Como o autoconhecimento dos pais pode interferir na vida dos filhos?

Os pais têm a responsabilidade de manter um ambiente saudável e equilibrado ao longo da vida, mas principalmente na fase da infância

iStock

Considerado o mês das crianças, outubro é o período em que os pequenos são mais lembrados com as entregas de mimos e carinhos. E essa evidência me faz refletir: quais referências de valores, autoestima, desenvolvimento e amor essas crianças estão recebendo hoje em seus lares e como o autoconhecimento dos pais pode ajudar em todo esse processo?

Quando criança, nossas atitudes, gostos e desejos estão intimamente ligados ao nosso ambiente familiar, já que é a nossa maior e principal referência – especialmente sobre o que presenciamos das próprias atitudes e comportamentos dos pais. Passamos a observá-los e a copiá-los em tudo. A criança, por um tempo, precisa olhar para os adultos, até para descobrir qual o seu lugar nesse mundo e no seio da família.

Os pais têm a responsabilidade de manter um ambiente saudável e equilibrado ao longo da vida, mas principalmente na fase da infância, estar atento, com consciência sobre si mesmo e ao que transmite ao filho pode fazer toda a diferença positiva para o desenvolvimento das crianças.

É aqui que entra a importância do autoconhecimento, pois, a partir dela os pais têm a oportunidade de reconhecer suas próprias negatividades e aprender caminhos para mudar a si mesmos, isso influencia diretamente o meio no qual a criança vive. Os pais passam a perceber melhor sua própria humanidade, isto é, que não são seres perfeitos, todos somos constituídos pelo nosso bem e pelo nosso mal. Por isso, reconhecer nossas próprias dificuldades e qualidades é um passo essencial para desenvolver a autoestima e autoconfiança.

A maneira que nossos pais nos ensinaram, provavelmente, também foi a forma que eles aprenderam, o que torna fundamental quebrar essa sequência negativa e investir na mudança. Nunca é tarde para praticarmos o autoconhecimento e passarmos a vida a limpo, e podemos começar agora com algumas atitudes, tais como:

Observe e conheça a você mesmo. Não importa a idade do seu filho, o primeiro passo para a relação de vocês se estabelecer com mais qualidade é que você reconheça a si mesmo e aceite seus próprios defeitos e qualidades; tenha interesse em descobrir quem e como é o seu filho.

Olhe nos olhos da criança com curiosidade. Ela já tem tendências, gostos, sabores, cheiros; saiba reconhecer e elogiar os bons comportamentos.

Faça elogios ao seu filho. Mas elogie pontualmente, na hora em que a situação for digna de reconhecimento; ajude-os a reconhecer e nomear as próprias emoções. Ensine-os sobre o que eles estão sentindo e que está tudo bem eles vivenciarem aquela emoção, inclusive quando forem negativas (como raiva, dor, ciúme etc). Reconhecer os próprios sentimentos faz parte do autoconhecimento.

Essas, dentre outras dicas, são abordadas profundamente no curso de autoconhecimento Processo Hoffman, reconhecido em vários países há 50 anos e presente no Brasil há mais de 35. Além disso, nenhuma das dicas terá sucesso e nenhum filho será realmente feliz se antes os pais não buscarem a própria felicidade. Seus filhos copiarão sempre seus comportamentos. E não importa se você trabalha fora e não tem tempo para estar com a criança. Dê o seu melhor. Quando estiver com seu filho, fique com ele, olhe para ele, curta o momento. Isso tem um significado extraordinário!

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: autoconhecimento desenvolvimento humano

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração