Mais comentada

A felicidade de ser Mulher

Amo ser mulher por saber que meu corpo é receptivo, assim como meu coração e minha alma.

Amo ser mulher por saber que meu corpo é receptivo, assim como meu coração e minha alma.

Costumo afirmar para as pessoas que amo ter nascido mulher!

Amo ter as formas físicas e emocionais de uma mulher, amo meus ciclos menstruais, que me tornam tão fecunda e criativa em minhas possibilidades.

Amo poder gerar a vida de um ser e a vida de idéias. Encanto-me com a sensibilidade que trazemos em nossa estrutura e em nosso DNA!

Amo ter vontade de ficar horas apreciando as belezas que só o feminino observa em uma paisagem, ou em uma pessoa.

Gosto das roupas esvoaçantes que o feminino permite. Amo as saias e vestidos (eu seria um ser sem alma se, um dia, encontrassem só calças em meu guarda-roupa).

Adoro ir para a cozinha, olhar as possibilidades e pensar em composições que só uma mulher pode pensar.

Sinto a realização da mãe natureza quando vou em busca das flores mais coloridas e perfumadas para enfeitar minha casa e, ao mesmo tempo, minha vida.

Quando me preparei para ser mãe, fiquei encantada com o fato de meu corpo poder me dar um filho. Mais tarde, descobri que o milagre da vida é um dom divino, que me tornou divina naquele instante.

Quando ouvi a primeira vez “mamãe”, quase fiquei dias sem respirar. Pois o ser mais lindo do universo me chamava de mamãe.

Foi o momento mais sublime da minha existência, descobrir que eu era a mamãe mais feliz do mundo!

Assim como quando descobri que sempre seria uma menina. Mesmo que meu corpo adquirisse tempo de existência e maturidade, a minha alma deixaria o meu corpo com jovialidade para apaixonar-se pela vida todos os dias.

Isso é muito feminino: a receptividade para receber, todos os dias, a vida e o amor. Poder amar e receber o amor de um homem amado como se fosse a primeira vez todas as vezes que for belo viver o amor.

Encanta-me ser mulher quando posso olhar no espelho e descobrir que o olhar apaixonado de uma mulher faz milagres na vida de todos ao seu redor.

Fico mais grata a Deus quando sei que, como mulher, sou capaz de manter toda a doçura que vem do feminino e, ao mesmo tempo, toda a determinação que a intuição feminina também oferta quando há abertura para ser plenamente mulher.

Sem comparações, pois cada mulher é única e completa em suas qualidades e limitações.

Amo ser mulher quando lembro que posso brincar sem me preocupar com o que estão pensando. Posso sair descalça na chuva e sentir a água como presente, posso ficar horas no meu quarto envolvida com minhas gavetas, posso mergulhar em um romance e chorar sem constrangimento. Posso me vestir e ir para uma reunião segura de que todos querem o melhor e irei ouvir meu coração e acompanhar os números para alcançarmos o resultado.

Amo ser uma mulher que pode abraçar as amigas com carinho de irmã, e às vezes de mãe. Dar opiniões sinceras com amor e reconhecer que uma amizade vale muito na vida e no coração.

Sinto-me plena quando estou com outras mulheres, falando dos nossos desafios e de nossas conquistas e, de repente, olhamos um sapato lindo e desviamos do foco. Com a mesma seriedade, opinamos, palpitamos, rimos e com naturalidade voltamos para os temas da vida.

Amo estar com minha avó moderna de 92 anos e me sentir uma pequena menina ouvindo a sabedoria que ela expressa em sua vitalidade e maturidade, e ao mesmo tempo me olhando como se eu tivesse muito para aprender e viver.

Saber que sou delicada como só uma mulher sabe ser. E que posso ser estabanada e mesmo assim manter a delicadeza de uma mulher. E rir de tudo que derrubo quando me esqueço da delicadeza.

Sinto a essência de ser mulher ao encontrar minha sobrinha em seus 13 anos, com olhar vivaz querendo descobrir a vida, que me abraça com admiração de adolescente e que me faz reconhecer que, independentemente da idade, é importante que uma mulher saiba sonhar.

Sonhar com a vida, com as conquistas, com o amor e com a plenitude!

Amo saber que posso amar, sendo mulher, o masculino que existe em um homem. Reconhecendo quem eu sou e quem ele é, sem querer trocar ou mudar de papel, só vivendo o meu feminino ao lado de um ser que tem seu masculino naturalmente disponível para a comunhão e união que me lembra em cada célula como é bom ser Mulher!

Texto: Marcia Dolores Rezende | Editado por: www.editorexpress.com.br

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: felicidade Mulher ser

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração