A saga de buscar o foco

A busca do foco deve ser uma constante em sua vida. Não era na minha. Descobri isso recentemente e agora o desafio é criar uma grande transformação, uma mudança de comportamento. Em busca do foco

O foco me persegue. E eu deveria ter perseguido o foco. Tenho uma história onde muitos consideram que eu não era focado (bom, hoje eu também acho que não era). Principalmente na últimas duas décadas eu comecei a desenvolver muitas atividades, muitos negócios e perdi o foco. Antes era as centenas de ideias que surgiam que me faziam não ter foco. Qual ideia colocar em prática? Eu queria todas. E de todas, uma ou outra dava certo. Bom, tudo começava em 1992, com meu primeiro negócio.

Primeiro eu cursei engenharia elétrica. Nos idos de 1987. No meio do curso comecei a frequentar o laboratório de informática e informática se tornou minha profissão. Fiquei fora da faculdade por 11 anos, depois voltei e cursei administração e marketing, me especializei em comunicação e depois marketing digital. Porque contar isso? Confesso que em um determinado momento da minha vida tinha dúvidas se não estava totalmente perdido. O que informática tinha a ver com marketing? Pois é. Cadê o foco?

Confesso que não faltou oportunidade para o tema foco aparecer na minha vida. Mas eu gostava mesmo era de ser multi-tarefa. Sim, eu era "multi-tarefereiro”. Até pouco tempo atrás (confesso que acabo sendo multi-tarefa ainda por vários momentos durante o dia, ufa, como cansa!). A minha energia e entusiasmo pela vida sempre me ajudaram a ser multi-tarefa, e o exercício contínuo do cérebro a “chavear” e mudar de assunto muitas vezes durante o dia. Funciona, dá certo, eu consigo, mas cansa! Como cansa. Mas, isso não é o pior. E eu demorei muito pra aprender.

E o aprendizado vem pela dor ou pelo amor. Conhece essa frase popular? Pois é. Mas ainda bem que não foi bem assim. Não foi pela dor, nem pelo amor, mas por um livro. Em outubro do ano passado eu ganhei um livro sobre foco. Adoro ganhar livros, e não foi diferente quando ganhei esse livro de um primo, que sabia que eu tinha problema com o tal de foco (foi proposital, tenho certeza!). Imediatamente comecei a ler, e… parei! Chega! Não quero, isso não é pra mim. Não preciso disso. Pronto. Livro fechado. Vamos para o próximo.

De próximo em próximo, li vários livros desde outubro do ano passado quando ganhei esse livro, até pouco mais de três meses atrás. E então peguei o livro de novo. E fui até o fim!

Bom, é preciso contextualizar antes de continuar que se tratava de um momento único que eu vivia. Eu tinha feito um exercício de reflexão sobre minha vida, meus próximos dez anos, e estava entendendo o que eu queria estar fazendo em 2025. Sim, isso mesmo, 2025. Quantos anos eu teria, quantos anos teria minha esposa, meus filhos. O que eu gostaria de estar fazendo? Qual meu propósito de vida? (vou falar em um próximo artigo sobre propósito de vida, pois sei que esse assunto é muito importante e deve ser relevante para sua vida). Foi então que tomei uma das maiores decisões da minha vida: eu encerrava minha carreira de 17 anos em marketing digital. Sim, isso mesmo. Decidi que não iria mais trabalhar com marketing digital para outras empresas, apenas para mim. Mudança grande. E agora?

Foi quando lendo esse livro (ok, chega de suspense! O livro é A única coisa, do Gary Keller e Jay Papasan), percebi que teria que promover grandes mudanças na minha vida, e a frase chave do livro me impactou muito: qual a única coisa que eu devo fazer agora que torna todas as demais desnecessárias? Uau! A única coisa! Única mesmo! Só ela, nenhuma outra. Bom, confesso que foi impactante.

Desde então o aprendizado tem sido fantástico, acredito que tenho me reinventado, mas que também tenho sofrido muito. Não é fácil deixar de ser "multi-tarefereiro”. É um exercício diário! Acho até que deveríamos nos unir na associação dos multi-tarefeiros anônimos, para contar nossas dificuldades e quantos dias estamos sem “multi-tarefar”! Ufa! Parece brincadeira, mas é muito sério. A sensação de “multi-tarefar” é que você é importante, que faz muitas coisas, que você é “mais”. Ledo engano. Você é menos. E isso estou aprendendo a duras penas. E mais, eu li algo no livro que agora está acontecendo na minha vida: o caos. Deixar de fazer muitas coisas, e fazer uma “única coisa”, fará com que sua vida se torne um caos. Fato!

Mas eu continuo nessa saga. Não vou desistir. Eu acredito hoje que estava errado e será o foco que me dará mais sucesso. Vamos em frente, com garra e coragem! Acompanhe minha saga.

Avalie este artigo:
(1)
As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Administradores.com.br.
Tags: a única coisa foco

Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração