Brasil, o gigante covarde

Deixemos o orgulho de lado aos possíveis troféus quanto ao país e perceberemos, vergonhosamente, a qualidade de nossas estruturas políticas e sociais.

Orgulhar-se por ser brasileiro; mas quais são os motivos? Há anos sem educação de qualidade; serviço de saúde pública ineficiente e inexistente em muitas regiões; estrutura de transporte insuficiente, sucateada ou superfaturada; ruas com péssima situação de asfalto. Apesar do avanço das tecnologias e dos sistemas de informação, do acesso a cursos técnicos ou universidades, seu povo ainda é escravo da elite industrial e política. As universidades não formam cidadãos, mas apenas engrenagens às indústrias, e o estímulo aos estudos está centrado na carreira ou em “ganhar dinheiro”.

A crise política e econômica tem também como culpado o povo que insiste em esquivar-se de temas complexos, como as ciências política e social, não utilizando dos meios legais para cobrar mudanças. Ademais, ainda não sabe como reivindicar tais mudanças. Não persiste nos propósitos, afrouxa-se na perseguição e é desestimulado pelos conterrâneos a abandonar a ideia de lutar por transformações. As pessoas acreditam nas falácias dos políticos e em promessas que, de forma clara, não se cumprem. A mentalidade, focada em si mesma, no usufruir de prazeres que o dinheiro possa proporcionar, mesmo que seja à custa de outrem, sejam parentes, sejam amigos, sejam colegas de trabalho. Os mais abastados financeiramente, inteligentes ou visionários investem em carreira fora do país e, quando voltam, em momento algum cooperam nas mudanças em sociedade. Também se pode dizer que o uso da internet é focado em entretenimento, apesar do vasto material educacional gratuito nas áreas das ciências exatas e humanas.

Quando as pessoas olhavam os manifestantes que estavam (e ainda continuam) na Avenida Paulista, reivindicando o impeachment da Presidente Dilma, há poucas semanas, muitas os chamavam de vagabundos. O que se pode esperar em termos de mudanças quando o ato de manifestar é recriminado por tantos, a ponto de serem tachados assim?!
Analisemos também outras questões, como a escolha de profissões. Em muitos lares, os filhos não podem cogitar em estudar Filosofia, Sociologia, Ciências Políticas, Educação Física, Enfermagem ou Teologia, pois seus pais dirão que são profissões de “vagabundos”, preguiçosos ou que não renderão um bom futuro financeiro. Pelas condições econômicas bastante limitadas, é necessário ingressar em alguma carreira que proporcione boa renda para, posteriormente, realizar a migração de carreira para uma das áreas desprezadas pela sociedade.

Futebol e carnaval, durante o ano todo, são as religiões oficiais da nação. Os pais ensinam aos filhos que as mulheres devem ser “comidas” sempre que possível e que homem bom é aquele que possui carro e dinheiro com abundância. Os estudos são necessários para se tornar alguém com dinheiro, e os esforços devem ser focados em passar de série. O patronato propaga que, para crescer, é preciso estudar mais, mentir, trapacear e abdicar-se da família. O Governo oprime a todos com reajustes nos impostos; assim, os trabalhadores entram em exaustão e em rotinas viciosas. É proibido reclamar e protestar, fazendo-se acreditar que não há alternativa para mudanças benéficas. Alega-se falta de verbas para todos; e os sindicatos, corrompidos, usufruem das arrecadações e não defendem a classe trabalhadora, mostrando-se coniventes com as ações injustas de vários empresários.

Muitos também se escoram na religião, erroneamente, aguardando que Deus faça algum milagre pelo país. A ignorância, ao trilharem pela religião com essa meta, é tão grande que não percebem que até mesmo Salomão teve de se esforçar e estudar para compreender tudo ao redor e, assim, exercer sua administração com eficiência e eficácia. Outros personagens bíblicos, como Esdras, Neemias, Ester, Davi e Daniel, foram extremamente sábios, visionários; sabiam aplicar o conhecimento a favor da nação.
Qual a motivação do jovem que, ao ingressar na faculdade, depara-se, nos arredores, com muitos bares e boates? Onde estão os pais que deveriam controlar os filhos? Estes mentem, matando aula, frequentam bares ou motéis e mantêm o foco na aquisição do diploma. Como os pensamentos e as atitudes são orquestrados e aplicados na juventude e pela juventude? A base que define a longevidade da sociedade está enfraquecida, sucateada, vendida como cultura (ou tempos modernos) com adaptações nocivas; doce veneno. Há gestores cruéis, ingratos e insatisfeitos com o mercado e com as próprias famílias, prostituindo os ensinamentos de gerações passadas.

A ignorância é a chave dos partidos no Brasil, principalmente nas questões políticas. Tais políticos agem com tirania e resistirão com veemência à força popular para que o sistema olhe para eles mesmos e, não, para a população. O dinheiro arrecadado nas privatizações das estatais em nada contribuiu para a melhoria da saúde (sem considerar o período de cobrança da CPMF - Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, cujo foco estava na área da saúde, mas nenhuma mudança foi realizada no setor), da educação e dos transportes, criando ou permitindo o ingresso de oligopólios internacionais cruéis que formaram cartéis e controlam os preços, sempre nas alturas, com a falsa sensação de concorrência em setores estratégicos, extinguindo o empresariado nacional.

A arrecadação tributária passa de um trilhão de reais anuais, e não há investimento em mais de 70% do território nacional. Quando ocorre, mostra-se incoerente e superfaturado. Ouvem-se as mesmas promessas... Passam anos, e muito pouco das promessas políticas dos tempos de eleição são cumpridas de forma satisfatória. A população nada faz para que os mentirosos e corruptos políticos sejam punidos por seus atos, colocando-se em estado de apatia, acreditando ser vontade divina a miséria atual. Assim, citam-se frases medíocres, como “a justiça tarda, mas não falha”.

No Brasil, muitos são hipócritas, mentirosos e desonestos. Tais pessoas não sabem ser justas e transformam-se em demônios/inescrupulosos quando assumem algum tipo de poder ou cargo de confiança, quer seja em empresas privadas, quer em estatais, quer em Organizações não Governamentais, quer em condomínios, quer em organizações religiosas. Não existe ética e moral. Desrespeitosas, preguiçosas intelectuais e indisciplinadas, mostram-se orgulhosas e soberbas, aceitando subornar e ser subornadas em troca de favores ou dinheiro. Exigem mudanças na política, mas as pessoas não mudam a si mesmas e não têm coragem de pleitear a corja política. Todavia, pedem socorro aos deuses, sem perceberem que o poder de mudança está em suas mãos.

Alguns artistas renomados, alguns especificamente de categoria musical, denunciaram a corrupção no país, há décadas, e ainda o fazem até o presente. Contudo, o ritmo do povo é “beber, cair e levantar/ beber, cair e levantar“ sem ação, puramente covarde. Acredita-se ainda em conto de fadas, na grandeza de “suas empresas”, das medalhas conquistadas nos esportes, como se essa força fosse suficiente para transformar as demais áreas, como saúde, educação, transporte e estrutura urbana, em modelos funcionais e eficientes. O futuro do país parece ser medíocre e miserável. Nada muda (e as mudanças feitas, pífias, superfaturadas, ou inacabadas...), mudou ou mudará, pois tudo está como no passado, até que seja impossível reverter a situação, como ocorrera em Cuba, Venezuela, Coreia do Norte e em alguns países africanos. Alguns desses apresentam regime ditatorial, mantendo-se com capital estrangeiro e multinacionais de altos investimentos para extração de matérias-primas. Exploram os povos, porém nada é revertido, financeiramente, às populações, governadas por castas políticas corruptas, por muitas décadas. Não será diferente o destino do Brasil que, aliás, já caminha para tal rumo. Porém, muitos não percebem isso.
Existem bandidos fortemente armados assaltando casas, condomínios e empresas de segurança privada, como as de segurança financeira/bancos. Há explosão de caixas eletrônicos, guerra entre traficantes, caos na política, desvios desenfreados de dinheiro... Tudo ocasiona opressão, somando-se a muitos impostos e a aumentos abusivos desses. Por fim, percebe-se a deterioração da população.

Não se evolui, ou evoluirá, com os mesmos partidos e cabeças políticas que sempre estiveram no poder, desde tempos antigos, sejam nos partidos de direita, sejam nos de esquerda. Não se evolui enquanto o estudo das ciências políticas e da religião não for obrigatório a todos, pois são os principais mecanismos de manipulação social. Enquanto isso, assistimos ao desmantelamento da máquina pública em todos os sentidos, ao caos, à guerra civil e à proliferação de doenças erradicadas em séculos anteriores, retornando com agressividade. Muitos estão preocupados apenas com seus umbigos, como a carreira, o sucesso financeiro e vaidades inclusas nos pacotes, vivendo das teorias e das filosofias do subjetivismo e do relativismo, fortalecendo ainda mais os políticos profissionais e a sua perpetuação no poder.

Brasil, dimensões continentais, rico em minérios, em pedras preciosas, na biodiversidade, em rios e mares... É a mistura de muitos povos; multicultural. As dimensões da ignorância de inúmeros de seu povo - cérebros com pouco uso eficiente, ociosos e inclinados para o mal.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: Brasil corrupto brasileiro corrupto covardia política direita no poder michel temer partidos políticos brasileiro pt no poder

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração