Secretariado: Fatores para alcançar o sucesso | Moacir Rauber e Marcela Brito

Para ser um bom modelo é preciso, primeiro, amar e respeitar a si mesmo. É uma posição privilegiada que exige um mergulho interno para compreender o que é importante para cada um. É também um esforço para ser cada vez mais e melhor para que seja possível liderar pelo exemplo. Não tem a ver com se tornar outra pessoa, apenas ser coerente com suas crenças e valores, com seus pontos fortes e fracos. Essa realidade reflete em parte o que estes profissionais disseminam e despertam em outras pessoas, esse modelo autêntico, e a busca para inspirar e despertar o melhor que há em você!

Marcela Brito e Moacir Rauber têm história, visão e valores semelhantes, ambos trilharam o caminho da docência, são escritores, desenvolvem conteúdo e proferem palestras de alto padrão, são criativos e inovam constantemente!

Já notou como o carismático age? Não? Então você ainda não teve o prazer de conhecer o Moacir Rauber! Pois bem, carismáticos costumam proferir elogios sinceros, colocam os outros no centro das atenções, tem expressão, sabedoria e flexibilidade intelectual, fazem e entendem piadas, sim, pessoas carismáticas têm senso de humor. Admitem seus defeitos e sabem rir de si mesmos. Possuem autoconhecimento em nível elevado.

Conhecer ou reconhecer o Moacir foi um enorme prazer, sim, reconhecer, já conhecia por seus livros publicados e pelas redes sociais, nossa tecnologia possibilita isso, conhecemos as pessoas, percebemos, sentimos e, admiramos. Uma pessoa que eu tinha acabado de conhecer me fez reconhecer a sua “marca”.

De repente, senti como se o conhecesse há muito tempo. Meu respeito por ele e por seus conhecimentos ficou selado com a imagem que ele já me transmitia – de confiança, amabilidade credibilidade, tudo isto confirmado por uma experiência consistente, livre de pré-julgamentos, o que só o qualificava ainda mais.

Não era só o seu sorriso que era brilhante – ele também o era. E, pensando nele, tive mais certeza do quão importante é a “marca” que deixamos no mercado. Não importa quantos anos de experiência temos o que importa é como foram vivenciadas estas experiências, que lembranças deixaram nas pessoas envolvidas, que sentimentos e sensações geraram.

Ter uma “marca” que deixa saudade é ser reconhecido por aquilo que o profissional é e sabe fazer bem.

Coach, Palestrante, Professor e Escritor que não se deixa definir por clichês ou rótulos com validade estabelecida. Seu foco é inspirar as pessoas para que sejam melhores, mais produtivas, e, que desenvolvam todo seu potencial mental. 

Entende que cada um é dono das escolhas que o levam a construir a própria história.

Moacir está com um projeto incrível denominado Prenda o Ladrão da sua Organização/Prenda o Ladrão de Si Mesmo desenvolvido para organizações e pessoas com foco no desenvolvimento das Competências Relacionais, Competências de Conduta e Competências de Desempenho.

Como metodologia usa-se o conhecimento acadêmico fundamentado nos estudos de Inteligência Emocional e Psicologia Positiva, a vivência profissional e pessoal, aliados com a metodologia Storytelling e a abordagem de Coaching para criar uma conexão com os participantes, transmitindo a essência da mensagem.

Moacir também faz trabalhos voluntários em instituições que desenvolvem projetos de inclusão social.
Sua influência no mundo é real, preponderante e, de fato, muito significativa. Com vocês, Moacir Rauber.

Claudia Schaffer - Você é um nome forte no Secretariado Executivo, possui vasta experiência profissional nas áreas Administrativa, Secretariado, Gestão de Recursos Humanos, Vendas e Planejamento Estratégico. Também foi professor universitário no Paraná e em Santa Catarina e atualmente trabalha como Coach, Palestrante e Escritor - autor de diversos livros. Com toda essa bagagem sociocultural, o que você diria para os profissionais de Secretariado sobre a importância de traçar metas para a vida e para carreira?

Moacir Rauber: A pergunta é uma oportunidade de começar com a afirmação de Lewis Carroll: se você não sabe aonde quer ir, qualquer caminho serve. Em parte, já se tem a resposta para a importância de se traçar metas para a vida e para a carreira. Porém, além de saber para aonde se quer ir é importante saber se você é o que é porque é isso que você quer ser ou você é o que é porque acredita que é isso que os outros acreditam que você deva ser? Mais. O que você vai fazer com aquilo que fizeram de você? Nesse ponto, particularmente acredito que a Graduação em Secretariado tenha sido um dos cursos pioneiros em oferecer as condições para se obter uma resposta satisfatória para as perguntas. A visão sistêmica exigida das pessoas e dos profissionais atuais esteve na base da formação da grade curricular do curso de Secretariado. São disciplinas como Economia, Contabilidade, Filosofia, Sociologia, Administração, Línguas, Estatística, Lógica entre outras que dão ao formando a possibilidade de traçar metas de curto, médio e longo prazo dentro da profissão ou mesmo de ampliar a área de atuação. A partir da pergunta, aonde você quer ir?, depende de cada um identificar as metas para a vida e para a carreira.
Entendo que durante muito tempo nós nos distanciamos de nossa essência humana. Fragmentamos o conhecimento e com isso as pessoas. Hoje, a moderna ciência e a neurociência anunciam como descobertas aquilo que a natureza já sabia e que o ser humano já praticava. Na alimentação, por exemplo, anuncia-se com diferentes graus de inovação que o equilíbrio é benéfico ao ser humano. No comportamento, fala-se dos benefícios das práticas meditativas. Os casos são veiculados como se fossem novidades. Todas as civilizações mais antigas tinham alguma forma de manter o foco que eram vividas naturalmente. Porém, para nós o caminho é dar ares de racionalidade para que tenha validade. Se esse é o desafio, que assim seja. O importante é que cada um comece por trilhar o caminho do autoconhecimento para estabelecer as suas metas e o seu desenvolvimento pessoal alinhados com aquilo que realmente é importante. Voltar a entender que cada pessoa é um sistema completo e complexo que integra e é integrado por outros sistemas completos e complexos. Somos indivíduos, mas somente nos realizamos no outro. Somos interdependentes. Desse modo, acredito que o primeiro passo numa carreira bem-sucedida seja a tomada de consciência dessa realidade para que possamos mudar o modelo mental que conduz as nossas ações. A partir daí, mude, se esse for o seu desejo. Transforme o ato de estudar e o processo de aprendizagem em algo prazeroso. Faça com que a curiosidade o leve a querer aprender e a ensinar. Seja excelente agora, porque agora é a única realidade que cada um tem.
Por isso, tenha as suas metas em mente, estude e aprenda; seja um curioso produtivo ao contribuir efetivamente para a organização da qual você faz parte; e seja excelente naquilo que você faz. Pergunte-se: aonde você quer ir? As metas e os objetivos são colocados para serem alcançados, porém, lembre-se que o caminho deve ser divertido, prazeroso e seguro para você e para os outros.


Moacir Rauber
Coach, Palestrante e Escritor.
Blog: Facetas! Múltiplas faces
Página: Olhe mais uma vez! Em cada situação novas oportunidades

 

Marcela Brito, é mulher, esposa, mãe e profissional, ela encanta por seu sorriso, sua experiência, mas principalmente, por seu amor à vida e ao que se propõe a fazer.

Passei a respeitá-la e a também reconhecer a sua “marca”, uma profissional merecedora de reconhecimento pela sua capacidade.

Sua busca contínua para desenvolver nas pessoas dons e talentos é factível! Nota-se um objetivo genuíno onde trazer satisfação, crescimento e uma mudança positiva na vida daqueles que pretende alcançar por meio da escrita, mentoria de carreira, palestras e demais atividades que desenvolve com intuito de enriquecer vidas.

Para alcançar este desafio, uma das características mais importantes é aprender a aprender. Parece fácil, mas não é. Primeiramente, exige que tenhamos a capacidade de mudar e abandonar conceitos antigos em favor dos novos.

Um dos conceitos que me faz entender porque a Marcela inspira pessoas é justamente um dos mais procurados hoje no mercado de trabalho que é a capacidade do profissional de se reinventar, de fazer diferente, de conhecer mais e de trazer resultados inesperados. E, cada vez que olhamos para uma definição destas, questionamos – como fazer isto? Como ser capaz de reinventar-se a cada momento que passa sem perder as nossas características, a nossa base, a nossa forma de ser?

Acredito que este é um dos desafios da nossa era – reinventar-se sem perder a essência, na entrevista citada, Marcela aborda pontos interessantes dessa nova fase do Secretariado menciona alguns direcionamentos que aplicados de forma assertiva pode conduzir a sua caminhada em busca do sucesso, realização e felicidade.

Marcela se identifica como alguém com missão, paixão e coragem.
 

Claudia Schaffer - Você possui grande afinidade com pessoas e excelentes habilidades interpessoais, como o Secretariado contribuiu para seu desenvolvimento profissional e para os projetos que você administra? Neste momento, o que você considera relevante para o futuro da profissão e quais soluções inovadoras você já criou?


Marcela Brito: Escolher o Secretariado Executivo como profissão foi uma das melhores decisões que tomei na vida. Enxerguei no Secretariado a possibilidade de me desenvolver como uma profissional completa, com sensibilidade para lidar com situações adversas e atuar nos mais variados segmentos do mercado de trabalho. A interdisciplinaridade da profissão proporciona experiências muito diferenciadas em relação a profissões mais especializadas. Atualmente, a formação em Secretariado Executivo contribui para o sucesso de meus projetos principalmente porque me faz ter sabedoria para lidar com gestão, ter visão de negócio, utilizar a criatividade como base de ideias para novos serviços e o mais importante para mim: saber lidar com todos os tipos de pessoas. Esta é, sem dúvida, a habilidade mais importante no mundo hoje.
O futuro do Secretariado Executivo depende do quanto os profissionais estarão verdadeiramente engajados com a profissão e sua interlocução no meio social. Temos hoje no Brasil várias frentes de atuação para este profissional, bem como várias entidades que tem trabalhado pelo reconhecimento, valorização salarial e novas frentes de atuação profissional. Mas o que será essencialmente disruptivo para o futuro da profissão é a capacidade de adaptar-se às novas demandas sociais e profissionais. Temos duas principais frentes de atuação hoje no Secretariado brasileiro: a frente acadêmico-científica e a frente empreendedora. Essas duas frentes precisam aprender, antes de tudo, a ler e interpretar os movimentos mundiais em torno da relação com o trabalho e os efeitos e impactos que isso poderá causar à profissão nos próximos anos. Preocupa-me a frente acadêmico-científica em equiparar-se a profissões tradicionais fazendo educação e ciência nos moldes e formatos tradicionais, porque o mundo não funciona mais dessa forma e se não houver uma maneira de conectar a ciência à realidade em nossa área, estaremos fadados aos mesmos problemas enfrentados pela ciência atual no Brasil. Grande quantidade de publicações e pouco conteúdo relevante e factível. Por outro lado, a frente empreendedora precisa ter cuidado para não criar sempre o que já existe sem o olhar para as necessidades das pessoas e do mercado. Os valores mudaram, os conceitos mudaram e se tratarmos as pessoas e os clientes como há 30 anos, nenhum negócio prosperará. Em novembro de 2016 meu marido e eu, ambos secretários executivos por formação, iniciamos em Brasília a empresa Iventys, focada em educação corporativa. Nossas principais frentes de atuação são os treinamentos com proposta experiencial e as mentorias de carreira inicialmente realizadas com profissionais de Secretariado que necessitam identificar seu propósito de vida para direcionar seu plano de carreira. Brasília tem um traço cultural muito peculiar, pois embora seja uma cidade de várias naturalidades, também é uma cidade excludente e fechada em círculos sociais. Observando essa peculiaridade, entendemos que nosso atendimento na Iventys deveria focar nas potencialidades das pessoas, que em virtude desse traço, muitas vezes, não se sentem encorajadas tampouco preparadas a encararem novos desafios profissionais. Nosso olhar na Iventys é humanizado e baseado no feedforward, um tipo de devolutiva de desempenho com foco no potencial do profissional com foco no futuro e não com base no que foi feito no passado. Nós desenvolvemos as pessoas em nossa empresa com um olhar para o que elas podem se tornar e não para o que as impediu de crescer até o momento.

Marcela Brito
Secretária de Inteligência e Macroestratégia - EMBRAPA
Escritora livro – Secretariado Intercultural
Realiza pesquisas nas áreas de cultura, atendimento ao cliente e branding, ministra cursos, treinamentos e proferi palestras presenciais e online nas áreas mencionadas.

 

 

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: autores carreira docência educação empreendedorismo liderança secretariado

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração