Capitalismo crise: novembro de 2.014

Fatos relevantes da economia e política internacional em novembro de 2.014


O presente texto tem como base a leitura de fatos relevantes da economia internacional na imprensa brasileira, referentes ao período de novembro de 2.014.


Para Martin Feldstein , 74 , professor da Universidade Harvard, “A Europa está numa situação muito complicada. Houve algum progresso na Irlanda e na Espanha, mas o desemprego ainda está muito alto e os déficits são elevados. Nos países centrais , devemos ter recessão ou crescimento próximo de zero. Já os Estados Unidos estão em um patamar melhor. ( Revista Exame, 12.11.2014, p. 56) .

Para o FMI, é essencial que países como Brasil, Índia e Turquia , mantenham o curso do ajuste em suas contas públicas, seja em razão dos grandes déficits e inflação em alta, em alguns casos, ou devido ao nível elevado do financiamento externo.

Em nota preparada para o encontro do G20, em Brisbaine, na Austrália, o Fundo afirma ainda que “ um aperto na politica monetária também pode ser necessário caso as expectativas de inflação piorem”. ( F S P , 14.11.2014, p. B-3) . O governo brasileiro está tentando fazer justamente o contrário do que o FMI recomenda, tentando aprovar um projeto no Congresso que consagre um modelo de irresponsabilidade fiscal.

Os membros da Opep decidiram em reunião no dia 27 de novembro não reduzir sua produção como queriam a Venezuela e o Irã.

Com a divulgação da notícia, o preço do petróleo cru , tipo Brent , caiu mais ainda para US$ 72,58 o barril, a cotação mais baixa em quatro anos. A estratégia de países como a Arábia Saudita é aguentar um período de preços mais baixos, para desestimular a produção em determinadas áreas , e assim ganhar mercado em longo prazo. A produção será mantida em 30 milhões de barris por dia no primeiro semestre. ( F S P , 28.11.2014, Mercado 2, p. 1).

No dia 28, o barril negociado na Bolsa de Nova York , despencou 10% , sendo negociado a US$ 66,15 no contrato com vencimento em janeiro, a menor cotação desde 25 de setembro de 2009.

O colapso dos preços do petróleo deve produzir um recuo de US$ 316 bilhões na receita da Opep. Será a primeira vez em 20 anos que os países do cartel estarão tirando liquidez do mercado em lugar de reforça-la com seus investimentos. O BNP Paribas estima que, se a produção de petróleo se mantiver estável e os preços ficarem em US$ 70 por barril essa perda será registrada , considerando a média trienal anterior de US$ 105 por barril.

Estimativas para o custo de extração de petróleo por meio do “fracking” nos EUA variam bastante, mas a referência mais utilizada é de US$ 60 por barril. Segundo a Agência Internacional de Energia (IEA) , ele varia de US$ 40 a US$ 80.

Portanto, o petróleo a US$ 60, começa a minar a capacidade de investimento em novos projetos. Projetos com custo mais alto, como os do Canadá, serão os primeiros a serem abandonados. Mas, exploração em águas ultraprofundas , como as do pré-sal no Brasil também podem sofrer , caso os preços caiam ainda mais. No Brasil, a Petrobrás tem custo de extração de aproximadamente US$ 15 por barril. No Oriente Médio ele é muito menor. Por isso, os países exportadores como a Arábia Saudita ainda tem muita gordura para queimar para evitar o aumento da concorrência. ( F S P , 29.11.2014, Mercado 2, p. 3) .


AFEGANISTÃO

O presidente Barak Obama autorizou discretamente um aumento da presença do Exército americano no Afeganistão em 2015. Pela ordem assinada, soldados poderão empreender missões contra o Taleban e outros grupos militantes que ameacem forças dos EUA ou do governo afegão.

Também estão autorizados o uso de caças, bombardeios e drones para dar apoio aos soldados afegãos em missões de combate. Ou seja, os militares poderão combater a Al Qaeda, o Taleban, a rede Haqqani e outros grupos. ( F S P , 23.11.2014, p. A-19) .

Ao menos 45 pessoas morreram em um atentado durante uma partida de vôlei na província de Paktika , na fronteira com o Paquistão. Um homem-bomba agiu durante um jogo da final do campeonato de vôlei. Uma multidão estava reunida para assistir à partida. Entre as vítimas estão seis crianças e cinco policiais.

Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque , mas não há nenhuma possibilidade de justificar um ato tão tresloucado e insano de vitimar pessoas inocentes que estavam assistindo a uma simples partida de vôlei. ( F S P , 24.11.2014, p. A-10) .

ALEMANHA

A Alemanha celebrou 25 anos da queda do Muro de Berlim , que ocorreu em 9.11.1989, e após a reunificação do país em 1990, os dados mostram que o país continua dividido.

França e Inglaterra nada tinham contra o muro, porque temiam uma Alemanha unificada, relembrando as guerras de 1914 e 1945. François Miterrand , presidente francês chegou a dizer: “ Gosto tanto da Alemanha que prefiro duas”.

Mas , em 1987, o presidente americano Ronald Reagan disse em um discurso em Berlim “Senhor Gorbatchev, derrube este muro”.

Derrubou mesmo. Angela Mergel disse a ele na cerimônia do dia 9, “ O senhor, corajosamente , permitiu que as coisas acontecessem , e isso foi muito mais do que podíamos esperar”. Gorbatchev poderia fazer, mas não fez nada para impedir quando as coisas estavam degringolando, mas o muro caiu porque simplesmente os cidadãos que viviam presos atrás dele e que estavam profundamente insatisfeitos, o derrubaram. ( Revista Veja, 19.11.2014, p. 70-72) .

O impressionante é que hoje são lembrados episódios como este, de um período da história que é para ser esquecido, e muitos militantes comunistas em vários países, como no Brasil, lutam para restabelecer um regime similar , como se fosse a maior maravilha do mundo.

Estima-se que aproximadamente 2 trilhões de euros tenham sido investidos no desenvolvimento do leste alemão nos últimos 20 anos para igualar as condições. O PIB per capita dobrou, mas está 33% atrás do ocidental. O índice de desemprego no leste é 10,3% contra 6% na porção ocidental.

Apenas 10% das grandes indústrias da Alemanha, que empregam mais de 500 pessoas, estão localizadas na parte leste do país.

Estima-se que entre 1,5 e 2 milhões de pessoas tenham emigrado desde 1989, para o lado mais desenvolvido do país, a maioria jovens em busca de trabalho. Como resultado o leste envelheceu e um terço de seus moradores deverão ter mais de 65 anos até 2030. Mas 75% dos cidadãos da Alemanha Oriental estão felizes com a vida , 25 anos depois. ( F S P, 4.11.2014, p. A-12 .

AMÉRICAS

O secretário-geral do Unasul, Ernesto SAmper, criticou no dia 10, a eventual ausência de Cuba na próxima Cúpula das Américas , prevista para abril de 2015, no Panamá. O país anfitrião, já convidou Cuba, mas os EUA se opõem à decisão. Algumas nações sul-americanas, ameaçam boicotar o encontro, caso a ausência de Cuba se confirme. ( F S P, 11.11.2014, p. A-10).


ARGENTINA

Motim Policial

Pelo menos 350 dos 4.000 policiais da Província de Santa Cruz não saíram às ruas no dia 30 de outubro. Os agentes pedem aumento de salário e mudança no cálculo de referência para rendimentos maiores que o piso de 12.600 pesos ( R$ 3.500).

Santa Cruz é a base política de Nestor Kirchner e de Cristina Kirchner . O governador disse que processará os policiais por sedição. O temor do governo é que os motins se repitam em outras províncias e por isso foram enviados no dia 31 soldados da Guarda Nacional e da Guarda Costeira para patrulhar parte da província. ( F S P , 1.11.2014, Mundo 1, p. A-16) .

Fundos abutres

A presidente Cristina Kirchner enviou no dia 31 de outubro , dura carta a Barak Obama, cobrando posições sobre o que seria a dupla militância de Nancy Soderberg, que é ao mesmo tempo a presidente de um comitê assessor do Congresso norte-americano que trata da desclassificação de documentos públicos e de um grupo que faz lobby em favor dos chamados “fundos abutres”, empenhados em cobrar da Argentina 100% da dívida caloteada.

Na carta, a presidente argentina diz que , se não houver explicações convincentes, surgirão, “sérios problemas”, para as relações com os EUA.

Nancy Soderberg é de fato presidente da ATFA ( Força-Tarefa Americana para a Argentina), que se trata de uma “aliança de organizações unidas para uma justa resolução do ‘default’ do governo argentino de 2001 e subsequente reestruturação.”

Ela não trabalha para o Congresso, mas preside um comitê que assessora o Congresso em uma área que , em tese , nada tem a ver com a dívida argentina, desclassificação de documentos. Ou seja, sem ter onde se apoiar , o governo argentino está atirando para todos os lados. ( F S P , 2.11.2014, p. A-20) .

Cristina Kirchner

A presidente Cristina Kirchner foi internada no dia 2 de novembro por causa de uma infecção bacteriana, um quadro febril infeccioso. ( F S P, 4.11.2014, p. A-11) .

Petróleo

A YPF, petroleira estatal, fechou acordo com a Chevron, que inclui termos secretos e o investimento de US$ 1,6 bilhão pela empresa norte-americana.

O governo argentino aprovou novas regras para a concessão de poços, visando tornar o país mais atraente para a extração de óleo e gás, especialmente para empresas estrangeiras como a Chevron.

Foram liberadas a extração das jazidas de xisto, onde devem estar as maiores reservas do país, estimadas em 27 bilhões de barris, com concessões renováveis de 35 anos e foi desonerado o maquinário para a tarefa. Os royalties foram uniformizados em 12%. O Estado não pode se tornar sócio se não houver investimento do governo. Os impostos para petroleiras que investirem mais de US$ 250 milhões, foram reduzidos.

Mas a reserva de Vaca Muerta, em Neuquén, na Patagônia , a maior de xisto, virou um campo de batalha entre o governo e ambientalistas que travam uma “guerra de baixa intensidade”. A Fracking Argentina por sua vez, é uma organização que faz pressão em favor da técnica. Já a Greenpeace Argentina se opõe à exploração por meio do faturamento hidráulico até que todos os impactos sejam completamente estudados, entendidos e regulados. Os críticos citam riscos de contaminação de lençóis freáticos e tremores de terra causados pelo impacto das rochas sendo arrebentadas e o escape de gás explosivo das reservas. ( F S P , 9.11.2014, p. B-5) .

Hotel Alto Calafate

A pedido da deputada da oposição Margatrita Stolbizer, , o juiz Claudio Bonadio abriu um processo judicial e ordenou uma ação de busca e apreensão na sede administrativa do hotel, que fica em Buenos Aires. O juiz também mandou oficiais à Inspeção Geral da Justiça , órgão vinculado ao Ministério da Justiça e responsável por controlar as sociedades comerciais e pediu ainda dados ao fisco.

O hotel Alto Calafate, situa-se em El Calafate, no Estado de Santa Cruz , onde o casal começou sua trajetória política. A suspeita é que o hotel seja usado no esquema de lavagem de dinheiro.

A empresa que gerencia o hotel , a Hotesur não apresentou o último balanço de resultados. O escritório que foi alvo da operação policial, está vazio.

Segundo o jornal “La Nación”, o empresário argentino Lázaro Baez, que é investigado pela Justiça dos EUA pagou quase mil diárias no Alto Calafate para seus funcionários , sem que eles tivessem se hospedado lá. Baez é amigo do casal Kirchner.

Margatrita afirmou “ todos sabem que os cassinos e os hotéis são as operações mais fáceis para encobrir lavagem de dinheiro”. ( F S P , 20.11.2014, p. A-13) .

Um dia após a operação de busca por documentos, o chefe do gabinete da Presidência , Jorge Capitanich declarou que a ação da Justiça foi :”um ataque impiedoso do poder judicial, uma estratégia de golpismo por denúncias falsas com uma só estratégia: estabelecer uma ação midiática traiçoeiramente articulada pela oposição”.

Na declaração patrimonial de Cristina consta que ela é dona de ações da Hotesur no valor de R$ 2,8 milhões. O ministro disse que a Justiça poderia ter requerido as informações por ofício e que a ação de busca no escritório aconteceu por “golpismo”.( F S P , 22.11.2014, p. A-21) .

Sergio Massa

Um dos principais pré-candidatos a suceder Cristina Kirchner na Casa Rosada, o deputado Sergio Massa diz ser a opção para acabar com a polarização entre kirchneristas e antigovernistas que domina a política atual do país.

“É impossível pensar que a Argentina tenha um pensamento único. Ele se constrói com políticas de Estado de diversos setores da política”, afirmou em conversa com jornalistas estrangeiros. Ele está em segundo lugar nas intenções de voto, logo atrás do governista , Daniel Scioli. ( F S P , 27.11.2014, p. A-17) .

BURKINA FASSO

Após horas de incerteza, o ditador de Burkina Fasso , Blaise Compaoré, apareceu na televisão estatal no dia 31 de outubro e disse que renunciava “para manter os ganhos democráticos assim como a paz social. Acredito que cumpri o meu papel, tendo como única preocupação os maiores interesses da nação”.

Como se fosse possível um ditador que monopolizou o poder por 27 anos poder sequer mencionar a frase “ganhos democráticos”. O pronunciamento foi gravado em local desconhecido e o ditador deve ter saído do país.

Ele anunciou um período de transição de 90 dias para que sejam organizadas e realizadas eleições. Sua renúncia foi comemorada por milhares de manifestantes nas ruas da capital Uagadugu.

Porém, quem assumiu o poder na transição foi o chefe militar do país, Honoré Traoré, que é aliado próximo do ditador e por isso protestos deverão continuar.

A maioria dos manifestantes queria que a transição fosse comandada pelo ex-ministro da Defesa , Kouamé Longué, um dos principais líderes da oposição. ( F S P , 1.11.2014, Mundo 2, p. 2) .

Em 1º de novembro o tenente-coronel Isaac Zida foi nomeado novo líder de Burkina Fasso e declarou em 3 de novembro que “ O poder Executivo será conduzido por um organismo de transição como parte de um quadro constitucional. Esse órgão de transição será chefiado por uma pessoa designada por consenso por todos os atores da vida nacional”. ( F S P, 4.11.2014, p. A-11) .


CHINA

Corrupção

Investigadores chineses encontraram mais de 200 milhões de yuans ( R$ 80 milhões) na casa de Wei Pengyan, que era vice-diretor da poderosa comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional (CRDN), até ser detido , em maio.

Wei era responsável pelo setor de carvão da CRDN, onde teria criado um verdadeiro balcão de propinas na emissão de licenças para a exploração de minas.

Segundo os investigadores, Wei comprou vários apartamentos e usou um deles para guardar a montanha de dinheiro, pois não depositou a fortuna em bancos para não deixar rastros. Foram necessárias 16 máquinas de contar dinheiro para conferir a fortuna e quatro quebraram durante a contagem. É a maior quantia já apreendida em um caso de desvio desde a Fundação da República Popular da China , em 1949.

O combate à corrupção é uma prioridade do presidente chinês Xi Jinping, desde que chegou ao poder em 2012, que tem afirmado que o governo não dará trégua à corrupção e punirá “moscas e tigres”, ou seja, corruptos de todos os escalões. Logo que assumiu ele disse que a corrupção ameaçava a permanência do Partido Comunista no poder.

Uma revista de Xangai chegou a montar um ranking dos corruptos com gostos mais extravagantes.

O número um é Ding Meng, ex-diretor de confisco de terras de Chongqing , no sudoeste que se gabou de ter cem ternos , de no mínimo R$ 4 mil cada um. Agora veste o uniforme laranja de presidiário, após ter sido condenado a 13 anos de cadeia.

A número dois é Jiang Runli, que trabalhava com planejamento urbano na província de Liaoning, no nordeste do país e ficou conhecida por “rainha LV” , porque tinha mais de 200 bolsas da grife francesa Louis Vuitton, incluindo uma que valia , R$ 70 mil. ( F S P , 1.11.2014, Mundo 2, p. 4) .

Economia chinesa

O economista britânico Jim O”neill, criador do acrônimo Bric avalia que “hoje a segunda economia do mundo emergente é a China. A China crescendo a 7,5%, o que se considera ‘ mais devagar’ equivale em dólares aos EUA crescendo a 4%. A China é maior do que a Alemanha, França e Itália juntas; cria um Reino Unido a cada três anos e uma Índia a cada dois. Por isso, se o mundo vai diminuir seu crescimento, de forma persistente, depende em grande parte do que a China vai fazer. Deveríamos estar nos preocupando com o que vai acontecer se o banco central chinês apertar a política monetária, não o Fed.” F S P , 9.11.2014, p. B-6) .

A inflação anual ao consumidor da China, manteve-se perto da mínima de cinco anos em outubro, a 1,6% , mais uma prova de que a segunda maior economia do mundo está se desacelerando. ( F S P, 11.11.2014, p. B-3).

Para Martin Feldstein , 74 , professor da Universidade Harvard, “ O governo chinês está tentando fazer com que a economia seja menos dependente de indústrias pesadas e de exportações e ele seja mais voltada para serviços. Há uma desaceleração inevitável nessa transição”. Para ele , o que importa para o governo é aumentar o nível de emprego e o bem-estar social e neste cenário, pequenas diferenças no crescimento são toleráveis. O setor de serviços gera mais postos de trabalho, mas sua contribuição para o PIB é menor.( Revista Exame, 12.11.2014, p. 58) .

O aumento médio do salário mínimo na China foi de 14% em 16 das 22 províncias do país em 2014. Estudo recente do FMI conclui que uma elevação de 10% no valor do salário mínimo , pode representar uma redução de 1,8% no nível de emprego nas empresas que pagam os piores salários e de 0,6% nas que pagam os melhores salários , o que equivale à demissão de 2 milhões de pessoas. ( Revista Exame, 12.11.2014, p. 150) .

O Banco Central chinês anunciou de surpresa um corte nas taxas de juros , o primeiro do país em dois anos. A taxa de depósito de um ano foi reduzida de 3% para 2,75% e a de empréstimos de 6% para 5,6%.

Ao mesmo tempo o BC deu autonomia aos bancos para determinarem os juros que pagam sobre os depósitos , permitindo que ofereçam remuneração de até 120% da taxa de referência, ante os 110% anteriores. É o sinal mais claro até agora de que as autoridades chinesas estão preocupadas com o ritmo da desaceleração na China. ( F S P , 22.11.2014, Mercado 1, p. B-4) .

Demografia

O governo chinês esperava ao menos 2 milhões de nascimentos após relaxar a regras de controle de natalidade, mas só 700.000 casais pediram autorização para ter um segundo filho. ( Revista Veja,12.11.2014, p. 45) .

China e Japão

Os governos da China e Japão concordaram no dia 7 de novembro em retomar o diálogo político , diplomático e de segurança regional entre os dois países. O Ministério das Relações Exteriores chinês, disse que os dois países pretendem “ realizar esforços para recuperar a confiança mútua”, apesar das “posições diferentes”. ( F S P , 8.11.2014, p. A-18) .

Xi Jinping , o líder da China e Shinzo Abe, o premiê do Japão se encontraram em 10 de novembro, trocaram um constrangido aperto de mãos e na conversa de 30 minutos, Abe propôs a criação de um “mecanismo de comunicação marítimo” , para evitar incidentes na disputa em torno das ilhas Diaoyu para os chineses e Senkaku para os japoneses. ( F S P, 11.11.2014, p. A-12).

Hong Kong

O presidente chinês , Xi Jinping, declarou em 12 de novembro que “ os assuntos de Hong Kong, são exclusivamente internos da China , e países estrangeiros não devem interferir de qualquer maneira. A lei e a ordem precisam ser protegidas em qualquer lugar”. “Os chineses dizem que ‘aquele que amarrou o tigre ao sino que o tire’, - um ditado que também pode ser traduzido como ‘ que aquele que criou o problema o resolva’ “.( F S P, 13.11.2014, p A-14) .

Pelo menos cem pessoas foram presas pela polícia de Hong Kong, no dia 26 de novembro, na retirada da ocupação dos manifestantes pró-democracia no bairro comercial de Mong Kok.

Entre os presos está Joshua Wong, um dos líderes dos manifestantes que desejam sufrágio universal no território incorporado á China. ( F S P , 27.11.2014, p. A-20) .

Os líderes estudantis presos, foram liberados sob fiança, no dia seguinte, com a condição de não retornarem à região comercial de Mong Kok. Joshua Wong, 18, Lester Shum, 21, e o legislador ativista , Leung Kwok-hung, 58 , foram acusados de obstruir o trabalho de oficiais de justiça. ( F S P , 28.11.2014, p. A-16).

COLÔMBIA

As Farc sequestraram no dia 16 de novembro, um general, um soldado e uma advogada. O general Rubén Alzate é o primeiro general sequestrado no país em 50 anos.

Por isso, imediatamente , o presidente do país , Juan Manuel Santos suspendeu as negociações de paz com as Farc em andamento em Havana. (F S P , 18.11.2014, p. A-11) .

Em 18 de novembro, os negociadores de paz das Farc admitiram o sequestro , que teria sido “um caso extraordinário”, mas ao mesmo tempo “normal dentro de uma guerra”.

Os negociadores da guerrilha em Cuba querem um cessar-fogo bilateral : “ Enquanto continuarem os confrontos, fatos como esse irão acontecer , inclusive mais graves”. ( F S P , 19.11.2014, p. A-11) .

CORÉIA DO NORTE

“Como posso me sentir livre aqui, com tudo o que as pessoas estão vivendo no meu país? Vendem garotas da minha idade, por 200 dólares” . Yonni Park, norte-coreana de 21 anos, que fugiu do seu país e hoje vive na Coréia do Sul, em depoimento à BBC. ( Revista Veja, 5.12.2014, p. 68) .

Os americanos Kenneth Bae e Mattew Miller, os dois últimos cidadãos dos EUA detidos na Coreia do Norte , foram soltos e puderam sair do país e voltar para os EUA no dia 8 de novembro. O diretor de Inteligência Nacional, James Clapper, viajou para a Coréia do Norte em missão secreta e conseguiu a libertação dos dois. ( F S P , 9.11.2014, p. A-23) .

Mostrando bem o que é uma ditadura comunista, os alunos do ensino médio da Coréia do Norte terão uma nova matéria obrigatória: estudar a vida do ditador do país, Kim Jong-un.

Essa inutilidade e perda de tempo se somam a outra disciplina já existente para estudar a vida e obra do fundador do país, Kim il-Sung e de seu sucessor, Kim Jong-il, respectivamente o avô e o pai do atual “líder supremo”.

Assim os jovens estudantes norte-coreanos terão oportunidade de conhecer muito bem a dinastia responsável pela ruína do país em que estão vivendo.

A ONU aprovou uma resolução no dia 18 de novembro, condenando as violações de direitos humanos na Coréia do Norte. A resolução que teve o surpreendente apoio do Brasil, abriu a possibilidade de membros do governo coreano, incluindo o próprio Kim, serem indiciados por crimes contra a humanidade, no Tribunal Penal Internacional. ( F S P , 26.11.2014, p, A-15) .

EGITO

Pelo menos quatro pessoas morreram e 26 ficaram feridas no dia 28 de novembro .

Em um estacionamento de Gesr al-Nasr no Cairo, atiradores não identificados dispararam contra os militares e mataram um general e um soldado.

Em Matariya , no Cairo, na saída da mesquita , mobilização convocada pela Frente Malafista reuniu 200 pessoas e a repressão causou a morte de pelo menos dois manifestantes. Cerca de 224 pessoas foram presas em todo o país. Os islamitas protestam contra o governo de Abdel Fattah al-Sisi. ( F S P , 29.11.2014, Mundo, p. 6) .

O ex-ditador Hosni Mubarak, 86 foi absolvido no dia 29 de novembro da acusação de envolvimento na morte de centenas de manifestantes durante a Primavera Árabe, em 2011.

Ele também foi absolvido de várias acusações de corrupção, incluindo a de participação em uma operação de venda de gás natural a Israel com valor abaixo dos preços de mercado. Mas, ele permanece preso em um hospital militar , onde cumpre pena de três anos por apropriação indevida de recursos públicos. ( F S P , 30.11.2014, p. A-20).

EUA

Barak Obama sofreu no dia 4 de novembro , sua maior derrota política desde que assumiu a Casa Branca , em 2009.

A oposição republicana conquistou , com margens surpreendentes , a maioria , saltando de 45 para 52 cadeiras de um total de 100 no Senado e na Câmara dos Deputados ganhando mais 14 vagas, chegando a 243 deputados , de um total de 435, a maioria republicana mais folgada desde a Segunda Guerra.

Com isso, Obama terá que negociar com um Congresso mais conservador nos dois últimos anos de seu mandato, período em que presidentes enfraquecidos são conhecidos como “pato manco”.

Em eleições estaduais , até Estados tradicionalmente democratas, como Illinois e Massachussets , elegeram governadores republicanos. É a alternância dos partidos no poder, o que o Brasil ainda não aprendeu a fazer. ( F S P , 6.11.2014, p. A-10).

A oposição republicana levou 24 governos estaduais , dos 36 em disputa.

Para piorar, o uso recreativo da maconha foi legalizado em três plebiscitos , no Oregon , com 54% dos votos, no Alasca , com 52% e em Washington, com 69%.( F S P , 6.11.2014, p. A-11).

Para o sociólogo Aaron Smith, do instituto Pew Research, “ o eleitor médio não quer saber se o presidente é de centro ou de direita . Ele quer ter garantias de que o filho terá uma vida melhor que a sua, e a falta de diálogo em Washington provoca insegurança”.

Em política, dialogar não significa apenas ouvir a oposição, mas saber ceder para encontrar consenso e Obama terá que fazer isso com mais esforço a partir de agora. ( Revista Veja, 12.11.2014, p. 80-81) .

Para Alexander Keyssar, 67, professor da Universidade Harvard, a vitória não pode ser vista como esmagadora diante do baixo comparecimento de eleitores ás urnas, o menor em 70 anos.

“Os democratas perderam mais assentos no Congresso que imaginavam, mas o mais importante é que apenas 37% do eleitorado votou, com uma presença desproporcional de homens brancos , protestantes e com mais de 60 anos. Os republicanos foram mais eficientes em trazer seus eleitores ás urnas , mas é um erro ver nisso uma grande vitória. Se o comparecimento foi de 37% e os republicanos tiveram 52% dos votos , isso representa 19% do eleitorado...Em alguns Estados não havia bons candidatos [ democratas] . A maioria dos democratas que perderam eram de centro. Não ficou claro no que acreditavam”.

Segundo ele, a popularidade de Obama está baixa “ Porque a economia , apesar de ter melhorado, não está bem em todos os indicadores. A renda, por exemplo, está congelada há seis anos. Ele também pareceu hesitante sobre como agir em relação ao Estado Islâmico e à crise síria”. ( F S P , 15.11.2014, Mundo 2, p. 9).

O presidente Barak Obama demitiu no dia 24 de novembro o secretário de Defesa , Chuck Hagel, que preferia a diplomacia e ações militares e estava em colisão com a atual mudança de postura de Obama de decidir enviar 3.000 soldados para o Iraque , na luta contra o Estado Islâmico e voltar a intensificar a atuação no Afeganistão, depois de anos de retirada e cortes no orçamento militar , que encolheu de US$ 680 bilhões em 2009, para US$ 500 bilhões em 2014. ( F S P , 25.11 2014, p. A-12) .

Novo World Trade

O novo World Trade Center pouco mais de 13 anos após os atentados de 11 de setembro de 2001, começou a receber em 3 de novembro de 2014, os primeiros ocupantes do prédio de 104 andares construído no terreno que antes era ocupado pelas torres gêmeas.

A construção da nova torre levou oito anos e custou US$ 3,9 bilhões. Cerca de 60% do espaço já foi alugado . O complexo tem ao todo cinco prédios e conta também com um Museu e Memorial do 11 de Setembro, um centro para o transporte público , cerca de 550 mil m2 de espaço para lojas e um centro de artes. ( F S P, 4.11.2014, p. A-10) .

Economia

Para Martin Feldstein , 74 , professor da Universidade Harvard, “Os Estados Unidos estão em um patamar melhor...Os indicadores de renda, riqueza e confiança dos consumidores estão bons. O maior perigo é a inflação subir , especialmente se o Federal Reserve demorar a elevar os juros”.

Para ele, está chegando a hora de aumentar os juros nos EUA. O aumento dos juros deve fazer com que os investidores apliquem mais no país, tirando recursos de mercados emergentes, como o Brasil e segundo ele, como o Brasil desacelerou demais nos últimos anos e não fez reformas estruturais, o futuro preocupa. ( Revista Exame, 12.11.2014, p. 58) .

De acordo com dados do Departamento de Trabalho, divulgados no dia 7 de novembro, a taxa de desemprego nos EUA voltou a cair em outubro de 5,9% em setembro, para 5,8%. É o nível mais baixo desde junho de 2008. Foram criados 214 mil postos de trabalho, abaixo do previsto, com o crescimento puxado pelos setores de alimentação e bebidas, varejo e saúde, É o nono mês consecutivo em que foram criadas mais de 200 mil vagas, a melhor sequência de saldo positivo desde 1995. ( F S P , 8.11.2014, p. B-6) .

Desde o fim dos anos 50, os EUA enfrentaram oito recessões. A mais recente, começou pela implosão do mercado imobiliário em 2008. Mas ela está acabando. De acordo com dados da OCDE , desde o início da recuperação , no começo de 2009, os EUA tiveram um crescimento econômico acumulado de 12,5%. Já foi melhor. A melhor fase pós-crise do país ocorreu depois da recessão do início dos anos 60, quando passados 21 trimestres, a economia americana havia crescido 35%. ( Revista Exame, 26.11.2014, p. 105).

Maconha

A Prefeitura de Nova York anunciou no dia 10 de novembro que pessoas flagradas com até 25 gramas de maconha não serão mais presas, mas receberão uma intimação para comparecer à Justiça e, se consideradas culpadas , terão de pagar uma multa de até US$ 100 e se reincidirem , a multa sobe para US$ 200.

Cerca de 86% das prisões por posse de maconha nos primeiros meses de 2014, tiveram como alvo pessoas negras ou hispânicas. Mas , para a polícia , a politica parece ir contra a “teoria das janelas quebradas”, que diz que combater com rigor crimes menores , reduz a incidência de ocorrências mais sérias. Michael J. Palladino, líder do sindicato que representa os detetives de polícia, afirmou: “ Eu vejo isso como mais um passo na devolução das ruas aos criminosos”. ( F S P , 12.11.2014, p. A-14) .

Arsenal Nuclear

Os EUA deverão aumentar em 10% os investimentos anuais com o arsenal nuclear , gerando despesas adicionais para o governo de quase US$ 10 bilhões. O arsenal americano está seguro, mas problemas sistêmicos precisam ser resolvidos para não prejudicar a segurança. ( F s P , 15.11.2014, Mundo 1, p. A-28) .

Imigrantes

Barak Obama divulgou no dia 20 de novembro um plano para beneficiar 5 milhões de um total de 11 milhões de imigrantes clandestinos , impedindo que eles sejam deportados.

Existe um consenso de que as leis americanas de imigração caducaram e precisam ser aprimoradas. Obama aumentou o orçamento da vigilância na fronteira, facilitou a entrada de empreendedores e ampliou , a imigrantes que moram no país há mais de cinco anos e não tem antecedentes criminais, o direito de pleitear um visto de residência. Pais que tem filhos americanos ou com residência permanente, ficarão livres da deportação e terão autorização para trabalhar.

Mas, o presidente fez isso por decreto à revelia do Legislativo e os republicanos , fortalecidos pela vitória nas urnas, podem agir para sabotar as medidas aprovadas. ( Revista Veja, 26.11.2014, p, 80-81) .

Em retaliação, deputados republicanos entraram com um processo contra os Departamentos de Saúde e do Tesouro em razão dos subsídios previstos no plano de saúde criado por Obama, o “Obamacare”. ( F S P , 22.11.2014, p. A-14) .

Para a historiadora Aviva Chomsky “Obama fez algumas mudanças que vão proporcionar um alívio temporário para algumas pessoas. É um número significativo, mas ainda é menos do que a metade. Ele também mandou uma mensagem dúbia aos americanos sobre pessoas em situação irregular. Começou falando sobre ‘ segurança das fronteiras’ – o que , na verdade significa a militarização para aumentar o sofrimento e as mortes de quem tenta atravessar – mas também falou de forma positiva , sobre imigrantes em situação irregular. Ele realmente parece estar jogando para os dois lados”. ( F S P , 23.11.2014, p. A-18) .

EQUADOR

A exemplo do que ocorreu na Bolívia e na Nicarágua , mais um presidente latino-americano manobra para eternizar-se no poder. Infelizmente, a democracia está sendo sepultada no continente em muitos países.

O equatoriano Rafael Correa, 51 conseguiu que no dia 31 de outubro, a Corte Constitucional equatoriana desse aval para que fosse para a Assembleia Nacional a proposta do governo de retirar o limite de mandatos da carta. Como Correa , no poder desde 2007, possui maioria na Casa ( 100 das 127 cadeiras) , a aprovação para que seja eleito pela quarta vez é dada como certa. A próxima eleição será em 2017. Isso indica que Correa também controla a Corte Constitucional, o Judiciário.

Em janeiro , o Congresso nicaraguense aprovou uma mudança constitucional permitindo que o presidente Daniel Ortega candidate-se indefinidamente ao cargo.

Em abril, o Tribunal Constitucional da Bolívia , permitiu a Evo Morales se candidatar a um terceiro mandato, apesar do veto da Constituição de 2009. ( F S P , 15.11.2014, Mundo 2, p. 4).

Assim, ditaduras estão se perpetuando sob a farsa da democracia.

EUROPA

A Comissão Europeia cortou drasticamente suas projeções para o crescimento da zona do euro, de 1,7% , para 1,1% em 2015, indício de que a recuperação esperada após a crise do continente pode estar travando.

A Alemanha, que cresceria 2,2% , deve avançar 1% em 2015 e a França, de 1,5% passou a ter previsão de 0,7%.( F S P, 5.11.2014, p. B-4) .

O crescimento econômico da zona do euro foi mais forte que o esperado no terceiro trimestre de 2014, segundo dados preliminares da Eurostat. O PIB dos 18 países que compartilham o euro cresceu 0,2% na comparação trimestral de julho a setembro, após expansão de 0,1% nos três meses anteriores.

O crescimento foi impulsionado pelo avanço da Grécia ( 0,7%), Eslováquia ( 0,6%) e Espanha (0,5%), enquanto as grandes economias registraram as piores taxas: Alemanha ( 0,1%), França ( 0,3%) e Itália ( -0,1%). Mas a França superou as projeções e a Alemanha afastou-se da recessão. ( F S P , 15.11.2014, Mercado 2, p. 2).

GRÉCIA

Cinco anos após a crise de 2009, a Grécia conseguiu sair de sua pior recessão em meio século e crescer 0,7% no último trimestre. ( Revista Veja, 19.11.2014, p. 47) .

HONDURAS

Foram encontrados os corpos da miss Honduras, Maria José Alvarado , e de sua irmã Sofia, num barranco ás margens do rio Aguagual , a oeste do país.

Ambas tinha sido vistas pela última vez na quinta 13 de novembro , quando saíram para o aniversário do namorado de Sofia, o primeiro suspeito do crime. Maria se preparava para o Miss Universo, em Londres, em dezembro. ( Revista Veja, 26.11.2014, p, 45) .

Honduras é um dos países mais violentos da América Latina e tem a maior taxa de homicídios do mundo , 90 para cada 100 mil pessoas, mas o crime não tem relação direta com o clima de insegurança no país. O namorado de Sofia, Plutarco Ruiz atirou contra ela , porque teria dançado com outro homem numa festa e depois atingiu Maria José, quando ela tentava fugir. ( F S P , 20.11.2014, p. A-16) .

IRÃ

O presidente Barak Obama , segundo o “The Wall Street Journal” teria enviado uma carta ao líder supremo do Irã, Ali Khamenei, no início de outubro onde disse que ele e Khamenei compartilhavam dos mesmos interesses no combate ao Estado Islâmico e teria mencionado que a cooperação entre os países só será viabilizada se a República Islâmica fizer um acordo sobre o programa nuclear. O governo americano não confirmou a informação. ( F S P , 7.11.2014, p. A-12) .

A iraniana Ghoncheh Ghavami, 25 que também tem nacionalidade britânica , detida em 20 de junho em um ginásio de Teerã , porque tentava assistir a uma partida da Liga Mundial entre as seleções da Itália e do Irã, iniciou uma greve de fome no dia 1 de novembro “ um protesto contra o que considera uma detenção ilegal”. Desde 2012, o Irã proíbe que mulheres assistam aos jogos de vôlei de equipes masculinas, inclusive as jornalistas que estiverem credenciadas para o evento, bem como as partidas de futebol. A explicação é que a proibição visa proteger as mulheres dos comportamentos obscenos dos torcedores. ( F S P, 5.11.2014, p. A-11) .

A Rússia anunciou no dia 11 de novembro que vai construir oito novos reatores nucleares no Irã, para o “uso pacífico da energia atômica”. Quatro reatores serão construídos em Bushehr e quatro em outros locais. O combustível nuclear usado será devolvido á Rússia para processamento e armazenamento e as usinas serão construídas pela estatal de energia nuclear russa Rosatom. ( F S P , 12.11.2014, p. A-14) .

Torturador afastado

O ex-procurador-geral de Teerã, Saed Mortazavi, 46, foi suspenso pela mais alta corte iraniana de qualquer cargo no governo por cinco anos por ter ordenado que manifestantes fossem torturados em 2009 e pelo menos três deles morreram sob custódia. Por decisão de uma corte menor, mantida, ele também não poderá exercer sua função. ( F S P , 17.11.2014, p. A-13) .

Acordo nuclear adiado

O IRÃ e o grupo chamado de P5+1 ( EUA, China, Rússia, França, Reino Unido e Alemanha) , que negociam em Viena o programa nuclear iraniano, fracassaram pela segunda vez em 2014, em resolver uma disputa de 12 anos sobre o tema e decidiram prorrogar as discussões por mais sete meses até 30 de junho de 2015. ( F S P , 25.11 2014, p. A-12) .

IRAQUE

Estado Islâmico

Um relatório do Conselho de Segurança da ONU constatou que 15 mil pessoas viajaram à Síria e ao Iraque para combater pelo Estado islâmico e grupos extremistas semelhantes, em uma “escala sem precedentes”

Eles saíram de mais de 80 países, “ o que inclui um grupo de países que não haviam enfrentado desafios anteriores com relação á Al Qaeda”.

“Os números desde 2010 são superiores ao total de combatentes estrangeiros nas fileiras terroristas entre 1990 e 2010 – e continuam crescendo”.

Pode-se imaginar o imenso risco que nações irão enfrentar com combatentes experientes voltando da Síria e do Iraque.

A ONU afirma que “ o núcleo da Al Qaeda e o EI buscam objetivos estratégicos semelhantes, ainda que com diferenças táticas em termos de sequenciamento e diferenças substantivas quanto ao pessoal de liderança”.

A falta de “disciplina nas mensagens de mídia social” do EI, aponta para uma liderança que “reconhece o valor do emprego de mensagens multicanais e em múltiplos idiomas , em mídia social e outras mídias”, refletindo um quadro de membros mais jovem e “mais internacional”, do que o das diversas afiliadas à Al Qaeda.

Com arrecadação de US$ 1 milhão ao dia, apenas com suas operações de contrabando de petróleo, o EI controla territórios com uma população de cinco a seis milhões no Iraque e Síria – similar ao número de habitantes da Finlândia. O tesouro do IE conta ainda com receitas da ordem de US$ 45 milhões em resgates pagas por pessoas sequestradas.

A falta de forças terrestres aliadas capazes de tirar território do EI explica a área dominada pela organização porque os ataques aéreos não são suficientes para fazer o grupo recuar. ( F S P , 1.11.2014, Mundo 2, p. 10) .

Kobani

O presidente turco , Recep Tayyip Erdogan, voltou a criticar a coalizão internacional :” Porque as forças da coalizão bombardeiam continuamente a cidade de Kobani? Por que não Idlib ( norte da Síria)...Estamos falando de Kobani , que está localizada na fronteira com a Síria e onde não resta quase ninguém “.( F S P , 1.11.2014, Mundo 2, p. 2) .

EUA

O governo americano decidiu dobrar de 1.500 para 3.000 o número de soldados no Iraque para treinar as forças armadas locais contra o Estado Islâmico. O incremento foi solicitado pelo governo iraquiano. As tropas americanas tinham sido retiradas em 2011, mas retornaram em 2014, devido aos avanços da milícia , vinda da Síria. ( F S P , 8.11.2014, p. A-18) .

Crimes de Guerra

A Comissão Independente de Inquérito da ONU sobre a Síria , em seu primeiro relatório detalhado sobre a ação do Estado Islâmico, divulgado no dia 14 de novembro, acusa a facção de cometer crimes de guerra e contra a humanidade e diz que seus líderes devem responder por eles ao Tribunal Penal Internacional.

A Comissão presidida pelo brasileiro Paulo Sergio Pinheiro, ouviu 300 pessoas, entre testemunhas e vítimas refugiadas nos países vizinhos à Síria e registrou relatos de ataques e, “larga escala e sistemáticos” , contra a população civil curda e contra a minoria yazidi.

“O EI tem cometido assassinatos e outros atos desumanos , escravidão, estupros , violência e escravidão sexual , deslocamentos forçados , desaparecimentos e tortura”, enumera o texto.

O levantamento relata que corpos mutilados das vítimas do EI são frequentemente expostos na rua “ como um aviso à população local das consequências de não se submeterem à autoridade do grupo”.

“As testemunhas viram cenas de corpos sangrando , pendurados em cruzes e cabeças fincadas em grandes de parques”. A milícia também teria negado comida e remédios a centenas de milhares de civis nas regiões ocupadas.

A situação das crianças e mulheres é ainda mais grave. As mulheres tem sido escravizadas , violentadas e algumas – principalmente as de minoria yazidi – forçadas a se casar com integrantes do EI. Há relatos de garotas de até 13 anos sendo raptadas por membros da facção e de mulheres apedrejadas até a morte por comportamento considerado impróprio.

No caso das crianças, a milícia tem cooptado os menores para denunciarem “pais infiéis” . As crianças tem sido doutrinadas e passam a ser agentes desse grupo armado dentro de suas próprias casas.

Os bombardeios aéreos da coalizão aumentam o perigo para os civis, pois os combatentes buscam refúgio entre a população civil. ( F S P , 15.11.2014, Mundo 3, p. 13).

Moeda própria

O Estado Islâmico anunciou no dia 13 de novembro que vai cunhar sua própria moeda , chamado de dinar islâmico, para ser usada no território sob seu controle na Síria e no Iraque. O comunicado do grupo anunciou :” Se Deus quiser serão fabricadas diferentes moedas em ouro, prata e cobre”.

Não está claro como o grupo vai obter o metal para cunhá-las. Para a milícia, o objetivo é substituir “ o sistema monetário tirânico imposto aos muçulmanos, que os levou à sua opressão”. O EI declarou ainda que pretende libertar os muçulmanos do “mercantilismo e da opressão econômica satânica”. ( F S P , 15.11.2014, Mundo 3, p. 14).

Refém americano assassinado

O Estado Islâmico executou o refém americano Peter Kassig , sequestrado na Síria em 2013. Em vídeo postado na Internet, membros do EI são mostrados decapitando vários homens apresentados como soldados do regime sírio de Bashar al-Assad.

O Estado Islâmico é tão senhor de si que divulga suas atrocidades na Internet. As imagens são impressionantes. Na decapitação de 18 soldados sírios eles são mostrados algemados, de uniformes azuis , escoltados por combatentes com roupa camuflada e gorro preto. Os terroristas obrigam todos a ficarem de joelhos, apoiam os joelhos nas costas de suas vítimas indefesas, cortam suas gargantas e arrancam sua cabeça. Os decapitados eram soldados do exército sírio , em sua maioria da seita alauita ou cristãos. O objetivo de mostrar tamanha selvageria é projetar um poder militar muito além da realidade e espalhar o terror pelo resto do mundo[. “Vamos fazer o mesmo nas ruas de sua cidade”, diz um assassino mascarado no vídeo.

O Estado Islâmico aprendeu com a Al Qaeda , grupo do qual é uma dissidência , que uma ação terrorista tem de ser espetacular para ter impacto. ( Revista Veja, 26.11.2014, p, 82-83) .

Mas isso supera em muito os limites da tolerância. Os países do mundo inteiro tem que se unir para acabar com este câncer que ameaça a sociedade. Por isso é indesculpável a omissão do governo brasileiro , quanto aos crimes do Estado Islâmico.

O caso é um exemplo clássico de que as conquistas da humanidade ao longo dos séculos não se aplicam a animais como estes terroristas. A ciência e a tecnologia permitiram um padrão de vida muito maior do que o dos anteriores à Idade Moderna. A democracia e os direitos humanos são consagrados e respeitados na maioria dos países.

Pessoas que praticam decapitações como estes terroristas, incrivelmente usando falsamente o nome de Alá, não são pessoas modernas. Usam relógios e acessam a Internet, mas a sua cabeça e o seu modo de agir são pré-históricos. E devem ser tratados como tal. Não merecem o convívio na sociedade moderna. Devem ser capturados, julgados e passar o resto de seus dias em uma penitenciária ou simplesmente executados, como fazem com seus algozes. Como são pessoas pré-históricas merecem que a eles seja aplicado o princípio “olho por olho, dente por dente”.

Kassig serviu no Iraque de abril a julho de 2007 como membro de unidade de operações especiais , mas em 2012 voltou para o Líbano onde fundou a ONG Special Emergence Response and Assistance e usou suas economias para comprar suprimentos que distribuía para os refugiados sírios que chegavam ao Líbano. Em recompensa de sua generosidade em realizar trabalhos humanitários na região, teve sua cabeça cortada pelo EI. ( F S P , 17.11.2014, p. A-8) .

Autoridades francesas identificaram que Maxime Hauchard, 22 , cidadão francês, que entrou na Síria pela Turquia em 2013 para se juntar ao EI, participou no assassinato de Peter Kassig. Outro pode ser o britânico Nasser Muthana, 20. (F S P , 18.11.2014, p. A-14) .


ISRAEL

Israel reabriu no dia 31 de outubro o acesso à Esplanada das Mesquitas , em Jerusalém , mas enviou ao local mais de mil agentes de segurança.

Mas a proibição da entrada de homens com menos de 50 anos , foi mantida , para evitar confrontos.

O Monte do Templo é o terceiro lugar mais sagrado do Islã. Também é um local sagrado do judaísmo , por ter abrigado o Segundo Templo , destruído pelos romanos. Os judeus são autorizados a entrar no complexo, mas não podem rezar ali. ( F S P , 1.11.2014, Mundo 1, p. A-16) .

Em 14 de novembro, após meses de restrições, o governo de Israel liberou o acesso à Esplanada das Mesquitas a todos os muçulmanos. A restrição foi derrubada após reunião do primeiro ministro Binyamin Netanyahu e o secretário de Estado americano, John Kerry. ( F S P , 15.11.2014, Mundo 3, p. 15).


Ataques

Em 5 de novembro, um homem atropelou pedestres num ponto de ônibus em Jerusalém Oriental , deixando ao menos um morto e 13 feridos. O Hamas assumiu esse atentado, mas o motorista do carro foi morto pela polícia. Ele é Ibrahim Akari, 48 um dos palestinos soltos por Israel em 2013, em troca da libertação do soldado israelense Gilad Shalit.

Horas mais tarde, três soldados israelenses em um posto de controle na Cisjordânia foram alvo de outro atropelamento e ficaram feridos.

Como entrar em Israel com carros bomba ficou mais difícil, agora a nova estratégia são os atropelamentos. ( F S P , 6.11.2014, p. A-14).

Em 10 de novembro, um jovem morador da Cisjordânia, esfaqueou um soldado de 20 anos, perto da estação de trem Hahagana, em Tel Aviv, que raramente tem episódios de violência. Ele foi preso.

Horas depois, outro palestino saiu de um carro e atacou com uma faca três civis, antes de ser morto por um guarda perto da colônia de Gush Etzion , na Cisjordânia ocupada. Uma jovem israelense de 25 anos morreu e um homem de 26 anos e outro de 50, ficaram feridos. O autor do ataque era membro da Jihad Islâmica. ( F S P, 11.11.2014, p. A-11).

Em 11 de novembro, forças de segurança palestinas acusaram colonos israelenses de incendiar uma mesquita na vila de Mughayer, perto de Ramallah, na Cisjordânia, de madrugada. Uma antiga sinagoga, no norte de Israel, também foi alvo de ataques. ( F S P, 13.11.2014, p A-16) .

Em 16 de novembro um israelense de 32 anos foi ferido pelas costas , com uma chave de fenda em Jerusalém. Segundo a polícia, o autor do ataque seria um homem árabe , que foi visto correndo em direção ao Portão de Damasco, uma das entradas da cidade antiga. ( F S P , 17.11.2014, p. A-13) .

Em 17 de novembro , o motorista de ônibus palestino , Youssef al-Roumani, 32, foi encontrado morto ao lado do ponto inicial da linha que deveria dirigir no domingo dia 16, em uma área de Jerusalém Ocidental , perto de colônias judaicas e bairros palestinos. Segundo a polícia , não havia sinais de violência no corpo e ele se matou, mas para a imprensa palestina ele foi assassinado por colonos judeus. (F S P , 18.11.2014, p. A-14) .

Em 18 de novembro quando 25 fiéis da sinagoga Kehilat Bnet de Har Not, bairro judeu ultraortodoxo da parte oeste de Jerusalém , faziam suas primeiras orações, dois primos palestinos invadiram o templo. Um deles gritou “Allahu akbar” ( Deus é o maior, em árabe) , frase normalmente dita por terroristas antes de ataques e iniciaram disparos de pistolas e ataques feitos com facas e machadinhas matando cinco pessoas e ferindo outras sete , antes de serem mortos por policiais de trânsito que entraram na sinagoga.

Ghassan e Uday Abu Jamal praticaram o maior atentado contra judeus na cidade desde 2008.( F S P , 19.11.2014, p. A-10) .

Em 23 de novembro, o palestino Fadel Mohammed Halawa, 32 foi morto por militares israelenses ao se aproximar da cerca que separa Israel da Faixa de Gaza, ao não obedecer ás ordens de parar. É a primeira morte na Faixa, desde o fim do conflito entre Israel e o Hamas. ( F S P , 24.11.2014, p. A-9) .

Em 24 de novembro, dois estudantes israelenses foram esfaqueados na Cidade Velha de Jerusalém , atacados por quatro palestinos. A agressão ocorreu depois de uma briga e três palestinos , dois menores , foram detidos sob suspeita de envolvimento no caso. ( F S P , 25.11 2014, p. A-13) .

Libertação de presos

O Parlamento israelense aprovou uma lei que permite aos juízes proibir a libertação de presos palestinos que cometeram assassinatos em “circunstâncias extraordinariamente graves”, o que inviabilizaria a libertação de prisioneiros por meio de acordos com os palestinos. ( F S P , 5.11.2014, p. A-10).

Criticas dos EUA

Israel aprovou no dia 12 , a construção de mais 200 unidades habitacionais em Jerusalém Ocidental, disputada por israelenses e palestinos. Jean Psaki, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA reagiu :” Estamos profundamente preocupados com essa decisão, sobretudo por causa da situação tensa em Jerusalém. Ela contraria o próprio objetivo já declarado de Israel de alcançar uma solução de dois Estados, porque torna isso mais difícil”.

O rei Abdullah , da Jordânia, advertiu Israel de que sua política de assentamentos em Jerusalém Oriental, destruirá todos os esforços de paz na região. ( F S P, 13.11.2014, p A-16) .

Assassinato de chanceler

Israel prendeu quatro palestinos suspeitos de planejar matar o ministro das Relações Exteriores , Avigdor Lieberman, com um foguete antitanque quando ele voltava para sua residência em uma colônia israelense na Cisjordânia . A suposta conspiração foi frustrada durante os confrontos entre o Hamas e Israel entre julho e agosto na Faixa de Gaza, segundo um comunicado do Shin Bet, serviço de inteligência de Israel. O Hamas negou as acusações de Israel. ( F S P , 22.11.2014, p. A-22) .

Atentados do Hamas

O Shin Bet, serviço de segurança interna de Israel anunciou no dia 27 de novembro que prendeu 34 palestinos que supostamente foram recrutados pelo Hamas para fazer atentados em Israel, em Jerusalém e na Cisjordânia.

As prisões foram em setembro, um mês após o fim da ofensiva israelense na faixa de Gaza, que deixou 69 israelenses e 2.200 palestinos mortos.

Segundo o Shin Bet, os presos foram recrutados na Jordânia, onde estudavam , pela filial turca do Hamas, que planejava grandes atentados em Jerusalém. Os detidos receberam treinamento militar com armas e explosivos . ( F S P , 28.11.2014, p. A-13).

MEIO AMBIENTE

Segundo o painel do clima da ONU, se as emissões de CO2 não começarem a cair até 70% por volta de 2050 e chegar a zero em 2100, será difícil impedir o planeta de ficar 2% mais quente, limite arriscado do aquecimento global.

Para conseguir isso, será preciso investir US$ 147 bilhões por ano em energia limpa. ( F S P, 3.11.2014, p. C-5) .

A última parte do quinto relatório do Painel Internacional de Mudanças Climáticas (IPCC), órgão da ONU, reafirma, desta vez com mais dramaticidade, quão severas são as consequências para o planeta dos excessos do comportamento humano.

O documento, de novembro de 2014, conclui um trabalho realizado por mais de 800 pesquisadores de todo o mundo ao longo de cinco anos. Sobressaem três pontos fundamentais:

1. Os milhares de dados que relacionam ações do homem às mudanças climáticas tornam inegável a culpa do homem no descompasso do planeta.

2. Continuamos a aumentar o ritmo de emissão de dióxido de carbono, o grande vilão da história, apesar da cultura de sustentabilidade que está se espalhando.

3. É preciso cortar entre 40% e 70% das emissões globais até 2050 e, em 100% até 2100, para assegurar um futuro suportável.

Se nada for feito e continuarmos a emitir CO2 na quantidade atual, a temperatura global pode elevar-se em 4,8 graus até o final do século.

Em 2080, o número de pessoas sem acesso á água potável de qualidade se tornaria 38% maior do que era na década de 1980.

Áreas da Amazônia devem se transformar em savanas similares às africanas. A acidificação dos oceanos já destrói recifes, que podem desaparecer quase por completo.

Para atingir a meta de redução de CO2, é necessária uma mudança de cultura e de comportamento de governos e também de indivíduos.

Os EUA, o segundo maior emissor de gases de efeito estufa deve dobrar o uso de energias solar, eólica e geotérmica , até 2040. A China, maior emissor , injetou US$ 56,3 bilhões nesta área, o equivalente a 61,3% dos gastos de países emergentes.

Emissões de CO2:

1850 198 milhões de toneladas, aumento impulsionado pela Revolução Industrial , maior emissor Inglaterra e população mundial 1,2 bilhão.

1890 – 1,3 bilhão de toneladas de CO2, chegada da industrialização a países fora da Europa, maior emissor EUA, população mundial 1,5 bilhão.

1930 – 3,8 bilhões de toneladas. Início da industrialização em países em desenvolvimento, maior emissor EUA, população mundial 2 bilhões.

1970 – 14,5 bilhões de toneladas, industrialização chega de vez à China, maior emissor EUA e população mundial 3,7 bilhões.

2011 – 32,2 bilhões de toneladas, a Ásia se torna a responsável por metade das emissões globais. Maior emissor, China e população mundial 7 bilhões.

2014 – 36,1 bilhões de toneladas. As emissões da China crescem 4% ao ano e as da Índia, terceiro do ranking, 5%. Maior emissor, China, população mundial 7,2 bilhões. ( Revista Veja, 12.11.2014, p. 88-91) .

EUA e China

Após meses de negociações sigilosas, EUA e China alcançaram um acordo sem precedentes com vistas a reduzir emissões de gases poluentes.

O anúncio foi feito no dia 12 de novembro por Obama e Xi Jinping.

A China se comprometeu a atingir o ápice de suas emissões de CO2, no máximo até 2030, quando elas deverão começar a cair. Para isso o país pretende investir para que 20% de sua energia, tenha origem em fontes não poluentes. É a primeira vez que a China estabelece uma data para redução de suas emissões.

Os EUA , por sua vez, assumem o compromisso de reduzir as emissões em 2025, entre 26% e 28%, em relação a 2005. A nova meta é mais ambiciosa que a estabelecida anteriormente por Obama , de um corte de 17% até 2020.

O acordo foi anunciado como histórico e exemplo das maiores economias do mundo colaborando para enfrentar os problemas mais urgentes, ao mesmo tempo em que competem em várias outras áreas. “Quando a China e os EUA trabalham juntos, podemos nos tornar âncoras da estabilidade e impulsionadores da paz mundial”, disse Xi. ( F S P , 13.11.2014, p. C-6) .

JAPÃO

Pressionado devido ao retorno do Japão à recessão econômica, o premiê Shinzo Abe anunciou no dia 18 de novembro que vai dissolver o Parlamento e convocou eleições antecipadas para 14 de dezembro.

O objetivo é assegurar um novo mandato , enquanto ainda tem força política, dando mais tempo à sua estratégia de estímulo econômico , conhecida como “Abenomics”. A economia japonesa, terceira maior do mundo, encolheu 1,6% no terceiro trimestre, depois de despencar 7,3% no período anterior, configurando um quadro de recessão técnica. ( F S P , 19.11.2014, p. A-16) .

MÉXICO

A Polícia Federal do México, prendeu no dia 4 de novembro o ex-prefeito de Iguala , José Luís Abarca e sua mulher , Maria de Los Angeles Piñeda , em uma casa na cidade do México. Os dois são apontados pela Procuradoria Geral da República como mandantes da emboscada aos alunos da escola normal rural de Ayotzinapa , em 26 de setembro, no qual seis pessoas morreram, 26 ficaram feridas e 43 alunos estão desaparecidos. ( F S P, 5.11.2014, p. A-12) .

O prefeito confiava na impunidade. Em 2013, ele foi acusado de assassinar com o chefe da polícia , um líder rural , foram abertos processos que não deram em nada.

Sua esposa agia com desenvoltura. Era ela quem cuidava das finanças dos Guerreros Unidos. Dois de seus irmãos que trabalhavam para o tráfico foram mortos em 2009 e outro seria um dos chefes dos Guerreros Unidos. A mãe ajuda a gangue a lavar o dinheiro.

Entre 2005 e 2013, 123 processos de tortura foram levados às cortes federais do México, mas houve apenas sete condenações. Calcula-se que 93% dos crimes nem sequer são denunciados. A Suprema Corte de Justiça, independente e criteriosa funciona apenas no nível federal e nos municípios menores, o sistema de Justiça criminal está totalmente acometido por corrupção entre juízes e promotores e sujeito a violações de direitos humanos . ( Revista Veja, 19.11.2014, p. 66-69) .

A cidade de Iguala é um reduto do PRD , partido de centro-esquerda de oposição ao governo-federal e o Estado de Guerrero é comandado pelo mesmo PRD ,desde 2005.

Mas a situação é mais grave: “ No México , o dinheiro ilícito e a cumplicidade com o narcotráfico estão infiltrados em municípios de todos os tamanhos”, segundo o jurista mexicano John Mill Ackerman. ( Revista Veja, 19.11.2014, p. 67) .

O procurador-geral da República mexicano, Jesús Murillo Karam, disse no dia 6 de novembro que três homens confessaram ter matado e queimado os corpos dos 43 alunos desaparecidos da escola normal rural de Ayotzinapa. Eles dizem ter recebido os 43 estudantes no lixão de Cocula, a 22 km de Iguala , sendo que 15 deles já chegaram ao local mortos, com sinais de asfixia.

Em seguida, mataram os outros. Os corpos foram empilhados e cobertos com pneus e lenha e molhados com gasolina e óleo diesel para depois serem incendiados. As cinzas resultantes da queima foram colocadas em bolsas e atiradas no rio San Juan, que passa pela cidade. Todo o processo foi das 0 às 15 horas de 27 de setembro, logo após o ataque. Os detidos não disseram que trouxe os estudantes e quem era o mandante da emboscada. ( F S P , 8.11.2014, p. A-20) .

A situação no México se complicou em 10 de novembro , após denúncia de que a mulher do presidente Enrique Peña Nieto , conhecida atriz, comprou um imóvel em 2012 de uma empresa de Juan Armando Hinojosa, que em parceria com uma firma chinesa, conseguiu um contrato de R$ 9,45 bilhões do governo, para a construção de um trem de alta velocidade.

No dia 10, a policia enfrentou um protesto no aeroporto de Acapulco, no Estado de Guerrero, de estudantes e de parentes e amigos dos 43 alunos que desapareceram. ( F S P, 11.11.2014, p. A-10).

Políticos mexicanos tem sido agredidos em público por jovens encapuzados, uma versão local dos “black blocs”. São integrantes da Frente Popular Revolucionária , dissidência de extrema esquerda do histórico Partido Revolucionário Institucional (PRI). Próxima ao Partido Comunista, a Frente Popular critica em seu site os partidos “pequeno-burgueses” e pede a “emancipação proletária”. Eles estão aproveitando o desaparecimento dos alunos para aumentar a sua agressividade. ( F S P , 12.11.2014, p. A-10) .

Militón Ortega, padeiro, é pai de Maurício Ortega , 17, um dos 43 estudantes que estão desaparecidos. Ele acredita que o filho está vivo: “ Esses jovens estão vivos. Acho que estão sequestrados em algum lugar. O governo que se mexa para encontra-los...Em Guerrero , há muita insegurança. Os narcotraficantes são tolerados e são até cúmplices do poder. Têm vínculos com o Exército, a polícia , os servidores públicos. Eu disse isso ao próprio procurador-geral da República. Nós sempre ouvimos falar de crimes, mas a gente não acha que algum dia possa acontecer com a nossa própria família. O governo não tem credibilidade . Mas o que aconteceu em Iguala, onde o prefeito era ligado aos narcos, acontece no país inteiro. Eles pagam as campanhas políticas, então podem fazer o que quiserem”. ( F S P , 13.11.2014, p. A-13) .

Para Alejandro Hope ,um dos maiores especialistas em narcotráfico no México , pesquisador do Wilson Center, em Washington, “ nem a escala , nem o método do ataque aos 43 estudantes são inéditos. Em 2012, 73 imigrantes foram mortos em Tamaulipas e 53 morreram em um cassino em Monterrey, mas as pessoas já esqueceram”. ( F S P , 14.11.2014, p. A-14) .

No dia 20 de novembro ocorreram pelo menos três grandes protestos na Cidade do México e um deles terminou em confronto entre policiais e manifestantes . ( F S P , 20.11.2014, p. A-14) . Cerca de 31 pessoas foram presas devido aos protestos. Também houve vandalismo e saques em manifestações no Estado de Chiapas , no sul do país. ( F S P , 22.11.2014, p. A-23) .

O Estado de Guerrero ao sul da cidade do México, tem a maior taxa de homicídios do país e está entre os mais pobres, com 70% da população vivendo na pobreza e 30% na miséria.

Cerca de 100.000 pessoas foram mortas pelo narcotráfico nos últimos oito anos . A taxa de homicídios no país, de 19 por 100.000 habitantes é inferior à média brasileira ( 25 por 100.000),mas mesmo assim muito alta.

Em 2013 o país cresceu 1% , abaixo da média de 2,7% da América Latina , mas está se recuperando , com crescimento de 2,5% em 2014.

O presidente Penã Nieto desde que assumiu em dezembro de 2012 já conseguiu aprovar 11 reformas para modernizar a economia, mas as mudanças ainda não tiveram tempo suficiente para produzir resultados. O governo, com a grave crise das mortes dos adolescentes, precisa conter a escalada da violência para a retomada da governabilidade. ( Revista Exame, 26.11.2014, p. 108-112) .

Minicartéis

Para Alejandro Hope ,um dos maiores especialistas em narcotráfico no México , pesquisador do Wilson Center, em Washington, os sete cartéis desarticulados pela guerra às drogas entre 2007 e 2012, se transformaram em dezenas de “cartéis bebês”.

Desde o início do governo Felipe Calderón, no fim de 2006, o México prendeu 26 dos 37 chefões dos sete maiores cartéis do país. O número de homicídios caiu 15% nas principais áreas metropolitanas e a apreensão de heroína contrabandeada na fronteira cresceu 324% de 2009 a 2013.

“Estes cartéis são menos sofisticados e se financiam com extorsões e intimidação a empresários . Dominam polícias locais”.

Para ele, o governo sabe destruir cultivos e capturar os chefes, mas não protege pequenos empresários ou evita sequestros. Autoridades locais não sabem o que fazer e são facilmente cooptadas.

Não é possível acabar com o tráfico , mas “domá-lo”. “ A maconha representa uma porcentagem mínima do lucro dos cartéis. O negócio mesmo é cocaína, heroína, em alta , e as metanfetaminas”.

“Não vejo a menor possibilidade de legalização da cocaína, mas lutar por um mundo sem drogas ou sem mercado negro é fantasioso. O ideal seria um modelo não comercial das drogas e a outra alternativa seria comercializar. Mas estamos bem longe disso”. ( F S P , 14.11.2014, p. A-14) .

Os EUA colaboraram para piorar a situação no México. Em 1994, o governo Bill Clinton assinou uma lei que bania por dez anos a produção e venda automática de armas para uso civil. George W. Bush não renovou a lei , e vários Estados na fronteira com o México começaram a vender estas armas. Há duas lojas de armas a cada quilômetro de fronteira e 253 mil armas são contrabandeadas por ano para o México. As drogas vem do México para os EUA e as armas fazem o percurso inverso. ( F S P , 16.11.2014, p. A-22) .


MIGRAÇÃO

Os países europeus estão reduzindo as operações de resgate de migrantes em travessias precárias da África e do Oriente Médio para a Europa.

A Inglaterra decidiu em outubro que não vai mais apoiar ações de busca e salvamento. O governo acredita que o principal efeito desta ação é encorajar mais imigrantes a tentar a viagem clandestina. Portanto, a partir de agora, afundou, afogou, porque não vai mais haver ações de resgate.

Em dez meses, mais de 3.300 pessoas morreram tentando atravessar o Mar Mediterrâneo para chegar à Europa, mais do que o dobro registrado em 2013.

Os imigrantes do Oriente Médio fogem dos efeitos da guerra civil da Síria e da falta de perspectivas nos campos de refugiados dos países vizinhos. Os africanos tentam escapar da miséria e de lutas tribais.

Os motivos que levam as pessoas a aceitar os riscos para chegar á Europa, são mais fortes que o medo de morrer no caminho.

O preço para ser traficado para a Europa é determinado pela nacionalidade do migrante. Na Líbia , um cidadão da África Subsaariana para entre 1.000 e 1.500 reais . Para os sírios, o valor é o dobro.

A chegada sem controle de milhares de refugiados, o custo elevado para recebe-los e o alto nível europeu de desemprego , mudaram a tradicional acolhida dos europeus aos migrantes e a restrição era inevitável. ( Revista Veja, 12.11.2014, p. 100-101) .


MINT

O economista britânico Jim O”neill, é criador de um novo acrônimo , os Mint ( México, Indonésia, Nigéria e Turquia), que tem características que os unem e os diferenciam dos Brics: “ A população. E, em contraste com China e Rússia, os quatro países do Mint têm população jovem, não há um fardo demográfico. A população economicamente ativa nesses países vai crescer muito nos próximos 20 anos , o que é uma diferença importante em relação aos Brics. Além disso, tem relações comerciais muito diversas . Já a Nigéria, é uma exceção, com população muito grande , mas também desafios de corrupção e quanto à democracia”.( F S P , 9.11.2014, p. B-6) .

NIGÉRIA

Mais uma tragédia envolvendo escolas. Ao menos 48 pessoas , na maioria estudantes , foram mortas pela explosão de uma bomba em uma escola de ensino médio na cidade de Potiskum, no nordeste da Nigéria, durante encontro de alunos antes do início das aulas.

Ninguém assumiu a autoria, mas o local é onde costumam agir os insurgentes do Boko Haram. ( F S P, 11.11.2014, p. A-11).

O exército da Nigéria anunciou em 16 de novembro ter retomado a cidade de Chibok, no nordeste do país, que estava nas mãos do Boko Haram, há uma semana e foi onde foram sequestradas 279 adolescentes em meados de abril . ( F S P , 17.11.2014, p. A-8) .

Pelo menos 100 pessoas morreram em um atentado no dia 28 de novembro , contra a Grande Mesquita da cidade de Kano, no norte da Nigéria.

O autor dos ataques deve ser o Boko Haram. Dois suicidas entraram na mesquita e se detonaram, logo após o início das orações. Uma terceira bomba explodiu em uma rua próxima e 15 homens armados atiraram contra as pessoas que tentavam fugir. Quatro foram mortos pela multidão. Há mais de 250 feridos. ( F S P , 29.11.2014, Mundo 2, p. 1) .


ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO

Para sorte do Brasil, que teve participação zero nesta negociação, o presidente americano , Barak Obama, e o primeiro-ministro da Índia , Narendara Modi, fecharam no dia 13 de novembro um acordo que permite desbloquear o Acordo de Facilitação do Comércio, fechado no fim de 2013, em Bali e que estava suspenso por oposição da Índia.

Com isso, ganha sobrevida a Rodada Doha, o mais ambicioso projeto de liberalização comercial já lançado e que patina desde quando começou a ser negociada em 2001. Para o Brasil a notícia é excelente, porque o país apostou todas as suas fichas de política econômica externa, exatamente no sucesso da Rodada Doha.

Mas, o desbloqueio não será imediato, porque o entendimento Índia/EUA, terá que ser levado ao Conselho Geral, organismo máximo da OMC. ( F S P , 14.11.2014, p. B-6) .

A OMC adotou no dia 27 de novembro um acordo para desembaraçar a importação e exportação de bens entre seus 160 países-membros, após meses de impasse que deixaram a instituição e as negociações para liberalizar o comércio global á beira do colapso.

Estima-se que o chamado Protocolo de Facilitação Comercial, primeiro acordo de peso fechado pela instituição em seus 20 anos , incremente o comércio global em até US$ 1 trilhão.

O acordo tinha sido negociado em Bali , em dezembro de 2013, mas a Índia recuou e passou a exigir a manutenção de estoques de alimentos em países em desenvolvimento. Esse impasse foi resolvido só nas últimas semanas, com a garantia, à Índia, de que a salvaguarda não seria contestada na OMC enquanto não houvesse um novo acordo sobre o tema.

O Brasil esperava impacientemente a entrada em vigor do Protocolo, porque apostou todas as suas fichas nele. ( F S P , 28.11.2014, Mercado 2, p. 5).

PARAÍSOS FISCAIS

Eles abrigam ao menos US$ 7,6 trilhões em contas particulares, o que corresponde a 8% da riqueza mundial , segundo o Journal of Economic Perspectives. ( Revista Veja, 3.12.2014, p. 49) .

PORTUGAL

José Sócrates, ex-primeiro ministro de Portugal , de março de 2005 a junho de 2011, foi detido no dia 21 de novembro e poderá ser indiciado por corrupção, lavagem de dinheiro e fraude fiscal. Além dele, estão envolvidos o empresário Carlos Santos Silva, seu amigo, o motorista particular , João Perna , e o advogado Gonçalo Trindade Ferreira. ( F S P , 25.11 2014, p. A-14) .

A Justiça portuguesa decretou sua prisão preventiva pelos crimes de corrupção, fraude e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de montar uma intrincada rede de contas na Suíça e empresas offshore para esconder a fortuna que amealhou quando estava no governo.

Segundo as autoridades portuguesas, vários imóveis de propriedade do político em Portugal e na França, estão registrados em nome de empresas sediadas nas Ilhas Virgens. ( Revista Veja, 3.12.2014, p.94) .

POLÔNIA

A Polônia, 25 anos depois de derrotar o comunismo em 4 de abril de 1989, já é a sexta economia do continente. Seu ex-primeiro ministro , Donald Tusk, acaba de ser eleito presidente do Conselho Europeu.

Em 2004 , a Polônia se tornou membro da União Europeia e recebeu desde então 40 bilhões de euros em investimentos do bloco , com foco na infraestrutura, recuperando-se dos efeitos negativos das reformas dos anos 90.

Em 2004, o desemprego bateu o recorde de 20% e veio caindo , estando entre 8,5% e 9,5%, na média da UE e a economia tem crescido em torno de 4% ao ano. A Polônia foi o único país do bloco a não entrar em recessão na crise de 2008 e 2009.

O país é hoje uma sociedade democrática e aberta, mudando completamente ao que era antes de 1989. ( F S P , 6.11.2014, p. A-17).

Segundo o sindicalista e ex-presidente da Polônia , Lech Walesa, “O Solidariedade e a Polônia nocautearam o ‘urso russo’, que ficou enfraquecido , e outras nações progrediram...Os alemães nos ajudaram, nos apoiaram, mas o fato é que o grande começo do fim do comunismo na Europa, não é a queda do Muro de Berlim, mas o Solidariedade, na Polônia.

Sem o papa João Paulo 2º nunca teríamos nos organizado tão bem...Havia 200 mil soldados soviéticos na Polônia e 1 milhão em volta. Nós e o mundo acreditávamos que não tínhamos chance.

Minha missão era exterminar o comunismo. Por isso virei presidente. A única escolha que a oposição tinha era me transformar em presidente e encerrar o comunismo. Eu não podia falar isso em voz alta naquele momento, mas eu tinha que seguir esse caminho. Concordei em exterminar o comunismo e dei o poder para a Nação”. ( F S P , 7.11.2014, p. A-14) .

Com a economia polonesa em expansão, o país tornou-se o segundo país da União Europeia a conceder vistos de permanência a estrangeiros. Devido às ameaças de Vladimir Putin, ucranianos e bielorrussos têm visto a Polônia como a grande salvação.

Em 2013, o Reino Unido emitiu 724.000 vistos, a Polônia 274.000, a Itália 244.000, a França, 212.000 e a Alemanha 200.000. ( Revista Exame, 12.11.2014, p. 149) .

O Solidariedade foi o primeiro sindicato independente do leste , antes de ser declarado ilegal por uma lei marcial, em dezembro de 1981. Com a liderança de Lech Walesa, ele chegou a ter 70 milhões de membros.

Com o fim do regime comunista, grupos que faziam parte do mesmo seguiram caminhos próprios e o sindicato perdeu importância. Em 2014, não tem mais do que 700.000 membros. Hoje representa trabalhadores poloneses de 8.000 empresas, ainda é o maior do país, mas sem o mesmo protagonismo de outrora. ( F S P , 8.11.2014, Mundo 2, p. 9) .


QUÊNIA

Um grupo de homens armados deixou 28 mortos não muçulmanos ao atacar no dia 22 de novembro um ônibus no nordeste do Quênia , ataque reivindicado pelo grupo terrorista somali Al Shabaab.

Havia 60 passageiros no ônibus. Os criminosos pararam o veículo, o desviaram para longe da estrada e executaram os não muçulmanos. ( F S P , 23.11.2014, p. A-18) .

 

 

REINO UNIDO

O primeiro-ministro britânico, David Cameron insinuou no dia 28 de novembro que pode recomendar a saída de seu país da União Europeia se a entidade o impedir de restringir o acesso de imigrantes a recursos sociais.

Ele detalhou o seu plano de limitar benefícios como créditos fiscais e moradia a imigrantes da UE.

Ele quer impedir que imigrantes da União Europeia, desempregados, recebam benefícios do bem-estar social e que os empregados esperem quatro anos antes de poder recorrer a eles.

“Negociarei um corte na migração da UE e farei da reforma do bem-estar social uma exigência absoluta na renegociação. Se obtiver sucesso , defenderei a manutenção deste país em uma UE reformada . Se nossas preocupações não forem ouvidas (...), então é claro que não descarto nada”.

Pesquisas de opinião mostram que a imigração é a principal preocupação dos eleitores britânicos. Muitos acreditam que os imigrantes são um peso para escolas, hospitais e o sistema de bem-estar social. ( F S P , 29.11.2014, Mundo , p. 7) .


RÚSSIA

A Rússia atravessa uma grave crise de confiança , a terceira da era pós-soviética ,depois das crises de 1998 e 2008. O rublo caiu 40% no ano.

Mas , os indicadores econômicos ainda não são tão ruins. O preço do petróleo caiu quase US$ 25, para US$ 80 o barril, ou seja, o rublo caiu mais do que a cotação do petróleo.

As reservas cambiais e de ouro do país , continuam perto de US$ 430 bilhões, e a dívida geral do governo fica em apenas 13% do PIB. Há superávit e o crescimento continua modestamente positivo.

É uma situação bem diferente da de 1998 quando as reservas cambiais caíram a US$ 11 bilhões e a dívida nacional chegou a quase 100% do PIB. A crise atual é de incerteza e de medo. O sentimento dos investidores e o clima de negócios foram fortemente prejudicados pelo conflito na Ucrânia e pelas sanções dos EUA e da União Europeia que bloquearam o acesso ao financiamento ocidental em longo prazo e provocaram fugas de capital. ( F S P , 8.11.2014, p. B-6) .

O ministro da Defesa russo , Sergei Shoigu, disse que bombardeios de longo alcance farão missões de patrulha regulares, do Oceano Ártico ao Caribe e ao golfo do México. O país vai reforçar suas posições na península da Criméia , região anexada em março.

Bombardeios russos com capacidade nuclear , faziam patrulhas regulares em todo o Atlântico e o Pacífico, durante a Guerra Fria. Mas a prática foi abolida com a crise da era pós-soviética. A situação agora volta a piorar com Vladimir Putin. ( F S P , 13.11.2014, p. A-12) .

Putin admitiu no dia 23 de novembro, que pode se candidatar a um quarto mandato de presidente em 2018. Foi eleito presidente pela primeira vez em 2000 e deve continuar comandando a Rússia até 2024, ou seja , é um presidente eterno, democracia não existe para ele. ( F S P , 24.11.2014, p. A-11) .

SÍRIA

Os EUA em sua maior operação desde o lançamento da ofensiva contra o Estado Islâmico, em agosto, ampliaram no dia 6 de novembro seus ataques a outras milícias radicais islâmicas que atuam na Síria.

A milícia radical Khorasan, acusada de usar os combates na Síria para treinar europeus e americanos para fazer ataques terroristas foi atacada em Sarmada, na província de Idlib.

Outra série de ataques atingiu a Frente al-Nusra, facção vinculada à rede terrorista Al Qaeda que combate o ditador Bashar al-Assad. Bases da milícia foram destruídas em Haram, a 23 km de Sarmada e na província de Aleppo.

Outros alvos dos americanos foram os quartéis da milícia Ahrah al-Sham, em Bab al-Hawa, em Aleppo. É a primeira vez que ela é alvo de bombardeios da coalizão. Essa milícia tem ligações com o Exército Livre da Síria, grupo moderado anti-Assad , apoiado pelos EUA.

Com isso os EUA ao mesmo tempo combatem inimigos de Assad e ajudam inimigos de Assad. ( F S P , 7.11.2014, p. A-12) .

Refugiados

Os refugiados sírios, vítimas da guerra, tornaram-se em 2014 a principal nacionalidade de refugiados no Brasil, superando os colombianos. Até outubro de 2014, representaram quase 21% do total de 7.289 refugiados em território nacional, totalizando 1.524 refugiados.

Depois da Síria , os principais países de origem dos refugiados são Colômbia ( 1.218), Angola ( 1.067) e República Democrática do Congo ( 784) . Ao todo , os atuais refugiados no país pertencem a 81 nacionalidades distintas. Em 2012 foram 4.689 refugiados, em 2012 5.256 e em 2014 até outubro já são 7.289. Os haitianos não estão incluídos , por receberem visto permanente por razões humanitárias. Entre 2010 e setembro de 2014, 39 mil haitianos entraram no Brasil. ( F S P , 19.11.2014, p. A-11) .


TUNÍSIA

O partido vencedor das eleições na Tunísia é o Nida Tunis ( O Chamado da Tunísia em Árabe), que inclui candidatos ao regime do ditador Zine Bem Ali, que fugiu para a Arábia Saudita em janeiro de 2011, na Primavera Árabe e defende a separação entre política e religião.

Ele levou 85 das 217 cadeiras do Parlamento e em segundo lugar ficou o partido islâmico Ennahda, com 69 cadeiras. Esse partido foi o vitorioso nas eleições de 2011, mas nos últimos três anos diferenciou-se de seus congêneres e compreendeu as limitações do jogo democrático.

No Egito, uma organização irmã , a Irmandade Muçulmana , venceu as eleições depois da queda do ditador Hosni Mubarak, mas errou ao se apressar para implantar uma teocracia.

Os radicais do Ennahda perceberam que era melhor usar o poder recém-conquistado com comedimento. O partido também não conseguiu reerguer a economia da Tunísia e falhou na punição a assassinatos de líderes seculares e a atentados terroristas, cometidos por salafista, uma corrente ultrarradical do islamismo. Por isso perderam as eleições. Mas a Tunísia é um dos países de onde saíram mais jovens para se juntar ao Estado Islâmico na Síria e no Iraque, portanto o perigo de infiltração de radicais permanece. ( Revista Veja, 3.12.2014, p. 96) .

UCRÃNIA

As províncias separatistas de Donetsk e Lugansk realizaram eleições presidenciais e para seus Parlamentos, no dia 2 de novembro. Elas não participaram das eleições parlamentares ucranianas na semana anterior, que deram uma vitória expressiva aos partidos favoráveis á aproximação com o Ocidente.

EUA, União Europeia e Ucrânia não reconhecem o pleito e a Rússia afirmou que “respeita a vontade” dos eleitores. Os líderes rebeldes dizem que as duas províncias são Estados independentes e não precisam obedecer às leis da Ucrânia. ( F S P , 3.11.2014, p. A-15) .

Como era de se esperar os líderes rebeldes Alexander Zakharchenko e Igor Plonitsky ganharam e passarão a chefiar as autodeclaradas repúblicas populares de Donetsky e Lugansk.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko afirmou que a votação foi uma “ farsa sob a mira de tanques e metralhadoras” e a eleição viola um acordo entre a Ucrânia e os rebeldes assinado em 5 de setembro. ( F S P, 4.11.2014, p. A-11) .

Poroshenko anunciou em 4 de novembro o envio de soldados para cidades-chave do leste do país: Mariupol, Berdiansk, Kharkiv e Lugansk. ( F S P, 5.11.2014, p. A-11) .

Autoridades de Kiev denunciaram no dia 7 de novembro que “Trinta e dois tanques, 16 obuses e 30 caminhões militares Kamaz, com tropas entraram na Ucrânia e se dirigem para a cidade de Krasny Luch, em Lugansk”, segundo o porta-voz militar Andrei Lysenko.

Outra coluna de caminhões com equipamentos de rádio teria cruzado a fronteira pela passagem de Izvarin, em poder dos separatistas.

Cerca de cinco militares morreram e outros 16 ficaram feridos em 24 horas , na região. ( F S P , 8.11.2014, Mundo 2, p. 9) .

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Pavlo Klimkin, 46, afirma que “ Infelizmente, desde o cessar-fogo, mais de cem soldados ucranianos foram assassinados. A situação está longe de ser pacífica. Nossas forças estão sob o fogo dos terroristas e, claro, em alguns casos precisam revidar. As forças ucranianas estão prontas para defender nosso país , mas nossa busca é pela paz e para salvar vidas dos dois lados.

Donetsk e Lugansk são regiões industriais altamente populosas. Por causa do conflito, a maioria dos seus negócios fechou ou suspendeu os trabalhos. Essa situação tem tido dramáticas consequências para os cidadãos. Outras regiões estão sofrendo economicamente. Apesar disso, o governo vem implementando reformas , e estamos abertos a investidores , com exceção da área de conflitos”.

Para ele, “ nós definitivamente precisamos de mais apoio político do Brasil como nosso parceiro estratégico e um aspirante a membro permanente do Conselho de Segurança da ONU”. ( F S P , 14.11.2014, p. A-12) .

Rússia – sanções são ilegais.

O presidente russo Vladimir Putin denunciou em 14 de novembro as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos e pela União Europeia contra o país, como ilegais , afirmando que enfraqueceram as relações econômicas mundiais.

“As sanções vão contra o princípio das atividades do G20 e da lei internacional, já que somente podem ser introduzidas por meio da Organização das nações Unidas (ONU), e seu Conselho de Segurança”. ( F S P , 15.11.2014, Mundo 2, p. 1).

Putin recebeu uma saraivada de críticas na reunião de líderes do G20 na Austrália, acerca da escalada do conflito com a Ucrânia. O presidente da União Europeia, Herman von Rompuy , disse que , embora não esteja na agenda, o tema do conflito ucraniano seria discutido. Obama afirmou que os EUA são uma voz de liderança na oposição à agressão russa na Ucrânia, que descreveu como uma ameaça para o mundo. ( F S P , 16.11.2014, p. A-18) .

Brasil

A presidente Dilma Rousseff admitiu em 16 de novembro que o governo brasileiro “nunca” definiu uma posição sobre a crise na Ucrânia , apesar de a Rússia ter tomado a península da Criméia e depois estar estimulando o separatismo das províncias de Donetsk e Lugansk.

“Não é nosso interesse tomar posição nem de um lado , nem do outro”, afirmou em Brisbaine na Austrália , na cúpula do G20.

A omissão brasileira causa estranheza em chancelarias ocidentais empenhadas em punir a Rússia pelo que consideram clara violação das fronteiras estabelecidas na Europa.

O caso da Ucrânia levou ao isolamento do presidente Vladimir Putin durante a reunião do grupo. Para se ter uma ideia do clima, o primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, ao apertar a mão de Putin afirmou “ Eu vou apertar a sua mão, mas só tenho uma coisa para lhe dizer: caia fora da Ucrânia”. Putin retrucou: “Isso é impossível, porque nós não estamos lá”. ( Folha de São Paulo, 17.11.2014, p. A-10) .

Negociação com a Rússia

O primeiro-ministro ucraniano , Arseni Yatseniuk afirmou em 18 de novembro :” Convidamos a Federação Russa a iniciar negociações em um terreno neutro”.

A situação continua tensa. No dia 18 , cinco soldados ucranianos morreram e oito ficaram feridos no leste do país, atingidos por tiros e minas. ( F S P , 19.11.2014, p. A-13) .

VENEZUELA


Miguel Henrique Otero, 67 é proprietário e editor do jornal venezuelano El Nacional, um dos que ainda resiste ao massacre do governo venezuelano. E ele tem muito a contar.

Para ele , Venezuela e Brasil tem muitas semelhanças: “ O Brasil está seguindo a tendência de uma parcela da América Latina de caminhar em direção ao populismo autoritário... O populismo autoritário também tem como característica a intenção dos seus líderes de perpetuar-se no poder. Para isso, eles modificam as leis , de preferência a Constituição como um todo para evitar a alternância de poder.

Na Venezuela , por exemplo, Chávez acabou com o limite dos mandados para presidente. Outra forma de conseguir isso, é garantir o apoio popular , o que é obtido com políticas que distribuem à população comida e dinheiro. O problema é que essa política não gera riqueza. Com os benefícios, o povo pode até momentaneamente acreditar que sua condição melhorou, mas o fato é que permanecerá pobre , porque não terá boas opções de emprego e a economia ficará estagnada. Nas estatísticas, eles deixam de ser considerados pobres porque recebem salário ou ajuda financeira adicional , mas a longo prazo a ascensão social é nula. É o que na Venezuela chamamos de “comida hoje, fome amanhã”. Para esses governantes, manter a população na pobreza é importante, porque isso lhes garante a sustentação política de que precisam”.

“Chávez é uma criação do Foro de São Paulo ( o encontro de partidos e organizações de esquerda da América Latina que surgiu em 1990 de uma conversa entre o presidente Lula e o ditador cubano Fidel Castro). No fundo, é a ideologia castrista de supressão das liberdades individuais não mais pela revolução armada, mas por eleições. Pode parecer legítimo, mas não é. Quando estão na iminência de perder o pleito, eles trapaceiam, violam os resultados e exigem reformas políticas boas apenas para eles. São persistentes... O uso da democracia para acabar com a democracia foi estratégia comum dos populistas na Venezuela, Nicarágua, Equador , Bolívia e Argentina....

Esses regimes não podem sobreviver com uma imprensa livre. A verdade é tóxica para eles... Uma rádio no interior do país tinha programas com a participação dos ouvintes, por telefone. O povo ligava e dava livremente a opinião contra ou a favor do governo. Era um costume muito tradicional nessa rádio. Hoje , essa estação eliminou todos os programas de opinião. Não há mais participação dos ouvintes. Só toca música. Foi neutralizada...

Aos poucos , o espectro de rádio e televisão foi quase todo ocupado com programas de Chávez em cadeia nacional, pregações intermináveis em que ele se dedicava a ameaçar, insultar adversários e inculcar sua visão de mundo nos ouvintes e telespectadores.

A fase seguinte foi aparelhar os tribunais de modo a facilitar o silenciamento das vozes críticas, pois isso implica criar e aplicar leis de censura que violam a Constituição...Esse modo de agir foi implantado aqui pelos cubanos. Eles doutrinaram o governo daqui a considerar qualquer revelação de fatos que desmintam as versões oficiais como sendo fruto da agressão imperialista e como tendo o objetivo de destruir o país...

Aqui todos os burocratas com algum poder são obrigatoriamente membros do partido do governo. Tudo é feito de forma descarada. Os membros do Supremo Tribunal de Justiça foram escolhidos por Hugo Chávez e, depois, por Nicolás Maduro , e obedecem cegamente aos desígnios do governo...

O ataque direto a jornalistas tem aumentado. Somente neste ano foram registradas 160 agressões...Outra ferramenta é a compra de meios de comunicação privados com dinheiro público...Finalmente, há o estrangulamento pela falta de papel de imprensa. Em primeiro lugar o governo não autoriza a venda de dólares para que possamos importar papel e imprimir as páginas.” ( Revista Veja, 5.11.2014, p. 19-23) .

ONU cobra Venezuela

O Comitê da ONU contra a Tortura, cobrou na Suíça, em 6 de novembro, explicações da Venezuela sobre denúncias de maus-tratos contra milhares de cidadãos.

Caracas veta o acesso a observadores da ONU. “ Há denúncias de que houve mais de 3.000 detenções e que estas pessoas foram despidas, ameaçadas de estupro , não tiveram direito a atendimento médico nem a advogado e não puderam ligar para a família. Que medidas foram tomadas para prevenir a tortura? Perguntou Jens Modvig, relator do caso sobre tortura na Venezuela.

Foram abordados os casos de presos proeminentes , como o líder opositor Leopoldo López e da juíza Marias Lourdes Afiuni.

O vice-ministro da Venezuela teve a coragem de afirmar que a Venezuela tem “ um modelo policial e de segurança humanista que respeita de maneira irrestrita os direitos humanos”. Isso é o chavismo. ( F S P , 7.11.2014, p. A-15) .

Brasil cobra Venezuela

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo , convocou no dia 4 de novembro o encarregado de negócios da Venezuela no país, Reinaldo Segóvia, para questionar acordo feito entre a Venezuela e o MST em outubro.

Figueiredo manifestou “estranheza do governo brasileiro” com o fato de o ministro venezuelano Elias Jaua “ter vindo ao país para cumprir agenda de trabalho sem notificar o governo brasileiro”. É o governo venezuelano trabalhando para bolivarizar o Brasil. ( F S P , 7.11.2014, p. A-15) .

Partidos de oposição da Venezuela pediram no dia 28 informações à Embaixada do Brasil em Caracas sobre o caso da babá da família do ministro das Comunas, Elias Jarua, que foi presa no aeroporto de Guarulhos em 24 de outubro, com um revólver.

O objetivo é conseguir provas para um eventual processo por abuso de poder contra o ministro que usou um avião da estatal PDVSA para viajar para o Brasil e não avisou o Brasil. A situação piorou depois que se descobriu encontros de Jaua com a direção do MST. ( F S P , 27.11.2014, p. A-16) .

Salário Mínimo

O presidente Nicolás Maduro anunciou no dia 3 de novembro um aumento de 15% do salário mínimo a partir de dezembro . A intenção é atenuar os efeitos da inflação antes das festas de fim de ano, mas o efeito pode ser o oposto, de aumentar ainda mais a inflação de 63%, uma das mais altas do mundo.

Na cotação oficial, o novo salário de 4.889 bolívares equivale a US$ 776, o mais alto da América Latina. Mas, na cotação paralela, trata-se do mais baixo da região - US$ 50. É o terceiro aumento em 2014: houve em janeiro um de 10% e , em abril, de 30%. ( F S P , 5.11.2014, p. A-10).

“Coletivos”

Os grupos hoje conhecidos como “coletivos”, surgiram nos anos 1960 como movimentos sociais nas favelas de Caracas, fortaleceram-se com a chegada ao poder de Hugo Chávez em 1999 e foram armados por ele , após a fracassada tentativa de golpe militar pela oposição em 2002, porque Chávez não confiava no Exército, nem na polícia.

No primeiro semestre de 2014, diante dos protestos da classe média , o presidente Nicolás Maduro pediu ajuda aos “coletivos”. “Vela que se acende, vela que apagamos”, martelava Maduro, insuflando a invasão dos bairros nobres de Caracas pelos “coletivos”.

Mas, desde então, azedou a relação entre o governo e essas organizações, armadas pelo Estado e que hoje ameaçam a segurança nacional.

Em outubro, José Odreman , um dos principais líderes dos “coletivos”, foi morto pela polícia com 32 tiros. A ação também matou outros quatro membros do grupo. A polícia alegou que eles eram delinquentes e assassinos, mas o enterro de Odreman acabou sendo custeado pelo Estado.

Jurando vingança, o 5 de Março e outros “coletivos” exigiram a demissão do ministro do Interior, Justiça e Paz, Miguel Rodriguez Torres, que acabou demitido por Maduro.

Agora os grupos querem que ele seja preso e cobram também a renúncia de Diosdado Cabello, chavista , todo poderoso chefe do Legislativo e seu inimigo declarado.

Um integrante do 5 de Março afirma que “agora somos apresentados como bandidos. Da próxima vez, não só não atacaremos manifestantes, como nos uniremos a eles”.

Líderes dizem que estão pagando o preço por se oporem à corrupção da polícia que teria começado a explodir depois da morte de Chávez. “ Muitas vezes, interceptamos narcotraficantes nas nossas comunidades e os entregamos às autoridades, mas a polícia os solta porque recebe dinheiro deles”.

Igor Luengo, membro do coletivo Juan Montoya, acusa Maduro de incompetência: “ As pessoas estão muito descontentes com as filas para conseguir produtos básicos e com a falta de remédios e alimentos. Isso não acontecia com Chávez’.

Os “coletivos “ enxergam a recente Lei do Desarmamento, que visa a regulamentar o porte de armas no país, como outro sinal da guerra travada contra eles. Alguns , porém, rejeitam a confrontação e juram lealdade a Maduro, mas para Luengo eles “são reféns da chantagem e do dinheiro do governo”.

Maduro está tentando controlar os “coletivos”, cujo papel vem mudando profundamente pois estão fazendo coisas que ele não concorda. ( F S P , 8.11.2014, p. A-18) .

Denúncia de “traidores”.

O Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), lançou uma campanha para incentivar seus membros a delatar supostos inimigos infiltrados. Francisco Ameliach, governador de Carabobo e vice-presidente de Organização e Temas Eleitorais do PSUV, escreveu no Twitter, “ O militante que estiver fomentando a desunião, deve ser denunciado “, e indicou o endereço e SMS para a denúncia.

Diosdado Cabello, primeiro-vice-presidente do PSUV e presidente da Assembleia em seu programa semanal de TV também pede que “traidores” sejam denunciados. Não está claro qual será a retaliação aos acusados de agir de maneira sorrateira em favor da oposição direitista.

Embora não seja citado, o movimento Marea Socialista é o principal alvo das pressões. O Marea afirma que o governo tem ampla responsabilidade pela crise , que é acentuada pela escassez de produtos básicos, inflação que supera 63% e criminalidade propalada pela corrupção generalizada da polícia. O descontentamento nas bases do PSUV é muito grande e pesquisas recentes mostraram que a popularidade de Maduro está abaixo de 20%.

Uma corrente do Marea Socialista defende formar uma frente independente do PSUV, para concorrer na eleição parlamentar de 2015. Esta dissidência , se soma à perda de apoio de alguns coletivos, para aumentar os problemas do fracassado governo de Nicolás Maduro. ( F S P , 14.11.2014, p. A-13) .

Petróleo

A queda dos preços do petróleo está afetando a economia venezuelana , pois o petróleo é a locomotiva do chavismo. O barril venezuelano , do tipo Brent por ser pesado, fechou em 14 de novembro a US$ 70,83, quase US$ 2 a menos do que na semana anterior, o nível mais baixo desde 2010.

Na Venezuela, a gasolina é a mais barata do mundo, custando R$ 1 para encher o tanque de um carro médio, custando US$ 12 bilhões anuais ao Estado em subsídios. Corrigir a gasolina para seu valor real, pode fazer a inflação , que já está em 63%, explodir. O governo ainda gasta mais US$ 10 bilhões por ano com a exportação de petróleo a aliados.

Além disso , o governo chavista transformou a PDVSA em uma organização social. A empresa injetou US$ 205 bilhões em programas sociais desde 2001. A estatal tem até uma filial de supermercados a preços subsidiados, a PDVAL.

O país desperdiçou ou torrou o dinheiro do petróleo e agora está em um beco sem saída, pois os ajustes que terão que ser feitos com a queda da cotação do produto terão pesados custos políticos. ( F S P , 19.11.2014, p. A-12) .

Superpacote tributário

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, aproveitou as últimas horas de vigência da Lei Habilitante que lhe dá poderes especiais para impor medidas sem aprovação do Congresso e no dia 18 de novembro anunciou uma espécie de reforma tributária , que fecha ainda mais o cerco ao setor privado no regime socialista, ou seja, que vai desestimular ainda mais a atividade econômica.

As medidas incluem uma nova taxa de 15% sobre bens considerados de luxo, como iates e alguns carros , que se somará aos 12% já cobrados. Também foram aumentados impostos sobre cigarros e bebidas alcóolicas.

A Lei Habilitante expirou em 19 de novembro, tendo sido decretadas 56 leis.

O cenário econômico do país, já grave com uma inflação de 63% , piorou com a queda nos preços do petróleo. O barril venezuelano fechou em US$ 70,83, o nível mais baixo desde 2010, e o governo tenta aumentar o preço mundial do produto por meio do corte da oferta. ( F S P , 20.11.2014, p. A-16) .

O presidente Maduro poderia adotar medidas concretas para estabilizar a economia. Poderia desvalorizar a irreal taxa de câmbio, e aumentar o preço irrisório da gasolina, mas sua política populista impede que faça isso porque teme perder de uma vez a baixíssima popularidade que já tem.

Reforma da Polícia

No dia 19 de novembro, último dia de vigência da Lei Habilitante, Nicolás Maduro decretou a reforma da lei anticorrupção e da polícia do país.

Maduro criou o Corpo Nacional contra a Corrupção, que será vinculado á Presidência , com nomes indicados pelo próprio Maduro.

O conselho contará com a ajuda da nova Polícia Nacional Anticorrupção, encarregada de investigar os casos de irregularidades na gestão pública. A força de segurança será também encarregada de operações de Inteligência e de análise estratégica.

Com um terceiro decreto reformou a Lei de Contratações Públicas, incluindo a participação popular na gestão dos recursos do Estado e a simplificação das licitações de obras do governo.

Trata-se de uma missão impossível porque a corrupção está vinculada ao autoritarismo do modelo chavista. Ou seja, enquanto o modelo continuar predominando no país, não há como diminuir a corrupção. ( F S P , 20.11.2014, p. A-15) .

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração