Mais comentada

Os que acreditam nas suas próprias mentiras

A importância de identificar e como se afastar de pessoas "viciadas em mentira" ou doentes

iStock

Como dizia Renato Russo, "mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira". Para mim é um dos piores defeitos de uma pessoa. Tão forte quanto a inveja, a mentira pode destruir tudo e todos a sua volta.

Os grandes mestres na mentira são os psicopatas, assim, ela vem como resultado de uma mente doentia. Para quem não sabe, o psicopata não é apenas aquele que está associado com a violência. É nesse sentido e sobre isso que eu escrevo este texto para servir de alerta. Não sou médico e não sou especialista neste assunto, mas já vivi o suficiente para entender, conviver com pessoas assim e perceber muito mais coisas do que os mais jovens. Mentir é sim uma doença, um transtorno psicológico que deve ser tratado.

A pessoa que acredita nas suas próprias mentiras e que tem vício compulsivo em mentir, convence-se das mentiras como puras verdades. O mentiroso geralmente é um cara bem articulado, um bom ator, manipulador e ótimo marqueteiro pessoal, seguro de si, cheio de opinião e histórias mirabolantes. Dominar outras pessoas é o dom do mentiroso. Ele usa o seu suposto encanto, habilidade e a força da oratória para atingir os seus objetivos, acredita que suas ideias valem mais do que tudo e muitas vezes se acha a pessoa mais importante do mundo, porém, apenas da "porta para fora" (pois tem crises internas de autoestima).

Pior do que isso, tem orgulho intrínseco da sua capacidade de enganar. O mentiroso por vezes nem se dá conta que está mentindo, até em coisas banais sem importância. Quando é pego na mentira, o ataque se transforma na melhor defesa, traz outros pontos para tirar o foco e sempre tem uma boa desculpa e nunca assume a culpa ou erro. E por isso, não aceita em nenhuma hipótese que foi descoberto contando uma mentira e distorce o máximo possível para que a mentira tenha sempre um fundo de verdade ou um grande propósito.  

O maior trabalho que esta pessoa doente tem é de lembrar das mentiras que contou em tempos atrás para não cair em contradição, porque dissimular é a sua melhor arte e estratégia para sua proteção. Melhor fazem os escorpiões, no velho “mito” de que cometem suicídio quando se sentem em perigo ou encurralados. Ao contrário, esses mentirosos não sentem nenhum tipo de remorso ou nenhum mal pela dor que causaram ao outro ou pelo que fizeram (uma pontada passageira, talvez!). Geralmente são tão frios que nem rancor conseguem guardar. Não conseguem se colocar no lugar do próximo, as pessoas são somente um elo para que eles consigam chegar em seus objetivos. Os estudos apontam que uma pessoa assim, no fundo, tem consciência que seus atos são nocivos à sociedade e à sua comunidade, mas não teme punição por ter a certeza que tudo o que faz tem um propósito e um benefício (que é o dele mesmo).

Tecnicamente o nome desta doença é pseudolalia e tem vários graus de intensidade. Um perigo que, apesar de ter tratamento, não sei se tem cura definitiva. Meu objetivo com este texto é apenas alertar as pessoas que convivem com gente com estas características. Preste atenção em sua volta, tome cuidado com a convivência com este tipo de gente, se possível se afaste, pois dependendo da gravidade, a partir de um determinado ponto, para se tornar uma pessoa violenta é preciso apenas um lapso ou descuido. Há várias histórias nesse sentido. 

Ok, mas como fazer para identificar pessoas assim? Para ter certeza que não está se relacionando com esses "viciados em mentira" ou doentes, procurem (no médio prazo) características que são totalmente incompatíveis com o perfil delas (mesmo que eles simulem ou mintam, em algum momento não vão conseguir manter), como humildade, resiliência, gratidão, empatia, atitude positiva, resultados duradouros, credibilidade, lucidez, autocontrole, família no aspecto amplo, concentração, honestidade, equilíbrio, partilha, compaixão, confiança, doação, ensinamentos, aprendizagem, benevolência, caridade, profundidade e espírito colaborativo. 

Se você, ao ler este artigo, em algum momento se identificou com o seu eu, ou vestiu a carapuça (o que é muito difícil), que bom, pois sua causa tem salvação. Na boa, procure urgente um psicólogo, terapeuta ou mesmo um psiquiatra e faça um tratamento para tentar equilibrar seu modo de viver.

Em um mundo de verdades e muitas mentiras, apenas os despreparados têm medo da verdade. Um dia os mais fortes serão os que falam a verdade e não os que sabem mentir. Estamos no caminho!

Avalie este artigo:
(7)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: joão Kepler kepler mentir mentira Pseudolalia Psicopatia

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração