Os ciclos de mudança da vida

"Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão" Fernando Pessoa

A vida das pessoas é constituída por diversos ciclos, alguns curtos e rápidos outros que duram vários anos. Se você parar para pensar perceberá que a sua vida também foi dividida por vários ciclos.

Os ciclos de mudanças são uma constante na vida das pessoas, das empresas, das organizações e também de uma profissão, pois a vida é um ciclo.

A unidade dum ciclo é composta por vários tamanhos de ciclos, alguns individuais outros coletivos (ciclos de evolução, temporais, culturais, etc.), outros são característicos de pessoas que exercem a mesma profissão ou estão com a mesma idade. A mudança faz parte da vida, somente os mortos, os ignorantes e os teimosos não mudam. São as mudanças que provocam a evolução.

As mudanças sempre aconteceram, mas os ciclos de mudanças antigamente eram mais lentos e percorriam um espaço maior no tempo com isso permitindo que as pessoas “digerissem” estas mudanças com mais calma, mas com o advento da tecnologia da informação houve um aumento dos ciclos de mudanças diminuindo seu período de duração com isso criando a necessidade de adaptação constante às mudanças, fazendo assim que as pessoas tenham a sensação de que sempre estão desatualizadas.

Por exemplo, se você adquire um aparelho celular de ultima geração, o mais moderno, com todas as funções que possamos imaginar, provavelmente em um período 60 dias ele já estará ultrapassado por outro modelo, a velocidade com que as mudanças chegam é assombrosa.

Muito se fala em mudança de paradigma e mentalidade. Peter Senge usou o termo grego Metanóia na década de 90 em seu livro “A quinta disciplina” se referindo à mudança fundamental da mente. Literalmente trata-se da transcendência da mente como um significado mais profundo de aprendizagem.

Por isso compreender o significado de Metanòia é compreender a essência do significado de aprender. Ao longo dos tempos, tem-se perdido o sentido de aprender: para a maioria das pessoas aprender se resume a receber uma determinada informação, por exemplo, você lê um livro e presume que "aprendeu" tudo que estava no livro, mas poucas vezes consegue realmente aplicar aqueles conceitos.

Mas, na verdade, aprender é muito mais que acolher passivamente informação; aprender implica compreender o mundo e a nossa relação com ele, quando processamos a informação transformando-a em aprendizado tornarmo-nos capazes de fazer algo que não éramos capazes de fazer antes , ampliamos a nossa capacidade de criar e consequentemente recriarmo-nos.

Tudo na vida são ciclos. Ciclos de aprendizado.

Suce$$o

Avalie este artigo:
(3)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: carreira mudança neurocomportamento recinella vida

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração