se formar.
A visão do contador, em relação a sua imagem junto à sociedade, de acordo com a pesquisa de campo foi constatada que em 38% (gráfico 5) dos pesquisados, os contadores acreditam que sua imagem junto à sociedade, está de bom agrado. Pois a sociedade dá boas oportunidades de carreira a contadores que não possuem experiência.

Ao contrário do que cita Marion (p.80, 2007): “A imagem dessa profissão no Brasil ou em países subdesenvolvidos (ou em desenvolvimento) está muito aquém que nos países desenvolvidos... Nos Estados Unidos, em alguns estados o contador é o mais bem remunerado entre os profissionais liberais. Lá, os auditores são uma classe privilegiada, ganham uma fortuna, jogam golfe e são muito respeitados. Isto acontece em outros países desenvolvidos.”, o contador, principalmente os inexperientes, sente-se acolhidos pela sociedade, em oportunidades propostas.
De acordo com a pesquisa, o resultado é que 24% dos contadores acreditam que a sociedade os vê como gestores (gráfico 5), mesmo estando num país em desenvolvimento.
Portanto, o profissional contábil que um dia desejou reconhecimento na sociedade em sua graduação, com o perfil anteriormente comentado, ele terá boa perspectiva profissional.

MERCADO NO ÂMBITO PÚBLICO

A Contabilidade oferece um campo de atuação amplo em qualquer esfera de atuação. De acordo com o decreto-lei nº 9295 de 27 de maio de 1946 e posteriores resoluções complementares, dispõe sobre as prerrogativas profissionais pela Resolução do Conselho Federal de Contabilidade nº 560/1983:
Art. 2º - o contabilista pode exercer as suas atividades na condição de profissional liberal ou autônomo, de empregado regido pela CLT, de servidor público, de militar, de sócio de qualquer tipo de sociedade, de diretor ou de conselheiro de quaisquer entidades, ou, em qualquer outra situação jurídica, definida pela legislação, exercendo qualquer tipo de função (...).
A profissão contábil pode exercer atividades em diversas funções e cargos, lidando de acordo com as oportunidades que lhe surgirem. Conforme organograma 1 abaixo, é possível visualizar com maior facilidade, os campos que a área contábil proporciona: Organograma 1: Campo de atuação da profissão contábil

Além de todas as oportunidades que surgirem na vida profissional do contabilista, aquele que tem o desejo de ingressar na vida pública deve-se ater nas funções que os órgãos públicos federais oferecem como os descriminados acima.
Com base em editais publicados para concursos públicos a partir de 2.001, foi perceptível ver que é realizado apenas um concurso por ano para a área contábil com exigência de curso superior de ciências contábeis dentro da esfera federal, ou seja, podemos dizer que há maiores oportunidades nas áreas que exigem formação superior, porém não são de funções iguais, sim correlatas.
As oportunidades apresentadas nos editais da esfera pública federal são:
• Contador;
• Auditoria;
• Perícia;
• Analista de Finanças e Controle;
• Analista Previdenciário;
• Analista em Ciência Contábil e Tecnologia.
Dentro da pesquisa, a seguinte pergunta foi feita: “Qual a função na área pública, que mais atrai o contabilista para seguir carreira profissional?”. A pesquisa foi realizada identificando ao pesquisado, apenas as funções que os editais recolhidos apresentaram.

Conforme a pesquisa, a função mais atrativa aos contadores para seguir carreira profissional é a Auditoria com a percentagem de 29% (gráfico 6), todas as demais funções tiveram seus votos. Porém a única que não teve percentagem alguma foi a função de Analista em Ciência Contábil e Tecnologia que esta relacionada ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), acredita que esta função não deve ser tão reconhecida junto aos contadores como as demais.
Ressalta que ao decorrer dos anos e editais publicados para concursos, outras funções correlatas aos profissionais contábeis podem surgir e atrair cada vez mais os contadores para a vida pública. Contudo, o contabilista tem vasto campo de atuação, na empresas, no ensino, independente ou mesmo em órgão público.

O PORQUÊ DO INTERESSE NESTA ÁREA

A procura pelo mercado público cresce a cada dia, o grande motivo para essa demanda segundo pesquisa é pelas promoções e planos de carreira oferecidos por esse campo de trabalho segregando um percentual de 56% (gráfico 7) e pela boa remuneração com um percentual de 30% (gráfico 7)

A boa remuneração é o grande foco para as pessoas que buscam o mercado público, pois muitas pessoas querem ter um retorno em sua vida financeira, referente aos investimentos feitos anteriormente, como por exemplo, a universidade.
Um curso de graduação é o grande passo para o ingresso, mas nem todos os cargos necessitam de curso superior, porém, as oportunidades e benefícios são maiores e melhores para quem possui faculdade, de acordo com a pesquisa realizada com 37% para oportunidades e igualmente para os benefícios oferecidos (gráfico 8).

A pesquisa demonstrou a grande procura devido aos itens benefícios e oportunidades e mostrando que muitas pessoas entram na faculdade apenas para concorrer a determinados cargos que exigem formação superior. As promoções e planos de carreira também são itens importantes para algumas pessoas, pois mostram que o importante não é somente entrar e sim ter o reconhecimento de seu trabalho e conseqüentemente crescerem e obterem maiores remunerações e benefícios sempre.

DEDICAÇÃO AO CONCURSO

Não existe uma regra dizendo quantas horas são necessárias para a dedicação à um concurso público, até porque as pessoas e a capacidade de aprendizagem são diferentes. A pesquisa demonstrou diversas opiniões referentes às horas que são necessárias, aonde se destacou com a percentagem de 38% ser aconselhado de 04 a 05 horas (gráfico 9) diárias.

O mais importante é a qualidade das horas e não a quantidade. O ideal é estudar o máximo de horas possíveis, desde que mantida a qualidade de estudo e um mínimo de qualidade de vida para agüentar este período de estudo e dedicação. Algumas pessoas, por possuírem boas condições de estudo, optam por estudar diretamente para o cargo de seus sonhos e o desejo em ingressar na vida pública. Somente as condições individuais vão poder definir o melhor caminho a ser seguido.

CONHECIMENTOS NECESSÁRIOS

O objetivo desta pesquisa no intuito dos conhecimentos necessários, foi proporcionar um maior horizonte no que é solicitado ao candidato de um concurso público em comparação do que é ensinado nas universidades.
Foi comparada a grade de matérias de uma universidade particular do ano de 2.005 a 2.008, considerando a grade curricular de turmas formandas em 2.008 do curso de contábeis, com editais publicados para vagas de diversas funções aonde uma de suas exigências era de curso superior, para o ingresso de determinados órgãos públicos da esfera federal.

Dentre 20 (vinte) matérias da grade curricular da universidade, foi possível perceber com facilidade a grande exigência das mesmas nos editais.
Por meio dos dados obtidos, nota-se com clareza que dentre as matérias ensinadas aos universitários a que se exige maior aptidão dentre os concursos públicos são assuntos relacionados com a matéria de Contabilidade Pública, num percentual de 26% das solicitações nos editais publicados e pesquisados (gráfico 10).
Perceptível também, a não exigência de matérias como Orçamento Empresarial, Planejamento Tributário, Perícia, Arbitragem e Ciências Sociais Aplicadas que perfazem um percentual de 0% (gráfico 10).
Por ser a mais utilizada, conforme pesquisa, que da matéria de Contabilidade Pública que se ensina na universidade, seus assuntos devem ter um maior enfoque. Academicamente falando, a matéria Contabilidade Pública deve ter maior destaque para que o candidato que formara e deseja ingressar na vida pública tenha a aptidão necessária e se sinta capaz de responder as questões no dia da prova referentes a esta matéria com segurança.
Já na pesquisa realizada junto a profissionais da área contábil, notou-se que os candidatos estão informados em relação a concursos públicos, pois em 60% dos pesquisados disseram que: “Os conhecimentos solicitados nos concursos públicos na área contábil são conhecimentos gerais, específicos, atualidades e informática.” (gráfico 11).

Contudo, de acordo com a pesquisa, concluí-se deste que, as matérias ensinadas nas graduações de contábeis estão relacionadas em 80% nas matérias exigidas nos editais publicados e que nestes editais as matérias são de conhecimento de seus candidatos.

CONCLUSÃO

De acordo com a pesquisa realizada, o perfil do profissional atuante na área contábil são jovens universitários em fase de conclusão de curso ou recém formados numa faixa de idade entre 21 e 30 anos, que possui capacidade de transmitir sua gama de informações aos que possam interessar de várias formas e análises, podendo repassar todo seu conhecimento adquirido durante sua graduação, pós- graduação e experiência.
Após a análise feita, pela visão do próprio contador, sua imagem diante da sociedade é a melhor possível. Pois ele enxerga que a sociedade oferece aos novos contadores boas oportunidades, deixando de lado a imagem de guarda-livros e transmitindo confiança necessária para gerenciar os negócios da própria sociedade. Sendo o mercado de trabalho para o profissional contábil vasto de atuação, ele aposta na sociedade.
O crescimento do desejo dos profissionais contábeis à vida pública, apresentado pela pesquisa, é devido pelas promoções e planos de carreira que o trabalho em órgãos públicos possa oferecer, outro motivo encontrado refere-se a boa remuneração oferecida por este campo de trabalho, este desejo aplica-se no retorno do investimento feito ao longo dos anos de estudo. Lembrando que este desejo gera mais investimentos em horas de estudo ao candidato, destacando que não há regras de quantas horas diárias de estudo são necessárias, porém é totalmente necessário ter um período de horas de qualidade, sendo aconselhado, de acordo com a pesquisa, de 04 (quatro) a 05 (cinco) horas diárias para estudo.
Para ingresso em órgãos públicos federais, os conhecimentos necessários, que a pesquisa apresentou, englobam 80% do que é ensinado no curso superior, ou seja, do conteúdo programático de uma universidade particular de uma turma de graduação em contábeis, apenas 20% não é exigido nos concursos públicos, assim a universidade ensina a seus acadêmicos, o necessário para o ingresso na vida pública. A pesquisa enfatiza que os concursos públicos exigem os conhecimentos gerais, específicos de acordo com a função (área contábil), atualidades e informática.
Contudo, com a pesquisa concretizada, concluí-se que os profissionais contábeis possuem grandes chances de passarem nos concursos públicos, visto que as universidades ensinam o que os editais exigem, a sociedade dá boas oportunidades e o importante aos profissionais é ter o conhecimento de juntar a teoria, a prática, seu interesse, ser atualizado com todo tipo de informação e na tecnologia da informática, contudo isto, o candidato tem grande ajuda a ingressar com sucesso num órgão público federal.
Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: concurso ensino perfil