Como a Educação Financeira pode transformar a sua vida

Neste Artigo falo um pouco sobre a importância da Educação Financeira para a qualidade de vida de todos nós.

Quando falamos em Educação Financeira, a maioria de nós logo pensa que é um assunto chato, difícil e desnecessário, sem conhecer e nem ao menos tentar saber o que é essa tal de “Educação Financeira”. Há aqueles que pensam que é algo que somente os “ricos” sabem bem o que é. Esse desconhecimento se deve, principalmente, por ser um assunto que as escolas não dão muita importância, e, também, o assunto “dinheiro”, raramente é discutido dentro dos lares, como se fosse algo “sujo” ou inapropriado à discussão familiar. Por isso, as pessoas e, principalmente, as famílias brasileiras se encontram extremamente endividadas, causando a maioria dos divórcios, doenças e atrapalhando a nossa qualidade de vida.

Segundo a SERASA, em 2016, 60 milhões de brasileiros estavam endividados, que totalizaram espantosos R$ 256 bilhões em dívidas em atraso, isso equivale a 41% dos brasileiros adultos com mais de 18 anos. É a maior marca já registrada pela SERASA desde que iniciou a medição em 2012. O endividamento pode provocar ansiedade e depressão, e pode agravar outras doenças pré-existentes como compulsão e transtorno bipolar. O problema do endividamento deve ser olhado não apenas do lado financeiro, mas, também um problema de saúde mental, que afeta a vida de milhões de brasileiros conforme mostra a pesquisa citada acima.

Pensamos que Educação Financeira se resume nas palavras economizar, cortar gastos, poupar e acumular dinheiro, tudo isso é primordial para nossa saúde financeira, porém, Educação Financeira é muito mais que isso. Ela busca, principalmente, melhor qualidade de vida, hoje e no futuro, ela nos traz segurança material e garantia para eventuais imprevistos. A partir do momento que o dinheiro passa a ser nosso aliado e não um problema, nossa vida se torna mais leve, quando temos pleno domínio de nossa vida financeira, sabemos que se algo sair do controle teremos condições materiais e psicológicas para enfrentarmos tal problema. Tudo isso nos traz uma tranquilidade enorme para podermos viver a vida em plenitude.

A Educação Financeira deve ser difundida dentro das escolas, dos lares, dos locais de trabalho, deve ser aprendida e apreendida por todos nós. Cito aqui uma frase do livro “Pai rico, Pai pobre” de Robert Kiyosaki: “ Uma das razões pelas quais os ricos ficam mais ricos, os pobres, mais pobres e a classe média luta com as dívidas é que o assunto dinheiro não é ensinado nem em casa nem na escola”.

A partir do momento que começamos a colocar em prática o que aprendemos com a Educação Financeira, começamos a perceber para onde está indo nosso dinheiro, conseguimos perceber que muitas coisas desnecessárias podem ser cortadas, que nossa vida não se resume a sermos somente máquinas pagadoras de contas. Somos capazes de encontrar novos caminhos, que não depende de quanto ganhamos de dinheiro e sim o “como” gastamos e o quanto somos capazes de economizar e investir nosso dinheiro, fazendo-o ser nosso empregado, trabalhando para nós, nos ajudando a alcançarmos nossos objetivos materiais, sem nos endividarmos, tendo como lidar com os imprevistos da vida. Ela é uma ferramenta importante para a realização de nossos sonhos, e ela é o caminho mais rápido para alcançarmos algo, que hoje, em minha opinião, é a coisa mais importante em relação ao dinheiro, a tão sonhada Independência Financeira.

Viver a Educação Financeira é algo simples, nada complexo, porém, exige dedicação e disciplina, como tudo em nossas vidas, sem essas palavras nada acontece de bom. Então faço esse convite, vamos encarar o dinheiro como algo que está aí para ser nosso aliado e não um problema.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração