Mais comentada

O sucesso está em nossas mãos

Para alcançar o sucesso ao qual somos cobrados diariamente, seja ele no setor financeiro ou intelectual, melhorar o desempenho no que nos propomos a fazer muitas vezes parece impossível.

Em tempos de mudanças rápidas, no mundo contemporâneo e na era digital, cada vez mais nós seres humanos nos distanciamos uns dos outros, em busca das individualidades, mesmo estando rodeados de pessoas. E facilmente observamos dentro das organizações, principalmente nas relações interpessoais, os grandes entraves. A velocidade das mudanças tornou nossos dias um desafio, principalmente em nossos comportamentos sociais e profissionais. Para alcançar o sucesso ao qual somos cobrados diariamente, seja ele no setor financeiro ou intelectual, melhorar o desempenho no que nos propomos a fazer muitas vezes parece impossível.

Este processo transformou a minha vida, aliás está transformando, ao longo do tempo fui me apaixonando pelas ferramentas e pelo maior resultado: mudança de comportamento. Nesse sentido, o Coaching pode também ser analisado como uma ferramenta para avaliação e mudança de práticas, o professor Mario Sergio Cortella (2011) expõe que: No mundo competitivo, para caminhar para a excelência é preciso fazer o melhor, no lugar de vez ou outra, contentar-se com o possível. E isso exige humildade e exige que coloquemos em dúvida as práticas que tínhamos. Porque se as práticas que tínhamos e temos no dia a dia fossem suficientes, estaríamos melhores (CORTELLA, 2011: 30).

Despertar para o nosso ser próspero O grande foco do Coaching é voltado para os processos organizacionais, porém, a busca pelo autoconhecimento, desenvolvimento e conquista de objetivos me motivou, e motiva um número cada vez maior de indivíduos e profissionais, a conhecer mais sobre esta metodologia de alta aplicabilidade e a utilizar suas ferramentas em diversas outras áreas.

Ter uma vida que inspire pessoas é uma das vocações e missão do coach, sabemos que esta não é uma tarefa fácil, mas possível de se conseguir, assim é necessário ter em mente que somos seres humanos, como tais somos falíveis, e justamente nos erros existem possibilidades para novas aprendizagens e a criação de uma consciência e autonomia da responsabilidade de que o processo de coaching pode fazer por pessoas e organizações, principalmente compreender que este rico processo passa pelo autoconhecimento, isso evidente quando o coachee consegue, através das ferramentas do processo, identificar suas potencialidades e seus pontos de melhoria.

Quando isso ocorre significa que, o coachee, já possui em seu interior a consciência de tudo o que ele realmente é, apenas necessita despertar a vontade de ser o que realmente deseja. Isto ficou bem evidenciado em meus atendimentos aos vários coachees com quem tive a maravilhosa oportunidade de trabalhar e caminhar junto a eles em diferentes processos de mudança, que me fizeram também compreender as dimensões do que é nos tornar pessoas melhores, com mais felicidade, com foco redefinidos, com objetivos alcançados, percebemos que a nossas fraquezas se tornam nossas forças.

Tão logo surgem os primeiros resultados, as pessoas mais próximas começam a perceber as sutilezas dos novos comportamentos: um ser humano que apresenta atitudes diferentes no enfrentamento de problemas corriqueiros, mais otimista, empreendedor, sonhador e conectado com o outro.

Fazer a formação de coach é um divisor de águas entre o velho e o novo, na verdade não o novo, mas uma maneira diferente de sermos e olharmos a essência do ser humano. O coaching dá resultados, mas para as pessoas e empresas que aceitem fazer diferente e pensar diferente. Entrar no processo é um aceite para abrir as portas de sua empresa, perfil e vida para perceber pontos fortes e fraquezas que precisam de ajuste e mudança imediata.

Aqui temos lembrar-se de nunca esquecer que abrir as portas para o autoconhecimento está diretamente ligado ao “eu” interior, à vontade e à decisão de mudança. Para Cortela (2011) a solidificação deste conhecimento, bem como a vitalização das atitudes, habilidade, comportamentos e competências, se da a partir do processo de educação continuada. Neste sentido construir uma consciência que promova o autoconhecimento que resulte em uma transformação duradoura, com metodologias, competências, requer uma postura atuante do ser humano em um recomeçar diário em um processo continuo de formação com base nos sólidos resultados alcançados na essencial de ouvir, de cocriar assim efetivando o seu objetivo.

O processo de coaching tem o foco no presente e no futuro, o coach auxilia como uma série de ferramentas o coachee a perceber a partir do autoconhecimento suas potencialidades aprimorando suas competências e assim atingir seus objetivos com consciência e autonomia.

Conforme O’Neill (2001), o aprendizado individual é ampliado para o grupo de trabalho e, então, para a coletividade organizacional. Podemos assim dizer que o processo de coaching e contagioso onde o resultado é uma melhor qualidade de vida, um aperfeiçoamento do desempenho profissional, controle emocional, foco em resultados onde o coachee passa a por em prática em um exercício diário que é visto e percebido, em vida família e na carreira profissional para alcançar seus objetivos.

Este momento é a chave do processo, pois surgem perguntas cruciais: Eu quero mudar? O que me impede e perco se deixar de agir com um comportamento ou estratégia que me traz segurança e estabilidade? Como arriscar e buscar resultados diferentes sabendo que tenho de abandonar velhos hábitos? Atitudes iguais, resultados iguais. Quer algo diferente? Precisa agir diferente.

Precisamos despertar o nosso ser próspero.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração