Como melhorar minhas finanças pessoais?

Feito esse exercício, poderíamos dizer que para alcançar bons resultados e ter uma vida financeira equilibrada as pessoas precisam se organizar

iStock

Muita gente sofre de má gestão de suas finanças pessoais, entretanto, poucas pessoas sabem o motivo que as impede de gerenciar seu dinheiro a fim de atingir seus objetivos. Esse, aliás, é um grande problema nos dias atuais, as pessoas trabalham para ganhar dinheiro, mas não possuem sonhos e objetivos claros a serem alcançados, passando seus dias em busca de recurso para sobreviver sem saber se estão evoluindo ou andando pra trás.

 

A primeira coisa que precisa ficar clara quando se pensa em finanças pessoais é o lugar aonde se quer chegar. Isso exige que a pessoa reflita com cuidado sobre suas vontades e seus objetivos.

 

Feito esse exercício, poderíamos dizer que para alcançar bons resultados e ter uma vida financeira equilibrada as pessoas precisam se organizar, basicamente, em duas etapas:

 

A primeira se baseia na organização das entradas e saídas de dinheiro cuidando para que o saldo seja positivo no final do mês, pode parecer óbvia essa afirmação, mas grande parte das pessoas não possui clareza de quanto estão gastando no seu dia a dia e não conseguem calcular se aquilo que recebem está sendo superior ao que estão gastando.

 

Para realizar essa tarefa, é necessário listar todos os rendimentos ao longo do mês em uma lista e todas as despesas em outra lista, se a diferença entre eles for negativa, ou seja, se os gastos forem superiores aos rendimentos, então será necessário reverter essa situação através de dois caminhos: ou se reduz os gastos, realizando cortes em seu orçamento, ou se aumenta a receita fazendo trabalhos extras, mudando de emprego, etc.

 

Feito isso, será necessário avançar para a segunda etapa, que se baseia em analisar onde está sendo aplicada essa sobra de recurso. Grande parte das pessoas não consegue diferenciar despesa de investimento e essa distinção é crucial para determinar se suas finanças pessoais irão construir riqueza ao longo do tempo ou desperdiçar seus esforços em economizar dinheiro.

 

Assim, para exercitar essa segunda etapa é preciso diferenciar esses dois conceitos básicos: investimento e despesa. O investimento é um gasto feito em algo que lhe renderá receita ou reduzirá suas despesas no futuro, por exemplo, ao comprar uma casa para alugar, você irá investir seu dinheiro para que no futuro esse investimento te remunere com o aluguel recebido, ou ao comprar uma casa própria para morar, esse investimento terá o objetivo de reduzir a despesa paga mensalmente de aluguel.

 

O outro tipo de gasto é a despesa, ao comprar uma roupa ou uma viagem você irá gastar seu dinheiro apenas para usufruir desse bem ou serviço, sem que ele te traga retorno financeiro.

 

Assim, sugiro que você se faça a seguinte pergunta: ao gastar meu recurso economizado, gerarei mais receita ou reduzirei minhas despesas no futuro? Se a resposta for sim, parabéns, o seu gasto está sendo bem aplicado em um investimento, entretanto, se o recurso que você consegue poupar é gasto em mais despesas ou em um produto que não te gerará mais receitas ou menores despesas, então esse dinheiro pode estar sendo mal aplicado.

 

Isso não significa que você não deverá gastar dinheiro em viagens, diversão, roupas ou em um jantar especial para sua esposa ou marido, esses gastos não aumentam sua receita nem diminuem suas despesas, mas são gastos que melhoram sua qualidade de vida, portanto são importantes também.

 

O grande problema é que muita gente compra esses produtos e serviços utilizando todo o recurso que lhes sobra, ou seja, ao invés de otimizar o dinheiro que sobra para aumentar seu capital e sua receita no futuro, todo ele é gasto em despesas de curto prazo e que não melhora sua condição de vida ao longo do tempo, isso sem contar aquelas pessoas que não conseguem poupar recurso e ainda gastam o que não têm para esse fim.

 

Sendo assim, se você deseja ter uma melhor condição financeira no futuro, você deve refletir sempre sobre esses dois princípios, primeiro garantir que a sua renda seja maior do que suas despesas todos os meses, e segundo, garantir que o valor economizado seja gasto, preferencialmente, com investimentos que poderão trazer mais receita ou menos despesa no futuro.

 

Descreva suas receitas e suas despesas, certifique-se que a gestão sobre o seus rendimentos está controlada e não deixe de investir seus recursos para que no futuro você possa aproveitar de sua maturidade com qualidade de vida e atingir com sucesso seus objetivos.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(5)
Tags: como enriquecer dinheiro Finanças pessoais futuro financeiro minhas finanças