Compulsão - mentes insaciáveis

A compulsão é tema de grande polêmica e frequente na vida de diversas pessoas, sobretudo dos brasileiros. Esse é um problema comum em países industrializados e com uma forte cultura de consumo. Afinal de contas o que é compulsão e o que fazer para enfrentá-la?

A compulsão é tema de grande polêmica e frequente na vida de diversas pessoas, sobretudo dos brasileiros. Esse é um problema comum em países industrializados e com uma forte cultura de consumo.

Afinal de contas o que é compulsão?

Compulsão é quando dispomos de um desejo, uma vontade incontrolável de fazer alguma coisa, uma obsessão ou repetição exagerada. Normalmente esse comportamento está associado a alguma gratificação emocional, ou seja, o indivíduo age de forma a obter alívio de algum sofrimento, um escape para uma determinada situação ou emoção. A pessoa que possui esse tipo de comportamento descontrolado pode estar tentando compensar sentimentos de ansiedade, angústia, afastar alguma ameaça ou mesmo procurando obter prazer ou satisfação.

Existem inúmeros tipos de compulsões, mas as mais conhecidas e frequentes são aquelas por cigarro, álcool, sexo, comida, compras e jogos. Há também tipos de comportamentos compulsivos que são realizados de maneira inconsciente e excessivamente repetida como lavar as mãos, posicionar os objetos para que fiquem simétricos ou na posição certa, acumular ou armazenar objetos sem utilidade e não conseguir descartá-los, arrancar cabelos, roer unhas, beliscar-se, etc. Sabe aquele cafezinho que se repete inúmeras vezes durante o dia? Esse tipo de comportamento também pode ser considerado uma compulsão. Não é o fato de degustar o café, mas sim o ritual, a repetição exagerada. Muitas vezes o sabor e o aroma nem são apreciados e sim a necessidade que motiva o consumo exagerado.

Além disso, alguns acontecimentos intensos na vida das pessoas podem desencadear compulsões ou, pela restrição do hábito ocasionar uma substituição, às vezes até pior. Isso nos faz atentar a importância de entender e trabalhar a causa desse hábito nocivo.

A compulsão é resultado de um conflito psíquico. Basicamente, o comportamento compulsivo, os pensamentos ou atos que a pessoa realiza lhe parecem contra tudo aquilo que ela, normalmente, deseja lutar.

O mecanismo que desencadeia a compulsão e a torna um transtorno ainda não está totalmente desvendado, mas especialistas afirmam que o problema tem causa multifatorial. Falhas no sistema de recompensa do cérebro, associadas a fatores socioculturais, são os principais elementos que geram tais condutas. O nosso cérebro grava quando passamos por uma situação agradável e há liberação de dopamina, substância química diretamente ligada à sensação de bem-estar. Ao repetir tal comportamento em busca de bem-estar, cria-se uma dependência, pois o indivíduo provoca a liberação de dopamina fazendo a busca pelo prazer ainda mais incessante, em um ciclo vicioso.

Os aspectos sociais e culturais são determinantes para o desenvolvimento do transtorno, assim como a existência de outras doenças como ansiedade e depressão. Mesmo que a pessoa seja predisposta geneticamente a ser compulsiva, o problema não costuma ser desencadeado sem o gatilho dos fatores sociais.

E como saber identificar se uma compulsão se tornou um transtorno?

Normalmente, quando um hábito começa a impactar no ritmo e dinâmica de vida da pessoa, comprometer os relacionamentos ou os seus resultados desejados, então é chegado o momento de buscar uma auxílio para o tratamento. Independente de qual for a compulsão é necessário buscar ajuda profissional, uma vez que, se não for tratada pode ocasionar sérios prejuízos, físicos, emocionais e até financeiros.

Se você tem alguma das compulsões mencionadas acima ou outra qualquer, que atrapalham de um determinada maneira sua vida e seu dia-a-dia, não hesite em procurar um médico, inicialmente. A terapia e a prescrição de medicamentos são algumas das alternativas de tratamento mais comuns. A participação em grupos de ajuda também é uma saída complementar e a intervenção dos familiares costuma ser crucial para dar um ponto final no ciclo vicioso.

Você já imaginou como seria viver livre, leve e feliz? Saiba que isso é possível!

O meu trabalho, como terapeuta é ajudá-lo nesse processo por meio da hipnose, da terapia Ericksoniana e do biofeedback cardiovascular, ferramentas altamente recomendadas, benéficas e com grande efetividade. Uma das premissas é o alívio das emoções negativas, dos sintomas do stress e da ansiedade, que são os pivôs dos comportamentos compulsivos. Além de obter outros benefícios.

Quer uma dica que pode iniciar nesse processo? Respire profundamente…

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(0)
Tags: após a cirurgia bariátrica como controlar o stress como lidar com a ansiedade como livrar da ansiedade compulsão controle emocional hábitos negativos livrar da compulsão