Mais comentada

As várias faces de um ser humano e suas consequências

RESUMO: Este artigo aborda questões atuais sobre comportamento humano baseado nas expectativas individuais. Ele traz assuntos relacionados às variadas faces criadas quando o homem acha conveniente para se representar diante da sociedade que exclui a diferença e a pobreza. Ele tem a finalidade de

Edeuzane Steinmetz,

AS VÁRIAS FACES DE UM SER HUMANO E OS RISCOS OFERECIDOS POR ELAS


Autora: STEINMETZ, Edeuzane de Fátima Pereira da Silva


RESUMO:

Este artigo aborda questões atuais sobre comportamento humano baseado nas expectativas individuais. Ele traz assuntos relacionados às variadas faces criadas quando o homem acha conveniente para se representar diante da sociedade que exclui a diferença e a pobreza. Ele tem a finalidade de orientar e alertar dos riscos oferecidos quando não se está preparado para enfrentar situações desconhecidas criando faces insustentáveis, podendo levar o ser humano a adotar um comportamento inadequado para o momento e sofrer conseqüências indesejáveis. O artigo baseia-se em uma metodologia focada na psicologia educacional e comportamental onde vários autores citados abaixo estudam o comportamento humano e trás também um estudo de caso que demonstra como o ser humano tem a capacidade de mudar de face dependendo da ocasião e por fim ele indica o comportamento ideal que foi testado na prática e os resultados alcançados. O artigo aponta a Educação como solução auto-explicativa sobre como deve ser o modelo ideal de comportamento humano para que não aconteça frustrações individuais e coletivas.


ABSTRACT


Este texto es sobre el comportamiento humano y sus muchas caras y el mismo, está destinado a guiar y advertir de los riesgos cuando uno no está preparado para hacer frente a situaciones desconocidas y los seres humanos pueden llevar a adoptar un comportamiento inadecuado por el momento, y sufren consecuencias no deseadas. El se basa en una metodología basada en la psicología, donde varios autores citados en el estudio del comportamiento humano y la espalda también un estudio de caso que muestra cómo los seres humanos tienen la capacidad de cambiar la cara dependiendo de la época y, finalmente, indica que el comportamiento ideal sido probado en la práctica y los resultados obtenidos. El artículo señala a la educación como un sistema de autogestión de explicativas sobre cómo debe ser el modelo ideal de la conducta humana no sea que las frustraciones individuales y colectivas.


PALAVRAS-CHAVE: Facetas; Várias Faces; Risco; Controle; Comportamento humano, Educação.


CONCEITUAÇÃO E CARACTERÍSTICAS


O ser humano cria, de maneira geral, um modelo de vida para adotar e dentro desse segmento ele vai se adaptando e trilhando caminhos direcionados a esse objetivo e nem sempre ele sabe se de fato o objetivo esperado o fará feliz. Esse artigo trata das faces de um ser humano, que são muitas, e como isso pode interferir em sua felicidade o transformando em um "cidadão do bem ou do mau".

Um ser humano é formado de sentimento. Basicamente é todo sentimento. Do sentimento se dá determinado comportamento e esse por sua vez determina e demonstra, publicamente ou individualmente, quem de fato é cada um.


EPÍGRAFE


Tudo que fazemos vem como uma conseqüência do que vivemos, sentimos ou que queremos no íntimo do nosso ser. Nada acontece simplesmente porque acontece de repente, sem pensar antes ou planejar ou simplesmente desejar em algum momento, de alguma maneira outrora desconhecida ou mau interpretada. Sempre se tem uma história para contar ou sempre se tem um fato para analisar ou um caso para estudar e assim se consegue entender o que está nas entrelinhas ou que tem uma mensagem clara, portanto, subliminar.


INTRODUÇÃO


Esse artigo nos leva a entender que o ser humano tem várias facetas e que em uma delas o homem tenta se posicionar melhor e se construir para se vender para o meio onde ele vive. E essas facetas são muito interessantes dependendo de como são utilizadas e em que momento e para qual finalidade. Tem também algumas delas que oferecem riscos tanto ao próprio ser quanto aos outros que o rodeiam simplesmente passando por perto e/ou principalmente convivendo junto no cotidiano seja como colega de trabalho, como família, como amigo ou mesmo como inimigo. O que nos leva a considerar isso como parte de nossas vidas dar mais atenção a esse tema. Por outro lado,




DESENVOLVIMENTO E DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS:






Segundo Maslow, um dos motivos que nos leva a tomar decisões é a necessidade. Ele organizou essas necessidades em uma pirâmide, vejamos:

A Pirâmide de Maslow

Através do pensamento analisamos as coisas e tomamos decisões simples como: horário que devemos tomar banho ou escovar os dentes ou tomar um copo de água e isso parece simples, mas por trás desse simples ato tem uma infinidade de porquês tais como: preciso tomar água agora porque já faz bastante tempo que não tomo água hoje e se não tomar bastante líquido posso ficar desidratado ou posso ter problema de rins e outras doenças mais. Também devo beber água para aproveitar que me lembrei de tomar água devido à sede que estou sentindo nesse momento que embora não seja tanta, mas, possivelmente, meu organismo está me alertando que meu corpo precisa de água, se meu corpo pede socorro eu "devo" fazer. Escovar os dentes tem um discurso tão longo quando o de tomar água e fazer uma alimentação adequada também é um tema bastante atrativo porque me trás um benefício que pode mudar o rumo de muitas coisas em minha vida então "preciso" dar atenção a esse assunto.

O comportamento humano está muito voltado para o "adequado" para o momento e isso é péssimo. Se analisarmos uma pessoa participando de um processo seletivo concorrendo a uma vaga em uma empresa que ele tem muito interesse em trabalhar podemos perceber que seu comportamento está voltado, e quando digo assim quero que fique claro que nesse sentido estar voltado é estar se adaptando, para que seus gestores ou psicólogos ou simplesmente a equipe que concorre com o mesmo o veja como ele quer ser visto. Ou seja, o indivíduo cria uma imagem diferente no momento que quiser criar e ele consegue se adaptar a ela até certo ponto. Em muitos casos, essa aparência dura meses, anos e pode durar uma vida inteira porque ninguém está com tempo disponível, como nas novelas, para ficar juntando pecinhas que desmascaram ou demonstram quem é cada um de fato.

Existem muitos riscos no comportamento de um ser humano e esses riscos passam por nós em cada esquina ou até quando estamos em casa descansando, mas o pior deles é saber que nós mesmos oferecemos risco. Pensar que eu posso mudar de personalidade de um segundo para outro é terrível e pior ainda é ser ignorante para não procurar entender os porquês dessas mudanças de comportamentos repentinos para poder lidar com essa diversidade de faces ou controlar, podar ou redirecionar as que porventura não forem favoráveis e/ou beneficentes.

Segundo Rogerio Martins, Cinco fatores que influenciam o comportamento humano (não determinantes) , vejamos:

"Antropológicos ou culturais – fator relacionado a questão de cultura de um povo ou grupo social. Por exemplo, as pessoa que freqüentam uma determinada igreja tem hábitos semelhantes quanto a vestimenta, atitudes e comportamento em geral. Pessoas que mudam de religião tendem a assumir novas posturas exigidas ou recomendadas por este novo grupo. Lembro da história de um amigo que era uma pessoa totalmente desregrada na vida. Viveu muito tempo com diversos vícios e comportamentos anti-sociais. Determinado dia entrou para uma igreja e freqüentar. Com o tempo passou a agir de modo mais tranqüilo, sem vícios e altamente sociável.

Sócio-Econômicos – pessoas que moram em locais mais pobres ou ricos tem, em geral, características mais semelhantes entre si. É comum termos notícias de pessoas que se tornaram ricas de forma rápida e passaram a agir de modo diferente com seus amigos, parentes etc. O contrário também ocorre. Outro exemplo é que em situações econômicas de crise algumas pessoas podem sofrer alterações de comportamento devido a endividamento, desemprego etc.

Biológicos ou Fisiológicos – está relacionado ao físico. Um exemplo clássico é a mulher grávida. A alteração hormonal proporcionada pela gravidez gera em algumas mulheres alteração no comportamento. Também temos diversos relatos de pessoas que sofreram algum tipo de lesão ou AVC e, posteriormente, passam a agir de modo diferente de como se comportavam antes do acidente. A maioria passa a agir de modo mais contemplativo, harmonioso, tolerante etc.

Ambientais – tem a ver com o local onde as pessoas moram, trabalham, vivem. Estudos comprovam que cidades onde há maior incidência de sol as pessoas tendem a agir de modo mais alegre, receptivo e espontâneo. Locais mais frios, com pouca incidência de luz natural na maior parte do tempo faz que seus habitantes tenham mais comportamentos sóbrios, depressivos e individualistas. Em países, como o Brasil, onde temos um vasto território podemos perceber as diferenças no modo de agir característico de cada povo. Quando as pessoas acostumadas a uma determinada temperatura mudam para cidade ou região diferente há uma considerável mudança de humor, que poderá ser positiva ou negativa.

Psicológicos – está relacionado ao estado emocional das pessoas, modo como foram criadas e tratadas desde a infância até o momento atual. Pessoas que só receberam elogios tendem a não ter noção dos limites. Aqueles que na maior parte do tempo foram criticados por parentes, amigos, professores e outras pessoas tendem a desenvolver uma baixa auto estima. Sob uma forte pressão emocional as pessoas também podem apresentar reações inesperadas, seja de alegria ou agressividade. A perda de uma pessoa importante pode acarretar uma mudança momentânea ou definitiva no comportamento de uma pessoa, por exemplo".

Certamente que estes fatores não são definitivos, apenas apontam alguns caminhos. Quanto mais analisamos estes fatores, mais conseguimos compreender determinadas reações e atitudes humanas e suas influências.

É comum convivermos com pessoas que vivem de aparência, criam uma vida imaginária e são felizes, outros fazem tudo isso não são felizes, mas vendem essa imagem de felicidade como se ela existisse. Tem individuo que inventa que seu comportamento e atitudes irão o tornar mais aceitável para a sociedade se ele for brincalhão, ousado e de situação financeira bem sucedida e assim adota um "Ser para ser". E então ele é rico, extrovertido e ousado aos olhos de todos os que compram a idéia vendida. Tem outros seres que são coitados, vitimas e uns são os "bravos/durões" e tem também os "bonzinhos demais". Cuidado com esses, podem ser os piores e não os melhores. Tudo é uma questão de necessidade para criar uma identidade que fique bonita aos olhos de quem vê. Sabe a foto ¾ que colocamos na carteira de habilitação que foi a pior foto do ano que fizemos? Pois é, é horrível não ficar legal na foto de papel não é? Pode apostar, na foto da vida é pior ainda. E esses comportamentos humanos são variados porque ninguém quer ficar mau na foto da vida. E criar esse cenário não é tão fácil assim, exige talento, comprometimento e dedicação contínua, mas já que ninguém tem pressa que termine mesmo, máscaras desse tipo normalmente dura bastante tempo então é só deixar rolar. Então continua a cada dia a corrente de mistérios de um ser humano com suas diversas facetas como lhe convém.

Foi aplicado esse questionário em pessoas que se incluíram no meio social juntamente com pessoas classe média embora suas origens são de classe B e C. O objetivo é entender o porque desse comportamento de exclusão de pessoas de classes B e C de seus convívios sociais e a inclusão de pessoas consideradas pela sociedade, como ricas. Vejamos o quadro abaixo:


QUESTIONÁRIO – QUADRO 1


QUESTIONÁRIO APLICADO EM 14 PESSOAS

PERGUNTA 1

1-Fale sobre quem você hoje em sua família, sua posição, o que falam sobre você, seu relacionamento com os parentes e sua convivência com seus entes mais próximos.

RESPOSTA 1

12 pessoas convivem com parentes por obrigação mas se aborrecem, são chateados e criticados pela vida paralela que levam não correspondendo as expectativas da família.

PERGUNTA 2

Quais seus objetivos e metas para daqui um ano? Quais foram os objetivos e metas atingidos nos últimos 5 anos?

RESPOSTA 2

14 pessoas responderam que tem vários objetivos futuros e que convivem com nem fizeram planejamento nos anos anteriores mas não conseguiram o que precisavam para serem felizes no presente.

PERGUNTA 3

Quem você gostaria de ser, hoje? Escolha um artista, ídolo, empresário etc.

RESPOSTA 3

14 pessoas responderam que queriam ser ricas.



Esse estudo de caso foi desenvolvido com 14 pessoas e aponta os principais motivos para que uma pessoa se sinta bem em criar diversas faces diferentes nos momentos que elas consideram ser apropriados. Porque elas querem ser alguém que não são de fato. A felicidade está em ser diferente do que se vêem. E o espelho é a vida do outro ou as teorias do senso comum, abordadas e impregnadas pela/na maioria.

Foram elaboradas 5 questões e aplicadas separadamente a cada indivíduo e veja o que todos responderam em comum:


QUESTIONÁRIO - QUADRO 2


1- Você escolhe suas amizades como?

2-Que lugares você costuma freqüentar?

3-Que tipo de imagem você espera que sua família tenha a seu respeito?

4-Quem seus colegas de trabalho pensa que você é?

5-Como você prefere ser tratado diante de uma festa onde estão seus amigos, família e colegas?

As respostas confirmaram as 3 perguntas iniciais.


CONCLUSÃO


O artigo aponta os comportamentos adotados pelos seres humanos na medida em que eles acham conveniente e trás testes aplicados para entender melhor os porquês desses comportamentos variados em cada ser e conclui que as pessoas acham mais fácil se comportarem de modo que se sintam aprovados pela sociedade e o comportamento depende do momento e das pessoas que estão participando das vidas deles nos mais variados momentos de suas vidas sociais, familiares, afetivas e política.

Fica evidente que esses comportamentos estão muito relacionados com a cultura de cada e muitas vezes com o caráter ou com falta de Educação, ou seja, a ignorância de não entender que determinados comportamentos não seriam necessários se o indivíduo conseguisse entender que cada ato tem uma conseqüência que acaba sobrecarregando o psicológico da pessoa refletindo em seu dia-a-dia muitas vezes acarretando stress e outros tipos de prejuízos a saúde.

Sendo assim, quanto mais o indivíduo estuda e atinge um maior grau de instrução, menos se preocupa com coisas banais como viver de aparência ou criar uma vida paralela a sua vida real.

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: ARTIGO ACADÊMICO

Vagas de trabalho