Mais comentada

Série - Tipos de Gestão Pública: 4º Capítulo - Gestão pela Competência

Neste quarto e último capítulo, apresentamos o que todos deveriam fazer, principalmente no setor Público, a Gestão pela Competência, com conhecimento, experiência, expertise e resiliência.

Gestão pela Competência

Neste último episódio de nossa série, apresentamos o que todos os níveis no serviço público (pois no privado, em sua grande maioria, o que mais se exige é isso), deveriam exercer que a Gestão pela Competência.

Vários autores, estudiosos, expert’s no assunto, criam vários títulos para uma gestão de qualidade, exercida através de Liderança, Foco em Resultados, Gestão de Desempenho, entre outros, não estou a criticar nenhum deles, muito pelo contrário, algumas possuem resultados impressionantes, mas, como diz uma música dos Engenheiros do Hawaii, todos são “variações sobre um mesmo tema”, ou seja, o objetivo é realizar aquela atividade, plano de ação, atingir os resultados almejados, contudo, sem competência dos partícipes e, claro do gestor, se torna cada vez mais difícil. Mas, o que vem a ser uma Gestão pela Competência? Simples, não somente a liderança de um determinado setor, órgão público, secretaria, governo, etc., o profissional deve ser profundo conhecedor do tema em que vai atuar, possuir experiências anteriores, ter “know hall” para exercer o papel ao qual está sendo designado, ser um líder nato, de preferência, para motivar todos ao seu redor, não necessariamente precisando de contratações exacerbadas para onerar ainda mais os cofres públicos, claro, algumas pessoas de extrema confiança serão de suma importância, mas todo material humano que já atua naquela área, naquele departamento é muito útil, por conhecer os meandres, os detalhes, muitas vezes são profissionais excepcionais que simplesmente nunca foram reconhecidos ou valorizados e podem apontar soluções fantásticas. Em nosso país, no serviço público, inúmeras vezes ouvimos dizer que não há solução, que nada tem jeito, são problemas de infraestrutura, são problemas com a falta de verba (ou excesso, que muitas vezes, infelizmente, são desviadas), burocracia, legislação defasada, enfim, parece que nosso país é um poço de problemas, para tanto, só posso dizer uma coisa: - É MENTIRA! Nós vivemos em um dos países mais ricos do mundo, estamos entre as 20 maiores economias, fazemos parte do G20, fazemos parte também do BRICS, um grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que se uniram, pois são os países mais emergentes do mundo. Tudo isso porque somos uma potência, entretanto, nossos governantes não tem este mesmo objetivo. Se nos últimos 30 anos, tivéssemos governos, tanto na esfera municipal, estadual ou federal, engajados com a Gestão pela Competência, com certeza estaríamos no G8 (grupo dos 8 países mais fortes do mundo) e digo mais, entre os cinco primeiros. Estou exagerando? De jeito nenhum. Alguns exemplos disso. Nosso querido país é o maior produtor de café do mundo, o segundo maior produtor de soja do mundo, o segundo maior rebanho de gado de corte e leite do mundo, o maior exportador de carne bovina do mundo, sem contar nossas riquezas naturais, pois somos a maior reserva de água doce do planeta (o aquífero Guarani, que vai desde o Rio Grande do Sul até Mato Grosso), o qual sustentaria o planeta por 200 anos, maior jazida de esmeraldas do mundo, entre outros. Porque então não somos os maiores do mundo? O que nos falta? GESTÃO POR COMPETÊNCIA. Profissionais gabaritados, com vontade, políticos engajados com o país e não com o próprio bolso, uma população mais participativa, mais bem informada, enfim, todos temos nossa parcela de culpa neste cenário, mas precisamos nos tornar líderes, líderes de nós mesmos, almejando melhorar toda esta situação, sei o quanto é difícil “mudar o mundo”, mas podemos começar mudando nossas mentes, nosso vizinho, nosso bairro, não jogando um simples papel de bala de no chão, já faz toda a diferença, somos mais de 200 milhões, se 2% da população criasse hábitos como este exemplificado, seriam 4 milhões de novos brasileiros, é ou não uma grande diferença? Finalizo esta série com uma pergunta que ouvi em algum seriado de uma dessas plataformas de streaming:

- O que você prefere, uma ovelha liderando leões, ou um leão liderando ovelhas? Por quê?

Obrigado pela atenção e paciência, estou a ordem para discutir sobre os temas.

Até a próxima!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: administração Brasil carreira competência comportamento desenvolvimento gestão pública serviço trabalho