Alfabetização econômica

A importância da socialização econômica na educação básica

A alfabetização econômica trata-se do processo em que o individuo toma conhecimento (através da educação financeira), se comporta e age financeiramente, ou seja, de como absorve as informações passadas e toma decisões eficazes.

Em essência, a educação financeira nos países desenvolvidos, cabe a família. Às escolas detêm a função de lapidar aquilo que foi adquirido em casa. No Brasil o processo não se dá da mesma maneira, pois ainda não se tem a cultura deste tipo de orientação.

É preciso admitir e entender que a educação financeira, na fase de desenvolvimento, irá proporcionar à criança maiores chances de se tornar um adulto consciente em relação as suas finanças, bem como alguém que irá saber lidar com situações cotidianas e se posicionar como um cidadão crítico, responsável e solidário.

O ambiente cultural da sociedade atual, tem exigido cada vez mais auto-suficiência e responsabilidade, por isso tem de se pensar que a alfabetização econômica é de suma importância, no âmbito social. Isso se dá porque a criança terá futuramente a noção de que sua formação o fará ter melhor desempenho sócio e econômico, em situações das quais têm sido cada vez mais complexas e em transformação constante.

E é através da família e da escola, que cada criança é "trabalhada" individualmente e em conjunto, pelas informações que lhes são proporcionadas e pelos estímulos cognitivos. Assim, constroem os conceitos e explicações sobre o mundo econômico, compreendendo então, a realidade que os cerca.

Vale ressaltar que a escola deve orientar e exercer atividades com práticas educativas, mas os pais são os principais responsáveis na conduta das crianças, pois são em regra, os provedores do dinheiro. Sendo assim, cabe a família o papel de iniciar a educação financeira e a escola a função de fortalecer e aprimorar esse ensinamento.

Pode-se dizer que ato de educar é um ato de amor, pois só se preocupa em educar a quem se quer bem. Tem- se que ir além do ensinar a consumir de maneira sustentável, é necessário que a criança entenda que há um processo do ganhar, poupar e gastar e que isso se dá pela capacidade de resolver problemas, fazer escolhas, planejar e claro, pelo principio de ética.

Em síntese, existe urgência em que sejam desenvolvidas ações efetivas para minimizar e em tempo, sanar o problema da lacuna chamada alfabetização econômica. São orientadas medidas interventivas como jogos e livros educativos (físicos e/ou virtuais), com supervisão de um adulto. E sempre que possível, atividades em que a criança interaja com outras da mesma idade, fazendo com que a mesma saiba lidar e entender como conviver bem em sociedade. Pois sabe-se que o futuro será resultado do que for plantado hoje. 

Referências Bibliográficas

ARAÚJO, Regina Magna Bonifácio de. Alfabetização Econômica. Compromisso Social na Educação das Crianças. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2009.

CERBASI, Gustavo. Pais inteligentes enriquecem seus filhos. Rio de Janeiro: Sextante, 2011.

D'AQUINO, Cássia de. Educação Financeira. Como educar seus filhos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

FRANKENBERG, Louis. Seu futuro financeiro- 16ª Ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(2)
Tags: alfabetização econômica consumo criança dinheiro economia educação educação financeira finanças