Lucro Financeiro Final

O cálculo do lucro financeiro é o resultado matemático e comprovado das operações empresariais. A partir do cálculo do lucro financeiro, pode-se apontar com precisão o resultado operacioanal e o lucro final, que seria o lucro financeiro somado com a varição da conta fornecedores. Estes resultados são importantes e devem sempre ser monitorados.

Lucro Financeiro Final

Qual seria o lucro mais justo? Uma questão como esta exige resposta, no mínimo, com a participação de filósofos. Teria que se saber avalizar e justificar, de certa forma, se todas as operações realizadas pelas organizações são realmente adequadas na forma jurídica, se estão dentro dos parâmetros de mercado e se as ações e os produtos oriundos das vendas não correm o risco de trazer outras despesas ou prejuízos no futuro.
A contabilidade, ciência milenar, tem a incumbência de demonstrar este resultado, de acordo com os seus preceitos e os procedimentos legais, que podem variar segundo a legislação de cada país, bem como apresenta um número na forma de parâmetro (isolado), resultado que pode até ser testado, mas sem a devida comprovação
O “lucro financeiro” é apenas um resultado matemático elaborado através da leitura efetuada no corte da massa de dados de controle das operações empresariais, marcando, assim, um ponto com o objetivo de sinalizar, em algum momento, o montante do capital de giro circulante.
Nesta presunção, é possível demonstrar uma equivalência e comprovar a variação do capital de giro, por meio de uma demonstração de resultados no formato gerencial.
Tendo proposto esta questão do “lucro financeiro” como um resultado único, não se teria como fugir de afirmar que, no caso do lucro operacional ou EBTIDA, no formato gerencial/financeiro, evidentemente só deve existir também um único número. Somando-se, novamente, o resultado do lucro financeiro já calculado com as amortizações de empréstimos, mais os investimentos realizados e as despesas financeiras ocorridas, volta-se, assim, ao resultado operacional, que geralmente é considerado o ponto em que a empresa apresenta o verdadeiro lucro de suas operações, sendo este avaliado como a sua potencial e real capacidade de fazer caixa.
Um ponto relevante do fluxo financeiro a ser monitorado, tomando-se um sentido inverso em relação ao cálculo do resultado operacional, seria realizar o somatório do lucro financeiro com a variação da conta fornecedores; este, sim, talvez pudesse ser chamado de lucro líquido final. Neste caso, pode-se apresentar um resultado positivo no lucro financeiro e negativo no lucro final ou vice-versa. Isto sempre aconteceria caso a variação da conta dos fornecedores aumentasse ou diminuísse em relação à base do lucro financeiro.
LFF (Lucro financeiro final) = (Lucro financeiro - variação da conta fornecedores)
Na análise do lucro financeiro final, poder-se-ia apontar também outro importante parâmetro: aquele que considerasse a variação da posição dos estoques. Não se pode esquecer que, para a gestão financeira, se a compra foi efetuada, evidentemente já ocorreu o custo.
Sendo assim, acho que posso também sustentar que, em termos gerencial/financeiro, o resultado operacional e o lucro líquido final são passíveis de serem calculados e apontados com determinada precisão.
Se tivesse mestrado e doutorado na área financeira e lesse um artigo com uma proposta dessas, escrito por um ilustre desconhecido, poderia até pensar que seria uma piada. No entanto, caso fosse empresário ou estudante, começaria logo a procurar entender a lógica desta questão.

Avalie este artigo:
(0)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.