Como sua linguagem corporal pode ajudar a moldar quem você é

Assim como sua mente molda o seu corpo, seu corpo também pode ajudar a moldar sua mente.

Antes de continuar a ler este texto, pare por um instante e observe sua postura.

Como está sua coluna? Ereta ou curvada? E seus ombros? Estão ligeiramente voltados para dentro ou para fora? Todas essas posturas, podem falar muito sobre você e seu estado psicológico. Uma coisa que sempre digo é: Se você quer saber como uma pessoa se sente em relação a algo, não pergunte a ela, mas ao seu corpo e ele com certeza a entregará.

Estamos cansados de ouvir que "o corpo fala" e de fato isso é real, no entanto, por mais que saibamos, ainda insistimos em não dar atenção a essa importante forma de comunicação.

Recentemente, em um processo de entrevistas perguntei sobre empresas anteriores a uma candidata, enquanto ela falava, notei um leve movimento de sobrancelhas que me pareceu uma expressão de tristeza. Ao final de sua resposta, onde relacionou as 3 últimas empresas perguntei sobre a empresa de número 2, onde observei a tal expressão. Perguntei o que houve e por que aquela lembrança a entristecia - Bingo! A resposta veio imediatamente. A tal empresa que ao que pareceu a candidata ter muita estima, havia entrado com pedido de falência, tendo que fazer um grande corte de pessoal e seu nome, infelizmente estava lista.

Este é apenas um pequeno exemplo de como expressões podem denunciar sentimentos, pensamentos e até mesmo ações futuras e quanto mais consciente se estiver disso, melhor será sua interação ao meio em que vive.

Bem sabemos que expressões corporais não são privilégios do ser humano, observe um pouco aquele cachorrinho ou qualquer outro animalzinho, eles também se comunicam bastante por expressões corporais, e algumas delas são bastante semelhantes as nossas, como o "estufar o peito" quando se quer "dominar território" ou "se encolher" quando está entristecido, são bons exemplos disso.

Você já parou para pensar como se expressa corporalmente? Se ainda não o fez, deveria, pois a linguagem corporal afeta e muito a maneira como os outros nos vêem e vai além, podendo mudar também a maneira como nos vemos e nos sentimos.

A boa notícia é que por mais que você tenha alguns "vícios" corporais, pode perfeitamente remodelar seu comportamento adotando "poses de poder" para se sentir mais confiante.

O que me lembra quando precisei gravar vídeos para um projeto, recrutando várias mulheres para a gravação de um piloto. Muitas se sentiam inseguras e na hora em que a câmera começava a gravar simplesmente ficavam paralisadas.

Sem saber muito o que fazer, olhei para uma amiga, que tocava o projeto comigo. Ela disse: Vamos tentar algo que pode dar certo! E assim, chegava perto de cada mulher e se colocava com as duas mãos na cintura estufando o peito e elevando o queixo levemente para cima. Cada mulher deveria ficar pelo menos 2 minutos nesta mesma posição. Achei aquilo um tanto inusitado, mas não tendo outra saída, resolvi fazer o mesmo. O que aconteceu em seguida, foi simplesmente mágico! Após este simples exercício foi perceptível ver que a expressão de poder tomou conta dessas mulheres, e assim conseguimos por pra fora o melhor de cada uma delas para a tal gravação.

Por isso até hoje, se sinto que estou um pouco insegura em relação a algo, coloco as duas mãos na cintura, em pose de Mulher Maravilha e fico assim por um tempo. Talvez este seja um meio pelo qual você também consiga se sentir mais forte e confiante, vale experimentar.

Sabemos que nossa mente muda nosso corpo, temos inúmeras provas disso. Mas o muita gente talvez não saiba é que nosso corpo também tem poder de mudar nossa mente em relação ao que pensamos e sentimos, podendo aumentar estados de assertividade, confiança e otimismo, isto porque "poses de poder" além de fazer com que se sinta mais confiante, ainda pode afetar os níveis de testosterona e cortisol (hormônio do stress) no cérebro, tendo um impacto significativo na forma em que se age (e reage) aos acontecimentos e oportunidades.

Em um estudo social realizado pela psicóloga Amy Cuddy, se constatou que machos alfas de grande poder na hierarquia dos primatas, tinham um alto nível de testosterona e baixo nível de cortisol. Esse dado foi correlacionado com humanos com perfil de liderança poderosa e eficaz, o que se descobriu é que os níveis de hormônios (testosterona e cortizol) dos líderes humanos, eram semelhantes proporcionalmente. Mas o que isso significa? Significa que poder não está somente relacionado a testosterona, mas também ao controle do stress. Pois, de nada adianta ter uma característica bastante dominante se a reação a situações adversas não pode ser controlada.

Portanto, se você quer se sentir e passar a imagem de uma pessoa mais poderosa, não basta apenas "se sentir poderosa" deve também procurar se sentir bem e menos estressada.

E nisso as poses que faz sem perceber podem impactar muito. Atualmente vivemos na era da hiperconectividade, todos com seus smartphones cabisbaixos quase que em simbiose com a tela. Você já reparou que esta é uma pose de "não poder?" note que se fica às vezes durante muito tempo curvado e de cabeça baixa - a característica postura de pessoas inseguras ou com perfil mais depressivo.

A mesma psicóloga citada acima, em outro experimento, fez com que pessoas reproduzissem poses de "alto poder" e poses de "baixo poder" - como a que fazemos quando estamos sentados olhando para a tela do celular. Logo em seguida, submeteu essas pessoas a uma entrevista de emprego bastante estressante, com duração de 5 minutos. Você já pode imaginar o que aconteceu? Sim, as pessoas que adotaram poses que representavam poder, se sairam significativamente melhores das que não as adotaram e isso não estava somente relacionado ao discurso de cada uma delas, mas também da presença que levavam para o discurso (sinais que passavam confiança, entusiasmo e autenticidade).

Justamente por isso que durante muito tempo, sempre dei o mesmo conselho a pessoas que chegavam para mim, relatando se sentirem inseguras: Aja como se!

Agir como se é algo bastante familiar a nós. Quando crianças fizemos muito isso, imaginando-se em cenários de brincadeiras como princesas, heroínas, heróis, policiais e tudo mais que a criatividade nos pudesse permitir. Acontece que a medida que crescemos, esquecemos dessa capacidade e acabamos por deixar o que imaginamos ser real, afetar aquilo que somos e sentimos. Portanto se você se sente insegura, aja como se! Aja como se fosse uma pessoa poderosa dia após dia, até que isso se torne real. Não se trata de fingir ou se sentir uma fraude, mas de fazer e fazer repetidamente até que possa se tornar aquilo que "fingia ser" tal como um treino.

Se você se sente aterrorizado com a ideia de que não sabe negociar, aja como se fosse o melhor negociador do mundo, faça isso em toda a oportunidade que tiver, até o dia em que realmente se sinta o melhor negociador. O mesmo vale para todas as outras coisas das quais tem medo ou acha que não é bom o suficiente.

E quando vier aquele pensamento da sindrome de impostor que conhecemos bem - "Eu não deveria estar aqui", "eu não mereço isso" ou "não vou dar conta". Saiba que você deveria estar sim, porque você merece e vai dar conta! Aja como se, até que você seja.

Conte com as posturas de poder que te façam sentir bem para "agir como se" da maneira que deve, são apenas dois minutos, mas que fazem uma grande diferença antes de momentos significativos, como aquela apresentação na faculdade ou aquela reunião importante. Faça isso no banheiro, na sala fechada ou no elevador, mas faça.

Finalizo este texto, com um conselho que talvez não concorde, mas que tem dado resultado para muitas pessoas, inclusive para mim.

Finja até conseguir fazer.
Finja até se tornar o que fingiu ser.
Finja até tornar isso verdadeiro.
Mas lembre-se: Não finja até conseguir fazer, finja até conseguir SER.
É assim que se muda.


Texto inspirado no TED da Psicóloga social Amy Cuddy.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração