Desperdício de tempo

Entre tantos afazeres e muitas atividades, nada para, porém paramos no tempo e somos atropelados sem entendermos o motivo da catástrofe.

iStock

O entretenimento fugaz rouba-nos tempo sem percebermos. Nas ruas e no trânsito, como tem sido comum o uso contínuo de smartphones ou de tablets. Vemos pedestres e motoristas distraídos com tais dispositivos, podendo ocasionarem acidentes fatais. No trabalho, há a fuga para internet para visualização de conteúdos fúteis, ou as olhadelas no smartphone para verificar alguma coisa sem valor, conversas desnecessárias. Ao chegar a casa, programas de TV que pouco agregarão ao crescimento pessoal ou profissional são assistidos. Afinal, por que estamos sempre reclamando da falta de tempo? Sua organização é a resposta! Muitos conhecem isso na teoria, mas a prática é terrível, muito falha.

Não organizamos o tempo para ler notícias ou livros que ajudarão no crescimento da carreira ou no pessoal. Nem mesmo aproveitamos o tempo no trânsito ou nos transportes públicos para assistir a palestras ou conteúdos de valore ético, moral ou profissional. Estamos digerindo diversos conteúdos nocivos em forma de cultura, mas que um dia provocarão má digestão.

Entretenimento é necessário para todos, mas muitos não possuem limites, tampouco conseguem dar pausa a fim de focarem outros assuntos/temas importantes à vida e à carreira. Estudos na área da Psicologia e a experiência de convívio com novos candidatos a cargos em empresas afirmam que inúmeros homens e mulheres não são/estão maduros emocionalmente. Por isso, não conseguem ter o equilíbrio necessário para suportarem as pressões do trabalho e de âmbito familiar. Consideram-se as bagagens de vida dessas pessoas muito frágeis quando se analisa o seu dia a dia. Sem perceberem, encaram toda a existência com eterna adolescência, repleta de fantasias e com pouco labor.

Na velocidade dos avanços científico, tecnológico, administrativo e financeiro, além da expansão do mercado de trabalho, ficará para trás quem não conseguir enxergar um palmo à sua frente. Precisaremos administrar o tempo, precioso, a fim de sermos capazes de nos tornar melhores e mais eficientes.

Qual foi a última vez que indicamos um bom livro para alguém? Quando você ou sua família assistiram a uma peça? Qual foi o último bate-papo construtivo no trabalho, ou entre amigos? Sem percebermos, apenas tagarelamos aquilo que já está escrito nos portais de informação, e o que mais nos atrai, como moda, carros, comidas, bebidas etc. Reflitamos.

"Os sábios acumulam conhecimento, mas a boca do insensato é um convite à ruína." (Provérbios 10:14)

Avalie este artigo:
(5)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: entretenimento equilíbrio fugaz maturidade emocional perda tempo

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração