Atitudes de renovação e a insegurança

Transformações abruptas na economia, nas funções diversas do trabalho, no método de ensino e, por fim, na mente que precisará estar apta para suportar sem se enfraquecer.


Quando crianças, dependemos dos mais velhos/responsáveis para darmos os primeiros passos na vida. Na escola, os desafios dos estudos e as dificuldades de compreensão de certas matérias, associados à falta de visão quanto sua aplicação na vida, fazem alguns odiarem ou rejeitarem aquilo que é difícil ou sem visão de aplicabilidade. Com método de ensino baseado em decorar, os anos passam, mas a cobrança ocorre durante a vida adulta. Os desafios iniciam; na distância que se percorre até o trabalho, ou no desenvolvimento das atividades laborais, associados às mudanças de rotina devido a atualizações de processo e tecnológicas, fusões com foco em aperfeiçoamento técnico etc. O grau de dificuldade aumenta, porém, amarrados a uma história oculta, a infância, sabotamos a nós mesmos, acreditando que não somos capazes de vencer o desafio do novo e das dificuldades propostas, procurando caminhos que possam nos desviar dessas situações. Assim, o que foi desprezado na infância pela falta de visão e pelos aconselhamentos de sábios, retorna em duras cobranças.

Nesse processo, pode ocorrer o desemprego; e, apesar da possibilidade de novos desafios em outra empresa, o círculo pode se repetir. Enganamo-nos também nas atualizações acadêmicas com os cursos de extensão, pós-graduação, dentre outros, devido à falta de reconhecimento de que, na vida, há desafios que não podem ser postergados. Infelizmente, os meios de comunicação popular criam fantasias, e a sociedade vive-as! Elas mostram um estilo de viver brando, fácil e com pouca dor, criando “gurus” com fórmulas para se viver, seguindo passos e métodos. Sem notarmos, ficamos, desde a infância, dependentes de aprovações externas, como a dos pais/responsáveis, ou de colegas de trabalho, ou de mestres, por acreditarmos que não seremos bons, ou que o trabalho a ser exercido, sem opinião, será sempre ruim.

Não conseguimos nos desenvolver com a crítica construtiva e com as ferramentas disponíveis em sua diversidade, provavelmente porque alguém se esforçou em nos mostrar como a atividade deve ser feita e, desde a infância, pode ser uma ação inconsciente no presente, esperar que alguém dê o início para podermos continuar o proposto.

Significado da palavra renovação, segundo o DICIO.com.br: "s.f. Ação ou efeito de renovar; ação de fazer com que (algo) fique como novo; ato de se modificar para melhor; renovamento". O que nos faz permanecer “estagnados” ou “paralisados” perante os desafios? Uma vez que existam ferramentas para desenvolver nossas novas atividades, devemos perder o medo de errar, perder o medo da crítica alheia ou de pessoas que não tenham experiência comprovada naquilo a que se propuseram fazer de melhoria ou do zero, novo. Caso haja dúvida, estimule seus pensamentos na tentativa de resolvê-la por si e, caso não haja alternativas, pergunte a quem possui sabedoria e experiência no assunto.

Uma das perdas da sociedade está na falta de observação e de reflexão; muitos estão envoltos soluções rápidas, mas há momentos em que devem existir mais reflexões que ações imediatistas, e aplicá-las com cautela. Devido ao processo de transformações rápidas, as inovações são aceitas sem muita objeção; e, outras, frustram-se ao tentar por si próprias, sem resultados. Precisamos voltar a aprender e a obter conhecimento e a encarar os novos desafios de nossa era. Precisamos de oficinas de reciclagem (escolas, curso de extensão, ajuda de profissionais da mente: psicólogos etc.).

As evoluções neste século ocorrem de forma muito rápida e podem abalar estruturas frágeis. O profissional do século XXI passará por diversas turbulências, ocasionadas pelas mudanças e devido às variáveis do sistema econômico mundial. Assim, cada um precisará ter a mente apta para suportá-las; do contrário, será mais um ser vivendo na dependência de familiares, amigos ou do próprio governo, com problemas de saúde, principalmente na área mental. Os filtros para assimilar todas essas mudanças são necessários e darão o suporte necessário a cada indivíduo, porém requer tempo de qualidade para reflexão e ousadia para buscá-los e implementá-los em si mesmos. “Nem tudo que reluz é ouro, nem tudo o que dizem é. Nem tudo que parece ser é.”

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: aprovação de terceiros evolução mente aberta renovação da mente

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração