MasterChef Jr. e as bizarrices de um programa com crianças feito para adultos

Se Marty McFly realmente tivesse chegado ao nosso mundo ontem, talvez achasse que o Delorean o teria levado ao passado

Reprodução

Particularmente, não curto o formato MasterChef. É uma questão pessoal. Não gosto do programa assim como você pode não gostar de vestir azul ou comer brócolis. Se tivesse que dar uma justificativa para meu não apreço, talvez dissesse que a tensão para fazer algo que para mim tem uma aura quase sagrada – comida – me deixa aflito. Mas, até aí, tudo bem. Não gosto, mudo de canal e fico na minha. Só que essa versão com crianças, que estreou terça-feira (20), não consegui simplesmente ignorar.

O uso da imagem infantil na TV e na publicidade é algo que, quase sempre, me provoca alguns incômodos. É um assunto complexo, que divide opiniões e merece um debate à parte, que podemos travar por aqui mesmo mais tarde. Mas alguns casos são indiscutivelmente bizarros. Minha única dúvida é se a bizarrice maior está nas ações em si ou na naturalização delas.

Hoje fazemos piada com os absurdos dos programas de Xuxa nos anos 1980 e 1990, geralmente chegando à conclusão de que aquela foi uma época de maior tolerância a situações como essa, mas que hoje já estão superadas (graças, em parte, ao malvadão politicamente correto). Mas eis que chega o MasterChef Jr., no embalo do sucesso de sua versão adulta, para nos lembrar que, se Marty McFly realmente tivesse chegado ao nosso mundo ontem, talvez achasse que o Delorean o teria levado ao passado, e não ao futuro.

Aqui, alguns motivos pelos quais eu acho isso:

Prévia

No dia seguinte à estreia do programa, muitos sites e usuários comuns manifestaram revolta com a enxurrada de comentários de cunho pedófilo postadas principalmente no Twitter após a apresentação da menina Valentina, uma das participantes do reality. Mas a própria Band deixou sua contribuição aos pedófilos, com uma piada sem graça e ainda mais inapropriada pelo momento em que foi levada ao ar. Na prévia da estreia, uma esquete do Pânico fez piada com os casos de abusos de meninos e meninas atribuídos a Michael Jackson. Some a isso outras piadas de cunho sexual e a exposição de mulheres de biquíni na prévia de um programa que, reforcemos, é protagonizado por crianças.

Com crianças, mas não para crianças

Se o uso de crianças em programas e propagandas para outras crianças já tem seus problemas, imagine um conteúdo para adultos protagonizado por meninos e meninas. O MasterChef Jr. vai ao ar às 21h e termina de madrugada. Esse é um programa para adultos. Para se ter uma ideia, no horário em que a Band transmite o reality, a Globo costuma exibir suas novelas com faixa de censura mais alta, como – por exemplo – Verdades Secretas, que chamou atenção pela grande quantidade de cenas de sexo.

Situações de tensão e risco

À Folha, a Band disse que "cumpre as normas estabelecidas em lei para a participação das crianças e conta com equipe de segurança para evitar acidentes”. Mas nada me convence de que ter crianças expostas a situações de extrema tensão, mexendo em panelas de pressão, frigideiras com óleo fervendo e com facas nas mãos é algo seguro.

Enfim, é isso. Se você tem algo a acrescentar ou discorda de algo que eu disse, fique à vontade para interagir com a gente nos comentários. Mas respire antes e tente discutir civilizadamente. =)

Avalie este artigo:
(25)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração