Quanto dinheiro você tem acumulado?

Quanto tempo você viveria se não recebesse mais nenhum centavo a partir de hoje?

Já parou para pensar que muitas vezes classificamos como "ricos", pessoas que ganham grandes salários? Pois bem, a realidade não é exatamente esta.
Você consegue considerar como pobre, uma pessoa que receba um salário mensal de 50 mil reais? E consideraria uma pessoa que receba um salário mínimo como rica?

Vamos entender a situação. Suponhamos que um diretor recebe um salário de 50 mil reais. Este homem poderoso vive extremamente bem, porém, utiliza todo seu salário para manter o seu altíssimo padrão de vida e não tem nenhuma reserva financeira, pois por conviver a maior parte do tempo com pessoas com um poder aquisitivo mais elevado, adquiriu hábitos bastante caros e prefere manter o padrão a realizar alguns sacrifícios para acumular patrimônio.
Eis que ocorre uma crise economica muito grave, grande parte das empresas do país tiveram tem de cortar parte do quadro de funcionários, e infelizmente, nosso personagem foi uma das vítimas do desemprego. Este homem vivia até ontem muito acima do padrão nacional e agora, como não tem nenhuma reserva financeira para emergências, não tem condições de se manter caso não arrume outro emprego as pressas.

Agora suponhamos que trabalhando na mesma empresa do nosso diretor acima, temos um auxiliar financeiro que receba um salário mínimo por mês. Porém este funcionário separa disciplinadamente 20% do seu salário mensal e aplica em investimentos de renda fixa. O auxiliar em questão, teve o cuidado de se preparar para um cenário de crise e acumulou na sua reserva de emergência o valor necessário para sobreviver por 6 meses mantendo o mesmo padrão de vida atual. Obviamente, o padrão de vida do auxiliar é bem inferior ao vivido pelo diretor, mas ele foi capaz de acumular patrimônio de forma com que não fosse precisar sair correndo atrás de um novo emprego já no dia seguinte.

Responda as perguntas:

  1. Quanto dinheiro do seu salário mensal você consegue acumular?

  2. Se você não fosse receber mais nenhum centavo a partir de agora, quanto tempo você viveria?

  3. Você tem uma reserva de emergência (de 6 a 12 meses da renda mensal da sua família) formada?

  4. Você conhece investimentos além da poupança?

Não importa quanto dinheiro você ganha, enquanto não souber a importância de acumular patrimônio, você provavelmente nunca sairá do lugar em que está hoje. Talvez você invista na sua educação e cresça profissionalmente, talvez você empreenda e quintuplique seus rendimentos mensais, mas mesmo se você se tornar um funcionário ou um empreendedor bem-sucedido, se você não conseguir acumular patrimônio, você vai ser um escravo do seu emprego, ou um refém de si mesmo.

4 sugestões básicas:

  1. Tenha uma reserva de emergência que contenha de 6 a 12 meses dos rendimentos mensais da sua família.
    Vocês necessitam de 10 mil reais por mês? Tenham  de 60 a 120 mil reais acumulados na reserva de emergência. Estudos apontam que esse tempo é o tempo necessário para se reerguer.

  2. Invista em educação.
    O caso do auxiliar foi apenas um exemplo. Sempre busque investir em você mesmo para que você se desenvolva pessoal e profissionalmente. Quanto mais você investir em educação, mais dinheiro terá como retorno.

  3. Invista na sua aposentadoria.
    Realize investimentos focados no longo prazo para a sua aposentadoria.
    Forme inicialmente sua reserva de emergência, investindo preferencialmente em títulos públicos ou privados, prezando por liquidez. Após formada, invista no longo prazo, pensando em maiores rendimentos.

  4. Jamais espere depender do FGTS ou da previdência social.
    Não dependa do seguro desemprego para sobreviver. Não espere que o governo decida quando você vai aposentar, ou quanto vai te pagar na sua aposentadoria. Você deve ser capaz de acumular patrimônio suficiente para decidir quando e como fará as coisas que quiser. O poder de escolha deve ser seu.
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)
Tags: dinheiro investimento