4 dicas de ouro da Disney para seu negócio

Confira 4 sacadas fantásticas que você pode implementar hoje na sua empresa ou no seu trabalho, mesmo que você não seja empreendedor

iStock

Ultimamente, tenho acompanhado pela internet conteúdos incríveis da Alicia Matheson, hoje uma palestrante internacional que possui uma empresa de treinamentos para líderes e consultoria para empresas. Ela foi durante muito tempo da equipe de liderança da Walt Disney Company e hoje vou compartilhar 4 sacadas fantásticas que você pode implementar hoje na sua empresa ou no seu trabalho, mesmo que você não seja empreendedor.

1) Experiência do cliente

A Disney entende que seus serviços precisam estar em evolução, ou seja, prover algo que atenda a necessidade de seu cliente e esse serviço deve estar em constante aprimoramento, em melhoria contínua.

Um importante entendimento é que a Disney começou pequena, mas com valores fortes e esses valores estão até hoje fazendo com que a empresa cresça, mesmo muitos anos após a morte de Walt Disney.

O valor de entregar experiências, através de serviço em constante evolução, faz com que o cliente, em seu nível emocional, passe a ser leal a sua marca. O que deve ser feito é unir a inovação, tecnologia e mídias sociais e usá-las a favor de seu negócio, ainda assim mantendo-se fiel a seus valores para entregar uma experiencia única ao seu cliente. O poder está na mão no cliente, se você não entregar a emoção, ele irá buscar outro capaz de entregar.

2) Empoderar seu time para encantar

Tudo começa na contratação, o sistema de contratação da Disney conta com uma série de avaliações, incluindo a comportamental, para que cada contratado esteja na função mais adequada. A partir daí, inicia-se o processo de vivenciar a cultura de cuidados e o propósito de criar felicidade, alinhado a visão de Walt, quando fundou a Disney em 1955.

Nesta cultura, cada um tem um papel para atender esse propósito. O fato de seu funcionário saber que a função dele faz parte de algo muito maior e que para esse algo maior acontecer sua participação é importante o deixará ainda mais motivado. Ele passa a ter responsabilidade para que tudo dê certo, para cada visitante que entre no parque, em cada filme que é lançado, e passa a tomar melhores decisões.

3) Atenção aos detalhes

Nosso cérebro tende a otimizar nossas energias, criando hábitos, isso nós já conversamos em outro artigo. Então, quando algo ocorre diferente do que estamos esperando, nos surpreende. Normalmente essas surpresas estão nos pequenos detalhes. Os funcionários são orientados a criar momentos de “UAU” como Alicia menciona.

Isso significa se importar com o outro, perceber se o humor das pessoas está bom ou ruim; na sua empresa poderia ser oferecer um café, sem vender nada, apenas por aquele momento. Eu já fui surpreendido em uma loja em que o vendedor ofereceu um chocolate para o filho de um cliente e isso mudou a relação do cliente com a empresa e a minha, por presenciar essa situação. Então crie um momento mágico no seu dia.

4) Bom líder não é mais suficiente

Os dias de hoje deixam claro para nós que a única constante é a mudança. Portanto, ser um bom líder não é mais suficiente, o líder atual tem que estar atento com sua equipe e prover experiências positivas para seu time. O que ocorre é que muitas empresas são tão orientadas para o mercado, que não olham para dentro, logo não conseguem atender com excelência. Assim troca-se a equipe e ainda não consegue atingir o resultado esperado, pois se você não tiver, primeiro, um time engajado, esse comprometimento não chegará ao seu cliente.

A forma que a Disney faz é liderando pelo exemplo. No momento de maior tensão financeira nos Estados Unidos, entre 2008 e 2012, os líderes estavam ao lado dos funcionários, para que eles soubessem que juntos, como time, enfrentariam aquele momento difícil. E o mais importante, eles treinaram seus funcionários para o futuro, para mudanças que iriam ocorrer.

Agora pegue um papel e anote quais foram seus insights de como aplicar isso ainda hoje no seu negócio.

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.

Avalie este artigo:
(0)