Dicas para começar hoje a ter controle sobre as finanças pessoais

Você mal vê a cor do dinheiro quando recebe seu salário/rendimento? Você ganha bem, mas não tem noção de onde está indo seu dinheiro? Segue abaixo uma “TO DO LIST”, que pode te ajudar a pôr organização nas suas finanças pessoais. 1. Observe-se! Se aceite! 2. Pense! Depois Planeje! 3. Pratique sua organização! E comece agora! 4. Leia bons livros sobre finanças!

Você mal vê a cor do dinheiro quando recebe seu salário/rendimento?

Você ganha bem, mas não tem noção de onde está indo seu dinheiro?

Segue abaixo uma “TO DO LIST”, que pode te ajudar a pôr organização nas suas finanças pessoais.
1. Observe-se! Se aceite!
2. Pense! Depois Planeje!
3. Pratique sua organização! E comece agora!
4. Leia bons livros sobre finanças!


1) Observe-se! Se aceite!

Antes de tomar qualquer atitude, pare. Observe-se!

Take your time! Leve o tempo que precisar, essa observação é uma base sólida para o trabalho que será feito na sequência. Fique tranquila (o) e seja sincera (o) na percepção que terá a respeito da forma como você se relaciona com o dinheiro.

Se perceber alguma verdade desagradável, não feche os olhos! Um bom exemplo de uma verdade chata de ser aceita é que “muitas(os) de nós compramos coisas sem necessidade, e depois nos arrependemos”, normalmente compras desnecessárias (e por vezes bem caras) acontecem num rompante, e escondem uma carência, um vazio que finge ser preenchido com o ato de “gastar, gastar, gastar”.

Observou-se? Registre suas descobertas! Então, aceite que você é como você é, que você é quem você é. A negação nesse estágio é um veneno inútil, por isso, eu reforço a importância de aceitar os fatos tais como são antes de passar para o próximo passo.

2) Pense! Depois planeje!

Agora que você já tem as informações sobre seu comportamento com o dinheiro, é hora de fazer a análise disso. Funciona exatamente como uma análise de histórico empresarial, onde um profissional se debruça sobre os registros e colhe dados preciosos que serão devidamente utilizados para a confecção do orçamento/planejamento financeiro do período.

Analise com carinho os seus gastos, note quais são inúteis e podem ser cortados do seu orçamento, note quais despesas podem ser reduzidas, e quais são inevitáveis.

Pense em como seu dinheiro pode ser melhor usado, pense em como fazê-lo durar o mês, pense ainda em como fazê-lo render juros. Estude para isso, pesquise as opções, pode ser muito divertido aprender a cuidar do seu próprio dinheiro.

Faça planos. Planeje cortes, essa é uma fase dolorida, porém, necessária. Tudo que você gasta na rua ou com outros profissionais, e que você pode, dentro da sua realidade de tempo e condições fazer você mesma (o), vale a pena se tiver um bom motivo para esse sacrifício, como um sonho de viagem por exemplo. Aliás, ter metas claras para o seu dinheiro é uma estratégia ótima para conseguir manter o foco.

O contraponto é planejar a sua retirada, a parte do seu rendimento que será reservado para você usar como achar melhor, um valor fixo em percentual que deverá ser criteriosamente respeitado, ache o seu valor, pode ser 3%, 5%, 10%. Tem que fazer sentido para você, e ninguém mais.

Crie categorias para você entender melhor. Especifique em vestuário, lazer, saúde, educação, moradia, ou em outros tópicos que tenham importância para você. Use uma planilha de Excel para isso (tem muitas gratuitas na internet), mas se preferir pode usar caneta e um caderno, dá mais trabalho, mas o resultado é exatamente o mesmo.

3) Pratique sua organização! E comece agora!

Agora que você já fez todo o trabalho de garimpar informações, planilhar, pensar, cortar... Agora é só praticar.

A prática leva à perfeição, então comece já, não precisa esperar receber o próximo salário, comece hoje e vá se aperfeiçoando aos poucos. Quando menos esperar estará totalmente habituada (o) a levar tudo controlado e verá que valeu a pena.

Pegue sempre comprovante de pagamento, nota fiscal, e leve tudo anotado, é fácil se esquecer se confiar apenas na cabeça.

Faça com que essa seja uma tarefa prazerosa e divertida, encontre seu jeito de fazer isso funcionar.

Deu certo para mim, pode dar certo para você.

4) Leia bons livros sobre finanças!

Quanto mais conhecimento você tiver sobre finanças mais capacidade você terá de gerenciar o seu dinheiro, e talvez se for seu interesse, pode se tornar um investidor, um especialista autodidata no assunto, poderia ajudar tantas outras pessoas nesse processo, começando com sua família, seus amigos.

Existem livros ótimos, de fácil compreensão e com dicas excelentes sobre o assunto finanças, mas eu separei apenas alguns que eu super indico a leitura, para usar como livros de cabeceira, para ler e reler e reler e reler.

• Como passar de devedor para investidor – Fabio Souza e Samy Dana
• Como organizar sua vida financeira – Gustavo Cerbasi
• Casais inteligentes enriquecem juntos – Gustavo Cerbasi
• O Poder da ação – Paulo Vieira
• Fator de enriquecimento – Paulo Vieira
• Os segredos da mente milionária – T. Harv Baker
• Pai rico, pai pobre – Robert T. Klyosaki
• Como atrair dinheiro – Joseph Murphy

Não espere ler todos os livros para começar a controlar suas finanças, comece hoje mesmo sem saber muito e no caminho vá aprendendo.

Boa Sorte!

 

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração