Domine a sua mente e eleve os seus resultados

Os seus resultados são frutos da sua mentalidade, por isso é necessário compreender melhor a mente humana.

Você toma decisões baseadas no que acredita, age da maneira que sente e pensa, faz aquilo que você é. Como todo efeito tem uma causa, você atrai tudo aquilo que merece: pessoas, ambientes, situações, dinheiro. As ações geram efeitos e consequências. As causas das suas ações estão na sua mente. Os seus resultados são frutos da sua mentalidade, por isso é necessário compreender melhor a mente humana. Facilitando o entendimento, podemos dividir a mente em três partes: mente inconsciente, mente consciente e mente subconsciente.

A mente inconsciente é mais fácil de entender. Ela faz duas coisas importantes: controla o nosso sistema imunológico e o nosso sistema nervoso autônomo, ou seja, nossa respiração, batimento cardíaco e outras funções automáticas do corpo. Tudo aquilo que a gente faz para sobreviver, sem precisar tomar decisões é controlado pela mente inconsciente.

A mente consciente é representada pela memória funcional, útil para as memórias de curto prazo. Através dela, capturamos informações do cotidiano e usamos da melhor forma. As informações registradas na memória funcional logo são esquecidas, já que não são uteis por tanto tempo. Escrever e sintetizar as coisas importantes é uma maneira de exercitar a mente consciente. A outra função dela é a análise. Usamos a parte analítica da mente quando estamos conversando, observando, julgando as coisas e informações ao nosso redor. Enquanto você lê este texto, é natural pensar: será que isso faz sentido? É assim que funciona a mente? Esses questionamentos são da mente consciente.

A força de vontade é outra característica comum da mente consciente. É como uma “adrenalina mental” acionada quando precisamos resolver um problema. A capacidade dessa força depende do treino e dedicação de cada indivíduo, também pode ser estimulada. A mente consciente nos dá razão e motivos para tudo o que fazemos. Se questionarmos por que você está lendo este artigo, você pode responder: “por que eu quero aprender mais”, “porque eu quero crescer na carreira”.

Quando você faz escolhas, por mais que sejam irracionais, a sua mente consciente oferece inúmeras razões. Lembre-se de uma escolha equivocada que você fez, ou de uma falha. Perceba que a mente oferece diversas justificativas para aquele erro. Pense em algo que você precisa fazer e está procrastinando. Perceba que a sua mente encontra justificativas para a procrastinação, por exemplo: “eu não tinha tempo para fazer outros cursos, pois eu cuido da minha mãe que é idosa”, ou “eu não empreendi naquela época porque eu não tinha o capital necessário, então roubaram a minha ideia e ganharam dinheiro com ela”. Perceba que as justificativas podem não ser reais, mas são “fundamentadas” e “racionais”. Elas não se baseiam, necessariamente, em fatos. São apenas razões que a sua mente cria e está programada para fazer. De onde vêm essas programações? Da mente subconsciente. Muitas coisas que você faz, sente e pensa estão programadas na mente subconsciente.

Tudo o que entra na mente subconsciente ela dá um jeito de transformar em realidade. Dentre as funções, a primeira delas é a memória de longo prazo, ou seja, as emoções e significados das emoções. Se eu lhe perguntar agora: “como foi o primeiro beijo que você deu na sua esposa ou namorada?”, ou “lembra do primeiro sorriso do seu filho?”. Quem já viveu momentos assim, sabe que são marcantes. Por isso a maioria das pessoas consegue lembra-los durante boa parte da vida, pois ficam registrados no subconsciente. Garanto, inclusive, que é bem mais fácil do que lembrar: “o que é uma oração coordenada assindética?”. Para a maioria das pessoas, questões e respostas como essa são memórias de curto prazo, uteis apenas nas provas de língua portuguesa do ensino médio.

Imagine uma pessoa que, quando era criança, escutou os pais brigando: “amor, ter empresa é só para gente rica, o melhor que você faz é passar num concurso público”, “melhor ganhar pouco do que não ganhar nada, então agradeça”, “ricos são assim mesmo, egoístas e arrogantes, só pensam neles”. Ideias como essas ficaram registradas na mente dela, então a programação mental financeira dela tende a ser negativa. E o que a mente subconsciente dela fará? Oferecerá autoproteção. Quer que ela se sinta mais segura possível e não sofra. Essa pessoa com a programação mental financeira negativa pode ser muito trabalhadora e dedicada, mas num momento que está prestes a ganhar mais dinheiro a mente subconsciente pode dizer: “se você ganhar mais dinheiro, pode ficar muito arrogante e se afastar dos amigos”, ou “se você abrir uma empresa, não terá tempo para ficar com a família”. Então, ela sentirá medo de ser infeliz ou fracassar. A mente subconsciente gravou os momentos que ela sofreu “por causa” do dinheiro, então quer evitar que ela sofra novamente.

Outra maneira da mente subconsciente evitar o seu crescimento (já que pode gerar riscos para a sua segurança) é controlando as suas emoções. É como se o consciente desligasse e o subconsciente tomasse conta. Numa discussão com o seu namorado (a), por exemplo, é possível você dizer algo que se arrependa depois. Quando você continua fazendo o que a mente subconsciente diz, cria um hábito. Existem hábitos saudáveis e os destrutivos. Eles servem para pouparmos energia. Poupamos energia quando vamos escovar os dentes, por exemplo. O problema é quando temos hábitos destrutivos como: reclamar, procrastinar e irritar. Muitos deles estão enraizados no seu subconsciente. Então, aqui vão algumas dicas para você dominar melhor a mente:

1. A mente não se baseia em fatos e, sim, em crenças. Ela vê o que acredita e, nem sempre, é a verdade ou a realidade. Também costuma dar razões e justificativas para qualquer coisa que aconteça. Agora, imagine aquele amigo pessimista. O seu amigo olha e diz “isso não vai dar certo”. Você pode escuta-lo, mas não precisa concordar com ele. Reflita: “o que esse cara sabe para falar que não vai dar certo?”. Se quiser responder, pode dizer: “Obrigado pela dica, mas eu vou agir mesmo assim”. Aprenda a se defender de pensamentos negativos com sutileza e inteligência.

2. Procure fazer as tarefas mais difíceis nos períodos do dia que você tem mais energia e disposição. Algumas pessoas estão mais dispostas pela manhã, outras a tarde e as demais a noite. Existem, também, aquelas que não produzem algo relevante em qualquer parte do dia, pois precisam de muito treinamento e clareza do que é importante. De qualquer forma, observe a sua produtividade dos últimos três meses. Em qual período você apresentou mais disposição? Alguns médicos, por exemplo, têm a energia diurna mais intensa e podem iniciar cedo com uma atividade física, reservar a manhã para as cirurgias mais complexas e, durante a tarde, aplicar as tarefas mais operacionais e burocráticas. Claro que você pode mudar com autoconhecimento e dedicação, mas você precisa experimentar para saber.

3. Evite desperdiçar energia e atenção com e-mails e mensagens abertas o tempo todo. Designe horários para ler os e-mails e mensagens, evitando interrupções do que é realmente importante produzir. Por isso é recomendado agendar os compromissos e tarefas, focar na execução deles e reconhecer que os horários agendados não são apropriados para essas distrações. Talvez olhar todas as mensagens relevantes de uma vez pela manhã e outra vez no final da tarde seja suficiente para responder quem interessa.

4. Procure cursos e métodos de aprendizagem vivencial. Se os momentos emocionantes marcaram a sua vida, como seria a sua mente aprendendo de maneira emocionante? Cursos que geram desafios e tiram você da zona conforto são muito mais produtivos, pois geram experiências com significados positivos que podem mudar o seu padrão comportamental. Hipnose, Coaching, Psicodrama, Voluntariado, Teatro, Imersão e contato com a Natureza são métodos altamente eficazes de ensino-aprendizado quando conduzidos por profissionais devidamente habilitados, é claro. Procure referências de quem já vivenciou e evoluiu de fato.

Você precisa lembrar que treinar a mente é sair da zona de conforto, é obvio que a sua mudança será desconfortável. Isso pode gerar algumas emoções negativas. Se algum projeto seu não teve êxito, é claro que a segunda tentativa pode aumentar o seu estresse ou medo. Quando surgir a emoção negativa, você não pode paralisar diante do medo, precisa encarar o desafio, apesar do medo. Nada está acontecendo na sua vida por acaso, tudo tem uma relação de causa e efeito. Aproveite a oportunidade para mergulhar na experiência e se permita viver aquele momento.

No que diz respeito aos seus hábitos, T. Harv Eker tem uma citação muito inteligente: “a forma que você faz uma coisa é forma que você faz todas as coisas”. Você quer ter sucesso no lançamento de um produto ou na sua carreira? Para muitos, isso é um grande desafio. Então comece se comprometendo com desafios menores como a sua atividade física, o seu estágio, ou o seu estudo. Se você não consegue ser pontual na Faculdade, como será a sua pontualidade com os seus clientes ou com os sócios? Se não consegue ter um relacionamento melhor com os seus pais, como será o relacionamento com o seu chefe? Sem ter a paciência para aprender a usar um novo software, como terá paciência criar, lançar e persistir no seu projeto? Perceba que o sucesso depende do seu modelo mental. Comece mudando em pequenas coisas e, ao longo do tempo, conseguirá grandes coisas.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(3)
Tags: dominar a mente enterprise coaching marcelo sousa o poder da mente riqueza