Bons conselhos, quem possui?

Ouvimos muitas palavras e frases. E temos tantas pessoas ao redor! Mas ouvimos bem pouco sobre assuntos específicos, vividos com sabedoria. Afinal, onde estão os sábios e seus preciosos conselhos? Bons conselhos, quem possui?

"Os lábios que transmitem conhecimento são uma rara preciosidade." Provérbios 20.15b

Quando estou em alguma fila, no dia a dia, como a da padaria, no caixa de mercado e em locais públicos, percebo diálogos entre amigos, mas não noto nada novo. São apenas fofocas e assuntos supérfluos.

Raramente alguém, no ambiente de trabalho, levanta de sua mesa a fim de ajudar um colega com dificuldade de exercer uma atividade. Não porque alguém pediu, mas por perceber a dificuldade, observando o ambiente como um todo. E, mesmo que não tenha convívio com tal pessoa, ajudou-a, ou se disponibilizou para qualquer eventualidade.

Ainda no trabalho, esperamos no feedback a luz para podermos mudar de rota ou continuar a fazer bem as atividades que nos são incumbidas. Se temos colegas mais chegados e sábios, ótimo. Porém, o trabalho também é competitivo, daí percebo que os sábios estão em extinção, pois, se há competição, poderá haver sinceridade nos conselhos? Nessa hora, esquecemos o ditado "Faça o bem, sem olhar a quem".

"Existe, entre vocês, alguém que seja sábio e inteligente? Pois, então, que prove isso pelo seu bom comportamento e pelas suas ações, praticadas com humildade e sabedoria. Mas, se no coração de vocês existe inveja, amargura e egoísmo, então não mintam contra a verdade, gabando-se de serem sábios." Tiago 3.13,14 NTLH

Há muitas pessoas de nosso convivio que têm necessidade de falar e sempre expressar suas opiniões ou qualquer assunto. Devemos ter cuidado com tais seres pelo fato de não quererem outra coisa a não ser prender atenções. "O tolo não se interessa em aprender, mas só em dar as suas opiniões." (Provérbios 18:2 NTLH) Esses tipos não se consideram errados em suas opiniões ou formas de interagir com a equipe, exceto se houver algum prejuízo visível que possa prejudicar a eles mesmos, não aos demais. "Não vale a pena conversar com o tolo, pois ele despreza a sabedoria do que você fala." Provérbios 23.9 NVI

A dúvida surge: onde estão as pessoas que possuem experiências de vida e maturidade a ponto de discorrerem sobre vários assuntos por força da experiência pessoal, conseguindo ser conselheiros para esta geração? Estou cansado de ouvir alguns dos principais assuntos atuais, como as competições amorosas, pensamentos como "homem sério não existe, assim como mulher santa", casamento é uma forca, viajar, baladas e álcool são bons, fórmulas de sucesso rápido e, em muitas vezes, são também conselhos sem fundamentos, sem o conteúdo essencial - o exemplo prático de quem está aconselhando, com modéstia, ética e moral.

Estar fora da caixa também é viver e agir fora dos padrões esdrúxulos e vazios desta sociedade que se diz evoluída... E que sofre de depressão, doenças crônicas, enfrenta muitas mortes prematuras e está bastante endividada.

Afinal, se eu me assentar com você, qual será o conteúdo novo, agradável, edificante e sábio que poderei ouvir de seus lábios e que transformaram a sua vida e poderão me ajudar a continuar de forma equilibrada?

"O homem prudente não alardeia o seu conhecimento, mas o coração dos tolos derrama insensatez." Provérbios 12:23 NVI

Há um sucesso admirável e pouco concorrido: ser sábio e distribuir sabedoria de vida neste século. Não apenas por consultoria, como parte de um trabalho profissional, mas por puro prazer e satisfação, sem custos. Reflitamos. 

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: conhecimento adquirido equilíbrio de vida equilíbrio no falar maturidade de vida sensatez temperamento sadio

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração