Somos a soma de todas as nossas experiências

Todas as experiências que passamos em nossas vidas contribuem para a construção de quem somos. É

Se existe algo complexamente rico e em constante construção é o ser humano. Desde seu nascimento até o seu último dia de vida, o ser humano vive em constante construção. É uma redundância dizer que o ser humano é um gerúndio contínuo, mas assim que é. Se pensarmos na vida profissional, teremos mais ainda a constatação deste fato.


Desde o ensino fundamental, depois básico, médio, graduação, pós-graduações, ou não, nossa vida profissional pode ser contada a partir dali porque é nossa base.
Independentemente de como começamos nossas carreiras, seja como Jovem Aprendiz, estagiário ou até mesmo já numa posição dita profissional, independentemente de como e onde nos aposentemos (ou até mesmo se nos retirarmos do mercado para dedicarmos a alguma outra atividade), a construção profissional segue seu curso natural. Se você não trabalha para terceiros e tem seu próprio empreendimento, também está valendo esta regra.


Independente da área de atuação, da formação, da profissão, da região, tudo se converte na construção deste ser. E não se pode esquecer jamais que o profissional faz parte do pessoal, então o que compõe a vida do indivíduo fora de uma empresa vai colaborar com a construção deste profissional. E vice-versa. Nossas experiências, nossas escolhas.


Um indivíduo pode se sentir plenamente realizado em dado momento de sua vida profissional. Muitas vezes podem questionar esta satisfação, mas deve-se sempre lembrar que se trata de indivíduo, ou seja, um único sujeito, com seus valores, atitudes, objetivos, inspirações, história de vida. Aqui não cabem comparações. E, claro, todos estão suscetíveis a altos e baixos e os itens listados acima vão refletir na maneira como cada um lida com estes momentos de altos e baixos.


Desafios? Medos? Inseguranças? Ambições? Cada um tem seu entendimento sobre cada um destes itens, mas especialmente sobre si mesmo. Isto é o que torna cada indivíduo uma singularidade, mas no fundo todos tem o mesmo propósito: encontrar a felicidade. Mas até isto está imerso num conceito muito particular pertinente a cada um.
Na vida nos ensinam que precisamos aprender a dizer não, mas até este não deve ser entendido na dimensão de cada indivíduo. O que é bom para um pode não ser para o outro. Respeitem-se as diferenças.


Muitos hoje em dia ainda acreditam na ideia arcaica de nossos pais e avós de que uma carreira é construída numa única empresa. Ali se entra quando jovem e somente se sai quando aposentado. Mas uma carreira é construída com base nas experiências. Não pretendo com este texto dizer que se deve pular de galho em galho, mas que se deve buscar aquilo que melhor se adequa a realidade de cada um. Muitos acabam por acomodar-se e seguir na mesma marcha enquanto outros seguem em busca de algo que lhes permita sentir-se...vivos!


No meio do caminho possivelmente pode-se encontrar a tal da frustração, mas será que ela é real ou é coisa da sua cabeça? Pense sobre o que foi idealizado e analise se realmente o que se pretendia não ficou de acordo com o que se esperava. Pode ser que você tenha alcançado sim, mas não da forma como pretendia. É muito importante este questionamento porque pode ser que se tenha colocado um peso muito maior no idealizado não alcançado do que realmente merece. Exemplo: você pretendia ser promovido e se empenhou ao máximo para conseguir, mas não ocorreu. Bom, ao menos você deve ter conseguido superar mais suas limitações, reviu seu modo de trabalho, encontrou novas alternativas, criou estratégias novas para melhores resultados, aprendeu novas tecnologias ou melhorou os conhecimentos que tinha sobre as que já utilizava, enfim, se aperfeiçoou. A frustração pode ser meramente ilusória.


Algo que deve sempre se compreendido é que como o mundo está em constante transformação, é porque o homem está nesta mesma constante. É preciso buscar novos conhecimentos, atualizações do que já se conhece, mas de nada terá valia se não se buscar mais conhecimentos sobre si mesmo aperfeiçoando-se a si mesmo. Cabe lembrar novamente que o profissional está dentro do pessoal.


Sobre atualizações, o foco não deve ser somente cursos relacionados à profissão. Vá mais ao teatro (ou faça aulas de teatro), vá mais ao cinema, exposições, leia mais romances, vá correr, nadar, surfar, viajar (nem que seja daqui pra ali), fazer artesanato. Curtir mais a vida.


Enfim, ao compreender o que realmente significa carreira talvez seja possível então ditar novos rumos para sua vida. Talvez possa ser que se esteja cobrando demais por uma falta de reflexão sobre o seu significado real, até porque se a vida muda, é sinal de que nós mudamos, então não podemos permanecer com os mesmos conceitos de cinco anos atrás. Mas o mais importante de tudo é não fazer comparações com terceiros. Cada um é um indivíduo e cabe repetir, com histórias de vida diferentes, cenários de vida diferentes.

 

 

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: carreira experiências profissão profissional sucesso vida