Quais são os desafios da Gestão de Pessoas nas organizações do século XXI?

Alguns desafios que podem ser encontrados na Gestão de Pessoas do século XXI.

À medida que crescemos, que as responsabilidades da vida começam a cobrar cada vez mais de nosso senso crítico e organização, nos deparamos com uma evolução pessoal inerente ao ser humano, e é comum que os desafios apareçam e desapareçam em qualquer âmbito de nossas vidas, sendo ele pessoal e/ou profissional.

Para profissionais que atuam diretamente com gestão de pessoas, alguns desafios os cercam mesmo antes de vivermos a atual Era da Tecnologia, onde as máquinas cada vez mais tomam o espaço que até “ontem”, apenas um ser humano poderia ocupar. Abaixo serão citados alguns desafios que podem ser encontrados nas organizações em relação à gestão de pessoas na atualidade.

1º Manter / Reter talentos: não é de hoje que as organizações desejam possuir os melhores colaboradores do mercado, profissionais de alta performance, auto-gerenciáveis e proativos, mas em contra partida, o que as organizações tem feito para manter esses profissionais em seu quadro? Qual o diferencial que a organização tem a oferecer? Não é fácil possuir mentes inquietas e inconformadas com resultados medianos, pois para colaboradores com essas características, o topo sempre pode ser ultrapassado.

2º Motivar / Incentivar: aqui temos o que podemos chamar de “Par de Ases” para quem atua com gestão de pessoas. Entender que motivar, tomando como base a sua abordagem intrínseca, é diferente de incentivar, mas que ambos caminham de mãos dadas, não é nada fácil. Motivação é qualquer motivo que pode ou não está ligado ao exercício laboral que o colaborador exerce e que o faz dia após dia, enfrentar todas as adversidades que o seu trabalho lhe impõe. Segundo José Roberto Marques, em seu artigo ao Portal IBC:

“A motivação intrínseca – também conhecida como motivação interna – está relacionada à força interior, capaz de se manter ativa mesmo diante da adversidade. Este tipo de motivação é independente do ambiente, das situações e das mudanças, estando relacionada aos interesses individuais e que podem ser alterados apenas por escolha da pessoa. Geralmente, a motivação interna está associada a metas, objetivos e projetos pessoais que estimulam o indivíduo a acordar todos os dias, enfrentar o trânsito e se dedicar a horas intensas de trabalho. Este é um tipo de motivação que está presente em todas as pessoas, pois é o que gera força para estar em movimento, conquistar coisas e escrever sua própria história.”

Já o incentivo está ligado totalmente à atuação do gestor em buscar manter acessa a chama individual da motivação de cada um de seus colaboradores. Para isso, o uso de técnicas como Campanhas Motivacionais, Brainstorming, Canais abertos e Feedbacks 360º, são grandes aliadas para que se tenha um desenho mais próximo da perfeição possível da equipe.

3º Sentimento de dono: ainda é comum encontrarmos nas organizações, tanto na esfera pública como na esfera privada, colaboradores que por variados motivos permanecem em sua area de conforto e fazem questão de assim ficar. Desenvolver nessas pessoas o sentimento de dono é algo bastante desafiador para um gestor, pois aqui podemos encontrar aspectos culturais e educacionais que influenciam esse tipo de comportamento. Podemos citar como exemplo, a pessoa que passa por um determinado local, ver um copo jogado fora do lixo e assim o deixa. Não possui a atitude de pegá-lo e jogá-lo no lixo, que certamente existe. Se sentir dono do negócio mesmo não sendo, é um diferencial competitivo que deve ser fomentado pelas organizações que buscam sempre a melhoria contínua em seus processos e evolução do capital humano.

4º Avanço tecnológico: não poderíamos falar de desafios sem citar aquele que nunca para, que sempre chega para intrigar e estimular o crescimento das organizações, os temidos e amados avanços tecnológicos. À medida que a tecnologia torna mais fáceis e ágeis vários processos, tanto na vida pessoal quanto na profissional, a mesma é responsável também por afastar e até mesmo por extinguir a necessidade de capital humano em alguns setores. A promessa de que em um futuro próximo, a função de Operador de Telemarketing poderá ser feita 100% através do atendimento eletrônico, a famosa URA (Unidade de Atendimento Audível), chega a ser aterrorizante, pois ainda temos nos “Call Center” um dos maiores pólos de emprego da atualidade, embora seja uma característica inerente ao negócio possuir uma grande rotatividade, aqui voltamos para o 1º item da lista e que, mesmo a organização buscando manter e reter seus talentos, essa ação dificilmente atingirá a totalidade de seus colaboradores.

Podemos então perceber que os desafios vão sempre existir independente da época em que acontece, o diferencial está em identificar e atuar sempre em busca da melhoria contínua nos processos acerca dos subsistemas de gestão pessoas, girando o PDCA da gestão, sempre que necessário.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Avalie este artigo:
(2)
Tags: Desafios Gestão Gestão de Pessoas Século XXI