5 coisas que você deve fazer (e 5 que não deve) para aprender outro idioma

Estudar outro idioma pode ficar muito mais fácil se você souber o que ajuda e o que atrapalha seus estudos. Confira aqui 5 coisas que você deve fazer (e 5 que não deve) para aprender outro idioma.

Talvez "aprender inglês" esteja na lista de objetivos de uma boa parte dos brasileiros, juntamente com "economizar, emagrecer e meditar". Mas você sabe o que realmente ajuda e atrapalha na hora de estudar outro idioma? Veja aqui 05 ações que podem impulsionar o seu aprendizado do inglês (Do's)  e 05 ações que podem atrapalhar (Don'ts).

DO'S

1. Você até quer escolher uma escola de inglês, mas não sabe como? Tire uma hora da sua vida para lembrar e anotar cursos (de qualquer coisa) que você já fez na vida, nos quais você aprendeu muito bem. Liste também aqueles em que você não teve bons resultados. Comece a descobrir seu perfil de aprendiz: você aprende mais sozinho ou em grupo? Tem excelente memória ou não? Gosta de aprender pela internet ou prefere contato presencial? Prefere livros ou apps? Ambiente silencioso ou adora estudar no meio do barulho? Como hoje existem ofertas de todo tipo, você só fará uma boa escolha se se conhecer bem.

2. Diz que não tem tempo? Faça uma agenda realista, colocando lá compromissos, ou seja, dia e hora para você ter contato com o idioma. Não importa se você é ou não aluno de uma escola: coloque na agenda, busque boas fontes e…. cumpra a agenda!

3. Só consegue agendar um dia por semana? Já é um começo! Mas então lembre-se de se cercar do idioma. Computador, Waze e celular: tudo no idioma que você está estudando. Filme dublado, nunca. Aquele filme ou série que você adorou, assista sem legenda uma vez por semana. Já tem nível intermediário e vai ver um filme ou série nova? Só com legenda no idioma alvo. Escute músicas, muitas. E para acelerar, a dica de ouro: em cada filme, série ou música, tente aprender pelo menos duas palavras ou estruturas novas, colocando-as em seu bloco de notas. E naquele dia que reservou para estudo, que tal uma revisão geral?

4. Acaba se concentrando mais nas habilidades das quais mais gosta, e fugindo das que sabe que não se dá bem? Dê um jeito de se divertir ao praticar todas as habilidades, não apenas a sua preferida. Como se divertir escrevendo em outro idioma? Quem sabe com amigos, por WhatsApp? Como se divertir lendo inglês? Escolha de história em quadrinhos a romance, de notícias a roteiro de séries. E para ouvir inglês? Volte ao item 3 desta lista. Para falar em outro idioma, aí você precisa de… interlocutores. Presencial ou pela internet, busque grupos de pessoas que têm o mesmo interesse: praticar o idioma que você está estudando. Ou contrate uma escola/professor para esta prática. E entenda que você vai precisar conhecer a estrutura da língua, ou seja, não dá para não estudar gramática. A boa notícia é que hoje há cursos que possibilitam este aprendizado de um jeito divertido.

5. Prefere "inglês isso, inglês aquilo"? Sabemos que há inglês britânico, americano, sul africano, australiano, canadense etc. Assim como não deve existir uma cultura mais importante que outra, não deve existir um sotaque "melhor" ou "pior" que outro. Língua é uma das expressões da nossa cultura. E você não sabe se seu próximo chefe será americano, chinês ou indiano - o que sabe é que muito provavelmente se comunicará com ele em inglês. Mas fique sempre atento às diferenças de vocabulário e pronúncia, para aprender a se comunicar bem em inglês com povos de diversas nacionalidades - tendo eles inglês nativo ou não.

DONT'S

1. Não "faça inglês". Estabeleça um prazo para ser capaz de falar com um estrangeiro sobre qualquer assunto no qual você é capaz na sua língua. Estabeleça também prazos menores para alcançar alguns objetivos mais simples. Por exemplo: três anos para participar ativamente de uma reunião em inglês, um ano para entender um filme/série com legenda em espanhol, seis meses para conseguir conduzir uma conversa com seu filho/primo por dez minutos. Dividir o aprendizado em pequenas etapas a serem conquistadas o motivará a prosseguir.

2. Não seja perfeccionista, seja humilde e se exponha. Aproveite cada oportunidade para falar em outro idioma: com a cunhada que é professora de inglês, com o chefe espanhol, com o filho que está em uma boa escola. Não quer atrapalhar? Pergunte a estas pessoas se você pode enviar uns áudios por WhatsApp, e receber áudios delas, quando elas puderem, falando sobre qualquer coisa do dia a dia. Fale errado, mas fale. Mas não se acomode - aos poucos, melhore a qualidade do seu discurso.

3. Não encare este aprendizado como obrigação. Se fizer isso, você pode boicotar, quer dizer, encontrar na sua vida mil justificativas para não se dedicar. Encare como prazer. Gosta de música? Nos primeiros seis meses, aprenda só com música. Amou uma série que acabou? Volte nela e reveja tudo, só para prestar atenção no idioma, estabelecendo metas como: aprender 10 palavras novas em cada episódio / escrever dez frases com tempos verbais diferentes em cada episódio etc. Depois que começar a colher os frutos, será mais fácil manter a disciplina para outras ações necessárias.

4. Não adianta ver 60 palavras em quinze dias e não se lembrar de nenhuma depois. Melhor aprender 2 por dia, revisando as 14 no final da semana, e as 60 no final do mês. Um pouco por dia, com revisões periódicas.

5. Não adie mais. Não desista de novo. Quer você precise de outro idioma para o trabalho ou para viajar, se você acha que ele é importante em sua vida, é hora de parar de procrastinar (empurrar com a barriga). Chega de desculpas, porque hoje é possível aprender qualquer coisa com pouco investimento, graças à tecnologia, ou até sem nenhum custo. Se realmente você não tem disciplina para aprender sozinho, volte ao item 1 da lista de Do's  e contrate uma escola ou profissional para vencer este desafio. Sua dificuldade pode estar em começar a se comportar de forma diferente como aluno, caso você não tenha sido um aluno muito disciplinado na vida escolar. Ou pode ser difícil para você acabar com a procrastinação em sua vida como um todo, pois procrastinação também vicia - aí estudar outro idioma é só parte do problema.

 

Rosangela Souza (ou Rose Souza) é fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas (http://www.companhiadeidiomas.com.br). Graduada em Letras/Tradução/Interpretação pela Unibero, Especialista em Gestão Empresarial, MBA pela FGV e PÓSMBA pela FIA/FEA/USP, além de cursos livres de Business English nos EUA. Quando morava em São Paulo, foi professora na Pós Graduação ADM da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico e indicadores de desempenho para MPMEs. Colunista dos portais Catho, RH.com, MundoRH, AboutMe e Exame.com. Desde 2016, escolheu administrar a Companhia de Idiomas à distância e morar em Canela/RS, aquela cidadezinha ao lado de Gramado =) . Quer falar com ela? rose@companhiadeidiomas.com.br ou pelo Skype rose.f.souza

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: alemão aprendizado desenvolvimento dicas espanhol estudo francês idiomas inglês