Ordem e progresso?

Vi no Twitter uma brincadeira que seria a pergunta em um vestibular daqui há algumas décadas: quem era o presidente na chamada Revolta dos Vinte Centavos ocorrida no ano de 2013? Talvez esse seja o nome que ficará para a história, talvez seja outro ou quem sabe ainda essas manifestações param por aqui e nem fiquem registradas nas páginas da nossa história, pois não terá tanta relevância. Não acredito.

Naquela tarde, policiais de Goiânia distribuíram rosas brancas para as pessoas que já se aglomeravam para as manifestações marcadas. Foram 10 mil flores ao todo, simbolizando a paz que deveria prevalecer naquele evento prestes a começar. Já pensou que os policiais podem ser os mais pressionados em todo esse processo? Eles são povo também e passam pelas mesmas frustrações que todos nós, mas pela exigência do dever precisam garantir a ordem. O Estado exige que eles desempenhem bem essa função. Evidente que exageram às vezes, da mesma forma que manifestantes exaltados também o fazem, mas o problema do Brasil não é a polícia.

Vi no Twitter uma brincadeira que seria a pergunta em um vestibular daqui há algumas décadas: quem era o presidente na chamada Revolta dos Vinte Centavos ocorrida no ano de 2013? Talvez esse seja o nome que ficará para a história, talvez seja outro ou quem sabe ainda essas manifestações param por aqui e nem fiquem registradas nas páginas da nossa história, pois não terá tanta relevância. Não acredito. A manifestação dos médicos e dos caminhoneiros que vieram depois são provas de que está havendo de fato uma mudança de comportamento.

Penso que o povo brasileiro acordou de fato depois de um sono profundo de longos anos. Iludidos pelo poder de compra que aumentou e muito, sobre isso não há discussão, pelo consumismo desenfreado imposto pelas mídias e pelo sistema como um todo, as pessoas ficaram alienadas e alheias a tudo de ruim que tem acontecido em nosso país. Parece que fechamos os olhos, raríssimas exceções, para a corrupção, a insegurança, a falta de educação e saúde que assola o Brasil. Não adianta dizer que está tudo bem, não está tudo bem.

Parece que finalmente percebemos isso e, penso que de agora em diante, não aceitaremos mais que somente empurrem coisas por nossa goela abaixo. Sobre o desperdício de dinheiro público com obras para a Copa do Mundo, escrevi em um dos artigos anteriores, é de fato algo foram do comum. Por mais que o Governo fale que é empréstimo e que o dinheiro será reembolsado sabemos que não é bem assim. Superfaturamento de obras, comissões aqui e ali, infelizmente é algo normal por aqui.

É Deputado querendo atrapalhar o trabalho do Ministério Público, outro falando que homossexualismo é doença como se orientação sexual tivesse qualquer tipo de relação com a índole ou educação do ser humano. Existem Gays bons e maus como qualquer outra pessoa. Um cartaz em meio às manifestações trazia uma frase bem humorada, mas com um conteúdo bem reflexivo: “Os SUS não cura nem gripe, vai curar viadagem?” Algumas condições ou escolhas não fazem com que um ser humano mude seus valores.  Por que não votam leis que beneficiem as pessoas? Por que não reduzem os salários exorbitantes e acabam com as mordomias que eles e outros funcionários públicos têm?

Não dá para entender por os bons políticos não expurgam os ruins de lá. Será que é pelo fato de os bons serem minoria? A corrupção está em todas as esferas. Estamos vendo diariamente que além de políticos, temos juízes corruptos, empresários corruptos, funcionários públicos corruptos, jornalistas corruptos e por aí vai. Não estão nem aí com os interesses coletivos. Há quem diga que isso faz parte do amadurecimento da Democracia. E que o Brasil é um país jovem.

Pelo menos por hora a paciência das pessoas está esgotada. E não adianta baixarem preços de passagens de ônibus e metrô, como aconteceu e está acorrendo em muitas cidades, pensando que estará tudo resolvido. Não é só o preço, são as condições do transporte público. Como é que a Lei que obriga as pessoas a usarem cinto de segurança nos carros não vale para ônibus? Quanta incoerência, as pessoas se espremem, viajando em pé até por horas para chegarem a seus locais de trabalho e depois em suas casas. É sabido que isso só foi o estopim na cidade de São Paulo. A pesquisa feita pelo Ibope mostra que em termos gerais, o primeiro lugar nas reivindicações está a questão política com 65%, justamente as mazelas sociais, corrupção e falta de interesse com os problemas públicos por parte de quem deveria nos representar.

A mesma pesquisa citada fala que 46% das pessoas ouvidas nunca havia participado de nenhum tipo de manifestação. Pode ter certeza, se nada acontecer, esse percentual vai aumentar. Outros motivos de protesto considerados prioritários pelos manifestantes na pesquisa do Ibope: em defesa da saúde 12%, contra a PEC 37, medida que tira do Ministério Público a atribuição de realizar investigações criminais  6%, 5% contra os gastos com a Copa do Mundo e outros 5% pela educação. Interessante é que 94% acredita que será atendida, pelo menos parte das reivindicações.

Estavam todos engasgados. Basta de impunidade, basta de descaso com o povo, basta de autoridades sem atitude. Essa é a voz que ecoa das ruas. Para que o “Progresso” presente na nossa Bandeira de fato aconteça é necessário que as autoridades tenham um mínimo de consideração e respeito, até lá, haverá muita “Desordem”. Se não for dessa forma o povo não será ouvido. Certamente os policiais das Rosas Brancas de Goiânia, se pudessem, também teriam muito a dizer.


Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.