EFD-IRPJ: prepare-se para a entrega

O objetivo deste artigo é comentar sobre um novo programa do projeto SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) denominado EFD-IRPJ (Escrituração Fiscal Digital - IRPJ) a ser escriturado de forma obrigatória para as empresas tributadas pelo Lucro Real, Lucro Arbitrado, Lucro Presumido, Imunes e Isentas, cujo prazo de entrega será até 30/06/2014

José Joaquim,

 

Conforme a IN RFB 989/09, A Receita Federal tinha como projeto inicial a criação do programa E-Lalur (Livro Eletrônico de Escrituração e Apuração do IRPJ e CSLL sobre o Lucro Líquido da Pessoa Jurídica Tributada pelo Lucro Real), para fins de extinção da DIPJ das empresas tributadas pelo Lucro Real.

Porém, conforme divulgado no seu site, a Receita Federal substituiu o E-Lalur pelo EFD-IRPJ (Escrituração Fiscal Digital - IRPJ), para fins de controle do IRPJ e a CSLL das empresas do Lucro Real, incluindo também o Lucro Presumido e Lucro Arbitrado, informações das Entidades Imunes e Isentas, bem como os registros referentes às fichas de informações econômicas e gerais da DIPJ, gerando, por consequência, a extinção da DIPJ.

Ou seja, vem aí uma “DIPJ Turbinada” via SPED para fins de fiscalização eletrônica com os demais programas SPED.  Conforme divulgado pela Receita Federal, o projeto EFD-IRPJ encontra-se em fase de especificação e o sistema estará disponível para os contribuintes em 2014. A escrituração do EFD-IRPJ iniciará a partir do exercício de 2013 e o prazo de entrega do primeiro EFD-IRPJ será até 30/06/2014 (Último dia útil do mês de junho do ano subseqüente ao ano-calendário de referência) conforme previsto no art. 4º da IN RFB 989/09.

Abaixo, descrevo algumas recomendações para fins de preparação já a partir deste ano e evitar problemas com a vinda da EFD-IRPJ.

1)  Empresas do Lucro Real:

  • Ter muito cuidado com a DIPJ deste ano referente ao ano calendário 2012 e situações especiais em 2013 a ser entregue até 28/06/13, pois a Receita irá tomar como base os valores finais declarados nesta, juntamente com o ECD (Escrituração Contábil Digital) para fins de abertura de saldos da EFD-IRPJ;
  • Conferir se os saldos credores acumulados de Prejuízos Fiscais (IRPJ) e a base negativa da Contribuição Social (CSLL) estão corretos de acordo com os valores declarados na DIPJ, já que são créditos tributários a serem compensados pelos contribuintes nas futuras EFD-IRPJ;
  • Ter todos os controles detalhados dos valores escriturados no programa Fcont quanto às eliminações dos valores para fins de RTT (Regime Tributário de Transição) previsto na Lei nº 11.941/09;

 

  • Possuir todas as contas contábeis conciliadas e controladas para fins fiscais no Lalur (Livro de Apuração do Lucro Real) parte “A” e “B”, pois a Receita Federal irá verificar se os valores contábeis escrituradas na ECD serão validados de acordo com a legislação tributária.

 

2) Empresas do Lucro Presumido/Imunes e Isentas:

  • Possuir todas as contas contábeis conciliadas. Com a extinção da DIPJ, acredito que em breve deverão também enviar o Sped Contábil;
  • Manter a disposição da fiscalização todas as planilhas de cálculo das bases tributárias, conforme o caso. 

 

Percebe-se que a partir deste ano a Receita Federal está a todo vapor quanto aos controles eletrônicos contábeis e fiscais dos contribuintes, tais como a EFD- IRPJ, EFD-Contribuições para o Lucro Presumido e em breve o E-Social (folha de pagamento e livro de empregados). Acredito que as próximas etapas serão a inclusão dos programas eletrônicos para fins de fechamento dos ciclos econômicos e financeiros das empresas, tais como: estoques, fluxos de caixa, contas e pagar, contas a receber, etc.

Prepare-se para a entrega!

José Joaquim Filho

www.premiercursos.com.br

 

Avalie este artigo:
(0)

Curta o Administradores.com no Facebook
Acompanhe o Administradores no Twitter
Receba Grátis a Newsletter do Administradores

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.