Para onde suas histórias vão te levar?

Estruturamos nossas vidas em torno de histórias, e essas histórias podem nos levar a lugares interessantes, ou não. Você já pensou sobre isso?

iStock

Anos atrás assisti a um filme de qualidade duvidosa, mas que continha uma metáfora que nunca esqueci. Essa metáfora, por acaso, é perfeita para um ano que está começando.

O filme em questão (10.000 A.C.) contava a história de duas sociedades antigas. Enquanto uma se encontrava em estado de miséria, a outra era altamente desenvolvida. O que será que explicava essa diferença?

No mundo real, explicar porque sociedades são tão diferentes é uma tarefa bastante complexa e cheia de fatores, mas, no contexto daquele filme, o diretor apontava para um ponto central: as histórias que cada povo contava.

O povo miserável acreditava na profecia de que um salvador chegaria para salvá-los. Quem espera por um salvador para resolver seus problemas não precisa se esforçar muito, certo?

Já o povo desenvolvido acreditava em um outro tipo de profecia. Alguém, algum dia, chegaria para destruí-los. Justamente por isso eles se preparavam com afinco para esse dia, tanto militar quanto tecnologicamente. O resultado era uma sociedade muito à frente da outra nesses quesitos.

E é aí que eu te pergunto. Nesse 2017, qual é a história da sua vida que você está se contando?

Alguém vai aparecer para resolver seus problemas? Um marido? Uma namorada? A herança de um parente? Aquele amigo que vai te indicar para a empresa na qual trabalha?

Ou a crise é impiedosa e você precisa trabalhar arduamente contra isso para começar 2018 melhor do que nesse ano?

Isso também vale para quem empreende. Qual história você conta sobre sua própria empresa? Você está a espera de alguém que poderá comprá-lo, ou está a espera de um concorrente que poderá destruí-lo?

Jerome Bruner, um importante psicólogo da década de 60, professor de Harvard e Oxford, descobriu que as pessoas organizam seus pensamentos de duas formas distintas. A primeira é o "pensamento paradigmático", ou seja, o jeito mais racional de ver o mundo. 1 mais 1 igual a 2.

O segundo jeito é o "pensamento narrativo", com o qual trabalhamos as questões emocionais. Isso acontece toda vez que organizamos fatos a partir de uma estrutura de conflito. Alguém lutando contra forças antagônicas para alcançar um objetivo.

Você pensa narrativamente quando volta de viagem e vai contar para seus amigos os perrengues que vivenciou, ou então sobre o quão difícil foi conquistar a atual pessoa com quem tem compromisso. Em outras palavras, sempre damos aquela romanceada em nossas próprias vidas, justamente para torná-la mais interessante. Tanto para os outros, quanto para nós mesmos.

O perigo é que as histórias que nós contamos acabam moldando a forma como vemos o mundo. E a forma como vemos o mundo pode ter um impacto direto em nossos próximos passos.

Então fica aqui a reflexão. Qual história você está se contando agora em 2017? E para onde ela vai te levar?

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: ano novo planos storytelling

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração